Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Denuncia: Após um ano, pacientes sofrem sem Casa de Apoio de Tucuruí em Belém, e ex-secretário de saúde de Tucuruí Charles Tocantins preside COSEMS/Pará de forma irregular



























 Denuncia: Após um ano, pacientes sofrem sem Casa de Apoio de Tucuruí em Belém

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Passado um ano das denuncias dos pacientes que necessitam da Casa de Apoio da Prefeitura de Tucuruí em Belém, para aguardarem alojados, enquanto perduram suas consultas e tratamentos médicos, os pacientes reclamam da morosidade das obras de reformas do prédio que já chegaram há 12 meses, e mostram a realidade do abandono e a precariedade que atravessa a Casa de Apoio, localizada no bairro do Guamá, em Belém.

As imagens comprovam o estado de calamidade, e abandono com o prédio onde funcionava a casa de apoio em Belém, às obras de reformas iniciadas em setembro de 2013, já completaram um ano, e a empresa contratada de um ex-vereador de Tucuruí, abandonou os serviços por falta de pagamentos, os únicos dois funcionários - um pedreiro e um ajudante - que foram levados para Belém para realizarem as obras de reforma, foram obrigados a vender cimento e tinta, para comprarem suas passagens para retornarem a Tucuruí, em face, ao abandono que estavam sofrendo, pela falta de manutenção para os seus serviços e recebimentos de seus salários, agora imaginem, se os prestadores de serviços da Prefeitura de Tucuruí não tiveram o apoio da prefeitura para dar continuidade nas obras, imaginem o descaso da Secretaria Municipal de Saúde de Tucuruí com a manutenção e o apoio aos pacientes que necessitam de tratamento especializado em Belém, onde deveriam estar sendo atendidos com alojamentos dignos, enfermeiros e transporte adequado dos pacientes aos hospitais, mas nada disso vem ocorrendo a cerca de 12 meses.
Recursos – É fato, que mensalmente os recursos assegurados pelo governo federal e pela Prefeitura de Tucuruí, são mensalmente utilizados para a manutenção da Casa de Apoio, mas nada esta sendo feito em prol dos pacientes, inclusive, o proprietário do prédio, assim como a empresa prestadora de serviços, já não recebem há meses suas pendências.

Outro fato curioso, e que dos quase 3 mil litros de combustíveis disponibilizados mensalmente para a manutenção do veículo que presta serviços a casa de apoio em Belém, que inclusive é inexistente, durante estes meses foram utilizados em sua totalidade, foram 36 mil litros de gasolina consumidos. Mas nenhum paciente foi transportado dentro de Belém para suas consultas e tratamentos, assim como, suas viagens através do Tratamento Fora de Domicilio (TFD) que são garantidos com recursos do Ministério da Saúde, que deveriam ser repassadas as passagens para os pacientes e acompanhantes, não são feitas, sendo utilizadas as ambulâncias doadas pelo governo federal através do Samu 192, contrariando as determinações do Ministério da Saúde no uso específico destas ambulâncias para o atendimento de urgência e emergência no município de atuação.

Como solução, a Prefeitura de Tucuruí, contratou provisoriamente, e já se estende por um ano, o aluguel de vagas em uma pensão na Avenida João Paulo II, mas apenas para 30 pacientes por mês, ou seja, diariamente a Secretaria de Saúde encaminha cerca de 10 pacientes para Belém, sendo que estes são obrigados a ficarem em casas de familiares ou amigos, para suas manutenções em Belém, e quando os pacientes não tem local para ficarem, são obrigados a procurarem alojamentos públicos e de igrejas, e em muitos casos passam a morar dentro da estação rodoviária de Belém.

Outro fato, que requer explicações pela prefeitura de Tucuruí e a manutenção de cerca de 20 funcionários lotados na casa de apoio, que durante estes 12 meses não têm local para trabalhar e continuam recebendo seus salários, além dos gastos mensais com a aquisição de material de consumo, ambulatorial e alimentos para a manutenção da casa de apoio de Belém, fechada há 12 meses.

Segundo os pacientes a energia elétrica do prédio foi cortada há mais de seis meses, sendo feita uma “gambiarra”, para que fosse possibilitada a manutenção da reforma, mas que após a desistência dos únicos dois operários, a casa de apoio da prefeitura de Tucuruí em Belém, esta fechada e abandonada.

Em nota - O secretário de Saúde de Tucuruí Charles Tocantins há época, informou que a casa de apoio de Tucuruí em Belém, estava sendo mantida através de um programa do governo federal, que mensalmente repassa R$ 100 mil para o custeio da casa, além de recursos dos cofres da prefeitura, que são investidos para esta finalidade.

Inclusive, destes recursos, não estavam previstos, a disponibilidade de veículo para o transporte dos pacientes as consultas nos hospitais, sendo uma ajuda extra da prefeitura de Tucuruí com o combustível e o carro.

Em setembro do ano passado, Charles Tocantins esclareceu que a partir daquele mês, a Casa de Apoio da Prefeitura de Tucuruí, localizada na Rua Paes de Sousa no bairro do Guamá, em Belém, entraria em reforma, mesmo sendo um prédio alugado, só não informou qual seria o ano da conclusão da obra de reforma do prédio.


COSEMS acéfalo - Por outro lado, o ex-secretário de Saúde de Tucuruí, o advogado Charles Tocantins, foi exonerado pelo prefeito Sancler Ferreira de suas funções em 6 de junho de 2014, e até os dias atuais não houve a publicação em edital ou no Diário Oficial do Estado ou União, de sua reintegração ao cargo de Secretário de Saúde do município de Tucuruí, isto posto, e em função ao advogado Charles Tocantins que estava, há época, respondendo pela presidência do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado do Pará (COSEMS-PA), representando os 144 municípios do Pará, mas, após sua exoneração do cargo de Secretário Municipal de Saúde, perdeu automaticamente a função de presidente do COSEMS-PA, haja vista, se estiver respondendo ainda pela função, está ferindo os estatutos da entidade em seu Artigo 41, estando desde o último dia 6 de junho de 2014 a entidade acéfala, e quaisquer  medidas tomadas neste período, são irregulares e revogáveis pela atuação irregular da presidência do COSEMS-PA pelo ex-secretário de Saúde de Tucuruí, o advogado Charles Tocantins, mesmo se houvesse a renomeação do Secretário de Saúde de Tucuruí, este ato deveria ser publicado para o conhecimento de todos os Secretários Municipais de Saúde do Pará, fato que não ocorreu, em função a não revogação da portaria de exoneração, assinada pelo prefeito Sancler Ferreira em 6 de Junho de 2014.




segunda-feira, 28 de julho de 2014

Mudança 1: Concurso Público de Tucuruí lançado, mas edital está “abarrotado” de irregularidades, com prazo de inscrições já finalizado e já alteraram a data do início de inscrições








Mesmo lançado no último domingo (27), o edital do Concurso de Tucuruí teve prazo de inscrições finalizado em 26 de junho de 2014.mas já alteraram no site ao data do início das inscrições

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), no uso das atribuições conferidas pela Portaria nº 443 de 12 de maio de 2014 e obedecendo ao cumprimento ao disposto na Constituição Federal Art.37, II e aos Artigos: 12 e 13 da Lei Municipal nº 3.793 de 13 de abril de 1993, tornou público que no período de 26 de maio a 26 de junho de 2014, estarão abertas as inscrições ao Concurso Público Municipal de Provas e de Provas e Títulos para provimento de cargos vagos existentes no Quadro de Pessoal do Município de Tucuruí ou que vierem a vagar no prazo de sua validade, conforme consta das Leis Municipais nº 4.151/98, 8.773/2011, 9.786/2014 e 9.787/2014.

Obedecidas às normas deste Edital e em consonância com a Comissão Organizadora do Concurso, as providências e atos atinentes à realização e execução do Certame em referência, serão desenvolvidos e efetivados com o apoio e cooperação técnica da Faculdade Integrada Carajás – FIC.

O apoio e cooperação técnica da FIC se dará nos termos da Carta Contrato nº 038.2014.20.6001, celebrado com o Município de Tucuruí, oriundo do processo licitatório nº 001/2014, na modalidade dispensa de licitação.

É fato que até o momento não foi revelado e muito menos publicado os valores da prestação de serviços deste contrato entre a Prefeitura de Tucuruí e a Faculdade Integrada Carajás – FIC.

De acordo com o edital da Prefeitura Municipal de Tucuruí, Concurso Público 001/2014, Cooperação Técnica: Faculdade Integrada Carajás – FIC. “Regulamento do Certame” Julho/2014.

Na sua apresentação, a Faculdade Integrada Carajás – FIC juntamente com o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira, informa e torna público, que o prazo de inscrições para o Concurso Público 001/2014, seria de 26 de maio a 26 de junho de 2014, ou seja, o edital lançado na noite do domingo (27), em seu sitio oficial através do endereço eletrônico: http://portalfic.com.br/v02/concursos/13-prefeitura-municipal-de-tucurui-concurso-publico-0012014, estaria totalmente irregular, haja vista, o prazo de inscrições ter encerado no último dia 26 de junho de 2014.

Mudança 1: Após a publicação da matéria denunciando os “gritantes” erros no edital publicado pela Prefeitura de Tucuruí, uma nova mudança após o meio-dia desta segunda-feira (28), foi realizada no site da faculdade Integrada Carajás – FIC, desde o domingo (27) foi anunciado o início das inscrições para os candidatos a partir do dia 28/07/2014, mais foi alterado para a próxima quarta-feira, dia 30 /07/2014.


O certo é que as coisas estão ocorrendo a revelia da lei, inclusive sem a publicação do edital oficial de convocação do Concurso Púbico de Tucuruí em nenhum órgão de imprensa do governo, bem como, estas alterações que estão sendo feitas de acordo com a vontade do gestor Sancler Ferreira e da comissão organizadora comandada pelo presidente Rosivaldo Ramos Benchimol, em comum acordo com a Faculdade Integrada Carajás.

Concurso Público de Tucuruí foi lançado, mas edital está “abarrotado” de irregularidades e prazo de inscrições já finalizado






Mesmo lançado no último domingo (27), edital de Tucuruí teve prazo de inscrições finalizado em 26 de junho de 2014

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), no uso das atribuições conferidas pela Portaria nº 443 de 12 de maio de 2014 e obedecendo ao cumprimento ao disposto na Constituição Federal Art.37, II e aos Artigos: 12 e 13 da Lei Municipal nº 3.793 de 13 de abril de 1993, tornou público que no período de 26 de maio a 26 de junho de 2014, estarão abertas as inscrições ao Concurso Público Municipal de Provas e de Provas e Títulos para provimento de cargos vagos existentes no Quadro de Pessoal do Município de Tucuruí ou que vierem a vagar no prazo de sua validade, conforme consta das Leis Municipais nº 4.151/98, 8.773/2011, 9.786/2014 e 9.787/2014.

Obedecidas às normas deste Edital e em consonância com a Comissão Organizadora do Concurso, as providências e atos atinentes à realização e execução do Certame em referência, serão desenvolvidos e efetivados com o apoio e cooperação técnica da Faculdade Integrada Carajás – FIC.

O apoio e cooperação técnica da FIC se dará nos termos da Carta Contrato nº 038.2014.20.6001, celebrado com o Município de Tucuruí, oriundo do processo licitatório nº 001/2014, na modalidade dispensa de licitação.

É fato que até o momento não foi revelado e muito menos publicado os valores da prestação de serviços deste contrato entre a Prefeitura de Tucuruí e a Faculdade Integrada Carajás – FIC.

De acordo com o edital da Prefeitura Municipal de Tucuruí, Concurso Público 001/2014, Cooperação Técnica: Faculdade Integrada Carajás – FIC. “Regulamento do Certame” Julho/2014.

Na sua apresentação, a Faculdade Integrada Carajás – FIC juntamente com o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira, informa e torna público, que o prazo de inscrições para o Concurso Público 001/2014, seria de 26 de maio a 26 de junho de 2014, ou seja, o edital lançado na noite do domingo (27), em seu sitio oficial através do endereço eletrônico: http://portalfic.com.br/v02/concursos/13-prefeitura-municipal-de-tucurui-concurso-publico-0012014, estaria totalmente irregular, haja vista, o prazo de inscrições ter encerado no último dia 26 de junho de 2014.

Sendo mais uma prova das irregularidades deste certame, que, diga-se de passagem, esta envolvida em inúmeras “obscuridades”, que vão, deste a escolha da empresa Faculdade Integrada Carajás – FIC, através de contratação de forma “duvidosa” da empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC) LTDA – EPP com sede na Avenida Brasil, 2299, bairro Alto Paraná, município de Redenção, Pará, que foi a escolhida em licitação através de carta convite, por apresentar o menor preço pelos serviços de realização de concurso público, inclusive no edital publicado no sitio oficial da FIC, observa-se que dentre o Amparo Legal para a realização do Concurso Público decorre da Constituição Federal, Art.37, inciso II; Art. 206, inciso V, da Lei Federal nº 8.666/93; Art. 14 da Lei Orgânica do Município; Leis Municipais nºs 3.793/93; 4.151/98, 8.773/2011, 9.786/2014, 9.787/2014 e ainda Portaria nº 443, de 12 de maio de 2014. A empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC) LTDA – EPP, não se preocupou em averiguar se as leis propostas pelo prefeito Sancler Ferreira e aprovadas a “toque de caixa” pelos vereadores, a saber: Jairo Holanda, Davidson Free Way e Dionei Tardini todos do PSDB; João Pé de Ferro (PRTB), Peri (PSD), Florival Nunes e Cantão, ambos do PPS, todos defensores da “ala governista”, que aprovaram em sessão extraordinária realizada no período de recesso do parlamento, na última terça-feira (22), sem proporem nenhuma alteração ou emendas, com exceção do vereador Dodô (PT do B), aos Projetos que se tornaram Leis de nº 007/2014, que determinou à atualização da quantidade de cargos na administração pública municipal e o Projeto de Lei nº 008/2014, que determinou a atualização dos salários e acréscimos de funções aos cargos efetivos da prefeitura.

Publicando apenas no edital a frase “(colocar nas lacunas as leis que estão sendo votadas na Câmara)”, sendo um absurdo e uma falta de preparo para gerir um concurso público desta envergadura, alias com total conivência do gestor municipal Sancler Ferreira, que mesmo sabendo de todas as denuncias ventiladas na imprensa local e estadual, das “falcatruas” e irregularidades       que envolveram a Faculdade Integrada Carajás (FIC) LTDA – EPP, e, de forma “ditatorial” assinou o contrato, e determinou o lançamento do concurso público que seria feito nesta segunda-feira (28), mas foi antecipado pela FIC, para o domingo (27), com isso, tentando arregimentar um número maior de inscritos para o certame, mas com um erro irreversível determinando o período de inscrição de 26 de maio a 26 de junho de 2014, já finalizado, a mais de um mês.

Esperamos que os sindicatos das categorias que defendem os atuais servidores públicos, as entidades serias que representam as comunidades, as ONG’s, os sindicatos que tem atuação na cidade e pincipalmente o Ministério Público do Pará, através da Promotoria de Justiça de Tucuruí e a competente Juíza da Vara da Fazenda de Tucuruí, tomem uma posição para evitar que milhares de pessoas sejam induzidas ao erro, inscrevendo-se neste certame “duvidoso” e abarrotado de erros, culminando inclusive com a possibilidade da perda dos valores das inscrições, que são de R$ 40,00 até R$ 65,00. Analisando uma rápida projeção do quantitativo de inscrições que normalmente ocorrem para certames desta envergadura, os valores de inscrições poderá ultrapassar o montante total de R$ 1 milhão.

Dentro do edital a Prefeitura de Tucuruí iria ofertar o total de 501 vagas, mas sem uma descrição correta para os cargos e locais de atuação, colocando apenas na maioria das vagas ofertadas, a frase: “para atuar em uma área da zona rural”.

Demostrando o total despreparo e transparência com a publicação do edital, que em seu bojo, levanta dúvidas irreversíveis da eficácia e regularidade deste certame.

Está mais do que comprovado, que o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), não quer que o Concurso Público de Tucuruí, aconteça, por isso, deixou público todas estas anormalidades no edital, bem como, com a escolha e a contratação de uma empresa que se encontra com processo judicial, em função a falta de lisura em outro procedimento de realização de concurso público da Prefeitura de Salinópolis, com isso, provocando a opinião pública, o Ministério Público e a Justiça, para determinar a suspensão da realização do Concurso, com isso, ganhando mais tempo neste período eleitoral para manter os “cabides de empregos” que atualmente empregam diretamente mais de 2.800 funcionários contratados, recebendo pela folha de pagamento da Prefeitura de Tucuruí, sendo comprovada esta ação, que tem que ser coibida pelo MP e a Justiça, com as sanções penais para este tipo de ação “delituosa”.

Relembre o caso da “Fraude” no Concurso de Salinópolis

A empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC) foi denunciada, e condenada em decisão em segunda instância, promulgada pelo TJE à pedido do Ministério Público, revogando o resultado do concurso realizado pela Faculdade Integrada Carajás (FIC) no município de Salinópolis e a imediata exoneração dos aprovados de forma irregular através da suposta "fraude do concurso".

Segundo a denúncia do MP, foi comprovado que todos os aprovados no certame de Salinópolis, que foi coordenado pala empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC), descaradamente, tinham ligações familiares e de amizades com os políticos locais ligados ao prefeito Wagner Cury.

Sobrinhos e irmãos - A Justiça determinou no último dia 2 de agosto que todos os servidores aprovados no concurso público realizado pela prefeitura municipal de Salinópolis e coordenado pela empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC), fossem exonerados a partir da decisão da desembargadora Helena Percila de Azevedo Dornelles, do TJE.

Salinópolis - O processo seletivo foi realizado no começo deste ano pela gestão do prefeito Wagner Cury (PR). Vários aprovados no concurso são parentes do prefeito, como sobrinhos e irmãos.
A Faculdade Integrada Carajás (FIC) foi à instituição responsável pela elaboração da prova e também é ré do processo judicial. O sobrinho do prefeito, Antônio José Vito Couri, foi aprovado em primeiro lugar para o cargo de procurador municipal, cujo salário ofertado era de R$ 4.080. Ao se submeter ao mesmo cargo na Secretaria Estadual de Meio Ambiente, no entanto, ele não conseguiu sequer a classificação, gerando assim a desconfiança do Ministério Público sobre falcatruas na prova para beneficiar os parentes do gestor público.

O resultado do concurso foi divulgado em abril, e em maio os aprovados foram nomeados. Em seguida, o Ministério Público denunciou as irregularidades à Justiça e em junho o juiz da comarca de Salinópolis, Eduardo Rodrigues de Mendonça Freire, suspendeu o concurso.
A prefeitura recorreu ao Tribunal de Justiça, que manteve a condenação e determinou ainda a exoneração dos nomeados em um prazo de 24h.

Calote - Como se não bastasse à empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC), encontra-se negativada nos organismos de análises de crédito, e com inúmeros títulos de dividas contestados em cartório, além de uma gama de cheques, emitidos sem suprimentos de fundos, espalhados no estado do Pará. Com uma divida contraída que ultrapassa R$ 200 mil, mesmo com todas estas comprovações de irregularidades, fica impossível entender, o porquê que o prefeito Sancler Ferreira, administrador da Prefeitura de Tucuruí, assinou o contrato através do resultado em uma escolha “duvidosa” de carta convite (menor preço), que normalmente em um país sério, deveria ser feita através de concorrência pública, mesmo sabendo de todas estas denuncias de irregularidades comprovada contra a empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC), que se encontra envolvida em falcatruas de resultados de concursos públicos e calotes nos grandes comércios, respondendo inclusive a processo judicial.


É fato, que um certame com esta envergadura, necessita de uma empresa com boa índole, serviços realizados que respaldem sua transparência, seriedade, responsabilidade e honestidade, sendo inaceitável ter sido contratada esta empresa, que se encontra nesta situação perante a justiça, só se houver segundas intenções do gestor, e má fé, para realizar “esquemas criminosos”, adulterando o resultado oficial do concurso público de Tucuruí, como ocorrido de forma “compactuada” no concurso para provimentos de cargos da prefeitura de Salinópolis.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Breu Branco: Dois presos e um foragido do assalto à loja de celular


Everson Araújo dos Santos, vulgo “Duduzinho”

 Eduardo Martins, vulgo “Brad Pitt" de Breu Branco


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Na tarde desta quinta-feira (24), um trio de larápios assaltou uma loja de venda de aparelhos celulares da Tim, em Breu Branco, sudeste do estado.

Por volta das 14:30 h, os meliantes “Brad Pitt”, “Duduzinho” e “Fábio Mão Leve”, entraram na loja sorrateiramente, e em função ao fraco movimento, os assaltantes conseguiram furtar cerca de R$ 30 mil em aparelhos celulares.

Durante o assalto a funcionária da loja, sofreu muitos constrangimentos, tendo sua vida momentaneamente ameaçada, ficando presa em um dos cômodos da loja, para não denunciar os meliantes.

A Polícia Militar logo foi acionada, e através da equipe de inteligência caíram em campo para encontrarem pistas dos assaltantes, o primeiro a ser capturado pela Polícia Militar, escondido em uma casa de um bairro periférico de Breu Branco, foi o nacional Eduardo Martins, vulgo “Brad Pitt”, com ele foi encontrado uma quantidade de carregadores e capas de celulares, identificadas pela vítima como sendo produtos roubados da loja, não sendo preciso muito esforço para que ele, “caguetasse” os seus comparsas, que estavam foragidos para a cidade de Tucuruí.

As investigações tiveram prosseguimento durante toda a noite e madrugada, e na manhã desta sexta-feira (25), sob o comando do Major Marcus Vinicius, juntamente com a equipe de inteligência da PM, e as guarnições e motocicletas da PM de Tucuruí, fizeram uma investida após denuncias de que, um dos acusados “Fábio Mão Leve”, perambulava livremente pelo cais da cidade, sendo imediata a ação que culminou com o fechamento do cerco no bairro da Matinha, foi quando o nacional, vulgo “Fábio Mão Leve”, ao perceber a presença da PM, saiu pulando os quintais da vizinhança, em direção a Rua Assis de Vasconcelos, no bairro da Matinha, ao perceber que sua captura seria inevitável, pediu abrigo na casa de uma mulher, que foi convencida a dar-lhe fuga do local, saindo em um veículo de marca Gol, de cor escura, foi neste exato momento, graças à experiência investigatória do Major Marcus Vinicius, que desconfiou da saída do veículo peliculado, do local das buscas, enviou imediatamente os PM nas motociclistas para fazerem uma barreira, no momento da abordagem ao veículo, “como num passo de mágica”, saiu de dentro do carro o meliante “Fabio Mão Leve”, que foi preso e levado para apresentação à autoridade policial de Breu Branco, onde se encontra fazendo companhia ao ator de renome internacional, “Brad Pitt” em uma das celas daquela especializada.


Fugitivo – A Polícia Militar pede a população de Tucuruí e região, que por ventura tenham qualquer informação que leve a prisão do elemento Everson Araújo dos Santos, vulgo “Duduzinho”, figura perigosíssima, e que é “useiro e vezeiro” na prática de delitos e furtos, que acionem imediatamente o 190, e denunciem este meliante, que inclusive esta de posse de todo o produto roubado da loja de celular, e orienta ainda, que a receptação de produto roubado é crime, com risco a prisão em flagrante. 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Independente Tucuruí: Samuel Cândido aciona Justiça do Trabalho para receber seus direitos trabalhistas

 Samuel Cândido


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O técnico de futebol profissional Samuel Cândido, impetrou no mês de abril de 2014, Ação de Reclamação Trabalhista pelo não cumprimento das cláusulas contratuais assumidas pelo Independente Atlético Clube de Tucuruí, segundo o treinador Cândido, seu contrato foi iniciado em outubro de 2013, desde então não foi feito o registro legal em sua Carteira Profissional de Trabalho e Emprego, ficando palavreado pela diretoria do clube, e com o aval do prefeito Sancler Ferreira, o valor de R$ 7.500,00 mensais, e o valor de R$ 10 mil de premiação se houvesse a classificação.

Segundo o técnico, a direção do clube realizou o pagamento mensal dos salários, mas não o pagamento da diferença trabalhada, e mais a premiação pela conquista da classificação, garantido o título e o acesso à primeira fase do Parazão de 2014.

Passado este período, Cândido foi dispensado pelo clube no dia 08/12/2013, sem aviso prévio e sem recebimento de verbas rescisórias, e a sua premiação devida.

Há época, Cândido tentou de todas as formas resolverem o entrave financeiro, através do dialogo, chegando até assinar por confiança e respeito um recibo do montante de R$ 15 mil, para a devida apresentação e prestação de contas junto a Secretaria de Finanças da Prefeitura de Tucuruí, e que após o repasse do valor de R$ 50 mil realizados pela Prefeitura de Tucuruí mensalmente, seria pagos os valores devidos ao técnico, fato que até os dias atuais não ocorreu, já se estendendo por 18 meses de espera.

Depois de esgotadas todas as chances de um acordo amigável com a direção do Independente, Samuel Cândido resolveu então acionar judicialmente o clube, através da Justiça do Trabalho, para que seja registrada sua Carteira Profissional no período em que trabalhou de 01/10/2013 04/01/2014, com isso, sejam pagas as verbas indenizatórias dentro do que rege as leis.

É fato, que o Independente Atlético Clube, mesmo recebendo verbas dos cofres públicos da Prefeitura de Tucuruí, não realizou os pagamentos das gratificações pactuadas e muito menos das indenizações do período trabalhado, e com o agravante de sonegar os pagamentos do FGTS e INSS, que segundo informações de seu departamento de contabilidade, não foram recolhidas de todos os jogadores e equipe que atuou ao longo destes 4 anos de existência, estando com um debito “astronômico”, junto ao FGTS e INSS.

O técnico Samuel Cândido, que deu o Titulo de Campeão ao Independente de Tucuruí, exige o pagamento dos seus salários devidos e atrasados, além das verbas da premiação, do 13º salário e férias proporcionais, e que seja determinado pela justiça o recolhimento de todas as pendências dos valores devidos junto ao FGTS e INSS, assim como as multas fundiárias, em função do não recolhimento destes direitos obrigatórios.

Segundo os cálculos apresentados pela advogada de Samuel Cândido, Dra. Elisângela Mora da Silva Jorge, os valores atualizados do debito devido pelo Independente Atlético Clube são de R$ 41.721,79, que serão questionados em audiência a ser realizada no quinta-feiura (24), as 8:50 h, em Tucuruí.

Dentro do processo instaurado na 1ª Vara do Trabalho de Tucuruí, sob o numero: 0000591-85.2014.5.08.0110, Samuel Cândido comprova sua relação empregatícia com o Independente Atlético Clube, com provas documentais, inclusive com a intervenção do atual prefeito Sancler Ferreira, que através de mensagens de celulares dava ordens e garantia os pagamentos dos vencimentos e da premiação para o técnico de futebol profissional Samuel Cândido.


quarta-feira, 23 de julho de 2014

TCM intima Sancler Ferreira e seu secretariado para explicar erros na prestação de contas da Prefeitura de Tucuruí no exercício de 2010



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A Controladoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) está intimando através de edital no Diário Oficial do Estado, todo o primeiro escalão do governo municipal de Tucuruí, que ordenaram despesas no exercício financeiro do ano de 2010, bem como o prefeito Sancler Antônio Wanderley Ferreira, responsável pela prestação de contas, para que no prazo de 30 dias, a cotar do dia 15 de julho, prestem esclarecimentos nos autos do Processo nº 0840012010-00 / TCM, que tramita naquela corte para ser julgado, inclusive, se não houver a devida prestação de contas comprovatória através de documentos licitatórios, contratos, notas e recibos, com as devidas transações bancárias, correrá o risco de ser julgado a revelia.

Tal ação de investigação das contas referentes ao exercício de 2010 foi iniciada através dos parlamentares da Câmara de Tucuruí, que atuaram no quadriênio de 2009 a 2012, sendo realizadas durante este período, inúmeras denuncias comprovando a falta de zelo e de transparência com os recursos públicos, que estavam sendo utilizados de forma irregular e pessoal, sem a prévia autorização do Poder Legislativo para os seus remanejamentos entres as rubricas, além da utilização de forma indevida de recursos públicos para pagamentos irregulares, sem licitações e sem as destinações previstas em lei, sendo realizados pelos gestores há época, da Companhia de Trânsito de Tucuruí (CTTUC), Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação, Superintendência da Nossa Água, Secretaria de Saúde e Gabinete do Prefeito, em montantes milionários, que após a apuração, deverão ser devolvidos aos cofres públicos do município.

Está é apenas a ponta do “iceberg” do governo Sancler Ferreira, que esta aparecendo ainda no período do segundo ano do primeiro governo que compreendeu 2009 a 2012, que mesmo o prefeito Sancler Ferreira ter imaginando ser uma “criatura intocável”, passado a sua fase de “glória”, e mesmo com as visitas simultâneas e incessáveis aos dirigentes dos órgãos de fiscalização do tesouro público dos municípios, já começou a ruir o “castelo de sonhos” de Sancler, haja vista, a forma competente e transparente dos Conselheiros do TCM que atuam na fiscalização do fiel cumprimento dos recursos destinados as manutenções das prefeituras para investimentos em favor dos munícipes.


É certo que os vereadores denunciantes há época, a saber: Jones William, Tom Bonfim, Pastor Antônio, Dra. Edileuza Meireles e Antônio Carlos de Sousa, não tiveram êxito positivo com suas reeleições nas últimas eleições, em função a renovação da câmara, que foi irmanada pelos eleitores, mas agora mesmo tendo passado quatro anos, e dois que não estão mais atuando no parlamento de Tucuruí, agora estão aparecendo os frutos das suas atuações, que de qualquer forma não foram em vão, haja vista, a comprovação das denúncias dos parlamentares, que culminou com a abertura de procedimento investigatório, finalizando com os equívocos encontrados pela controladoria do TCM na prestação de contas da Prefeitura de Tucuruí no ano de 2010, realizada pelos ordenadores de despesas do secretariado de governo, com a anuência total do prefeito Sancler Ferreira.

Ainda estão na fila de análises as contas dos anos de 2009, 2011, 2012 e 2013, que seguramente serão todas revistas e providências serão tomadas para que os ordenadores de despesas juntamente com o prefeito Sancler Ferreira, sejam identificados e suas divergências numéricas sejam apuradas, e dependendo dos resultados, os valores diferenciados, sejam devolvidos aos cofres do município, ficando os gestores que cometeram estas irregularidades financeiras, inaptos e indispostos para novas investidas na vida pública através de disputas nas eleições através do voto direto e democrático.

Um dos grandes descalabros identificados nas prestações de contas de 2010, e que não batem com a realidade, foram os investimentos de R$ 32 milhões realizados por Sancler Ferreira na contratação de uma empresa para a realização do asfaltamento de todas as ruas da cidade, fato que nunca ocorreu efetivamente, pelo menos na cidade de Tucuruí.

Além de programas de Assistência Social, que na grande maioria custaram “rios de dinheiro” a municipalidade, mas também não saíram do papel.

Com a palavra, e com a tentativa de defesa dos secretários e do prefeito Sancler Ferreira, “a verdade tarda, mas não falha”.


terça-feira, 22 de julho de 2014

Breu Branco: PM estoura “desmanche” de motocicletas furtadas e coloca atrás das grades os meliantes





 Jadielson Ferreira da Silva, vulgo “Preto”
 Marcos Vinicius 
Wanderson Silva Marçal, vulgo “Gordinho”

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Os policiais militares de serviço no município de Breu Branco, sudeste do Pará, conseguiram “desbaratar” uma quadrilha especializada em roubo de motocicletas, para o desmanche e o abastecimento do mercado ilegal da compra de peças roubadas na região.

Na ação da PM foram presos em flagrante os nacionais Jadielson Ferreira da Silva, vulgo “Preto”; Wanderson Silva Marçal, vulgo “Gordinho” e Marcos Vinicius, além de um menor de 17 anos, que foi apreendido em conflito com a lei.

Na noite da segunda-feira (21), os elementos teriam cometido mais um assalto em via pública no bairro da Conquista, em Breu Branco, tomando de um cidadão sua motocicleta, que via telefone acionou a viatura de ronda da Polícia Militar, comandada pelo Sargento Arnoldo, que solicitou reforço aos motociclistas via rádio, o furto da motocicleta foi uma ação rápida, e os policiais iniciaram a perseguição aos meliantes pelos bairros da cidade, observando os passos dados pelos assaltantes.

Os militares fizeram inúmeras investidas em ruas e vielas, deparando-se com um dos suspeitos próximo a Avenida das Criolas, na abordagem ao suspeito, foi identificado que se tratava de um menor em conflito com a lei, de 17 anos, mas que fazia parte do grupo, inclusive estava de posse de uma motocicleta produto de roubo, furtada há menos de uma semana na cidade.

Caguetagem – Com medo das consequências com a “dona justa”, o menor tratou de “caguetar” todo o esquema do grupo, que furtavam as motocicletas para serem desmontadas e vendidas às peças a varejo, abastecendo o “mercado ilegal” da venda de peças furtadas na região, levando os militares ao local do desmanche.

O menor apreendido, confessou ainda, que o trio arrombou o Departamento Municipal de Trânsito de Breu Branco (DEMUTBB), e de lá roubaram três motocicletas, na ação delituosa estava o menor, além de Marcos Vinícius e outro elemento que consegui “pinar” da PM, vulgo “Coelho”.

Em função a ação rápida e competente dos policiais militares, através do Sargento Arnoldo, Cabo M. Santos e os Soldados A. Barros, Queiroz, Joânio, Tiago Sousa e Danielly Cunha, conseguiram recuperar duas das três motocicletas furtadas do DEMUTBB, além de vasta quantidade de peças e quadros de outras motocicletas furtadas pelo grupo, mas segundo os PMs, será questão de tempo, para que a PM coloque as mãos no dentuço fujão, vulgo “Coelho”.

Os elementos Jadielson Ferreira da Silva, vulgo “Preto”; Wanderson Silva Marçal, vulgo “Gordinho” e Marcos Vinicius, foram apresentados perante a autoridade policial na Delegacia de Breu Branco, onde foi tombado competente inquérito policial de flagrante delito.

O menor de 17 anos foi encaminhado ao Conselho Tutelar e apresentado ao Ministério Público, para as providências pertinentes de acordo com o que rege o Estatuto da Criança e Adolescente (ECA).