Pesquise as matérias do JT:

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Descaso: Tucuruí há uma semana sem teste rápido de HIV

Sede do CTA de Tucuruí

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles
O Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) de Tucuruí, funciona nos horário da manhã e tarde, localizada na Travessa Paulo Ronaldo, 30 bairro Santa Isabel, em Tucuruí, sudeste paraense, está passando por grandes dificuldades para a realização de teste rápido de HIV, um avanço na medicina mundial, haja vista, a rapidez no resultado, que e de apenas 15 minutos, e que garante uma eficiência conclusiva de 99%.

Desde a última sexta-feira (22), o estoque de testes rápidos para identificar o vírus do HIV esgotou-se em Tucuruí, como o CTA atende a demanda de todo o município, inclusive, fornecendo também ao Hospital Regional de Tucuruí (HRT) e Maternidade, a situação ficou desesperadora.

A preocupação dos administradores é em função, a grande clientela, que necessita de um exame rápido e com exatidão, que em muitas vezes são obrigatórias e necessárias em tratamentos médicos, exames para admissão de empregos, gestantes, parturientes, pacientes com sintomas da aids, populações vulneráveis, populações flutuantes, moradores de rua, dentre outros, sendo que estas demandas todas são encaminhadas ao CTA para realizarem o teste ou requisição do material.

Até o momento, nenhuma providência foi tomada pela Secretaria Municipal de Saúde, para tentar equacionar a falta, a uma semana do material necessário para a realização do teste rápido, que é de vital importância para a saúde dos munícipes.

Segundo informações prestadas pelos funcionários do CTA, ainda esta sendo realizada a coleta de sangue para os testes laboratoriais de HIV, onde as amostras são encaminhadas a capital, e após a conclusão dos exames, dependendo da demanda os resultados são enviados ao CTA de Tucuruí, normalmente estes resultados demoram de dois a três meses para a conclusão.

No Brasil, o diagnóstico laboratorial da infecção pelo HIV é regulamentado por meio da Portaria 151, de 14/10/09. Para o diagnóstico correto do HIV, deve-se considerar a fase da doença, dada sua grande capacidade de manifestar-se de diferentes formas em cada pessoa. Na fase aguda, apresentam-se as patologias virais. Na fase inicial da aids propriamente dita, deve ser analisado o quadro clínico do paciente e o órgão atingido, por exemplo, meningites bacterianas para afecções do Sistema Nervoso Central ou pneumonias para doenças do trato respiratório.

Teste Rápido - O Teste Rápido como Diagnóstico da Infecção pelo HIV, foi iniciado em 2006, o Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais vem implantando o teste rápido como diagnóstico da infecção pelo HIV no Brasil. Esta metodologia é utilizada no mundo inteiro e traz vantagens significativas quanto ao método laboratorial, pois são de simples realização, dispensando a atuação de profissionais especializados e de equipamentos de laboratório, permitindo o conhecimento imediato dos resultados e assistência imediata aos pacientes.

A utilização desta metodologia no Brasil está diretamente associada ao aumento do acesso ao diagnóstico da infecção pelo HIV, principalmente em segmentos populacionais prioritários, como: gestantes, parturientes, pacientes com sintomas da aids, populações vulneráveis, populações flutuantes, moradores de rua, dentre outros. Os testes rápidos HIV-1/2 são testes qualitativos, de alta especificidade e sensibilidade para a detecção de anticorpos específicos para o vírus da imunodeficiência humana dos tipos 1 e 2.

Os testes validados são realizados pelo Ministério da Saúde através dos Centros de Testagens e Aconselhamentos das cidades, responsáveis para a realização do diagnóstico da infecção pelo HIV através dos testes rápidos.

A equipe de reportagem tentou diversas vezes contatos com a Secretaria de Saúde para esclarecimentos, mas sem sucesso.



Prefeitura de Tucuruí está há nove meses sem cumprir o convênio com a APAE


Sede da  a APAE em Tucuruí

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles
Há nove meses o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), não vem repassando os recursos, conveniado com a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Tucuruí (APAE).

Os dirigentes da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Tucuruí (APAE), já tentaram todas as formas para sensibilizar a Prefeitura de Tucuruí, no intuito de repassar os valores devidos a APAE de Tucuruí, para a manutenção do atendimento aos seus sócios, as crianças especiais.
Desde o último mês de fevereiro, nenhuma parcela do convênio celebrado com a prefeitura de Tucuruí foi repassada aos dirigentes da APAE, com isso, prejudicando o trabalho voluntário, e a excelência do andamento da atenção aos excepcionais, inviabilizando um trabalho que vem garantindo uma mudança às dezenas de crianças atendidas. 

A APAE tem como principal missão prestar serviços de assistência social no que se diz respeito à melhoria da qualidade de vida da pessoa portadora de deficiência, conscientizando cada vez mais a sociedade. Promover e articular ações de defesa dos direitos das pessoas com deficiência e representar o movimento perante os organismos nacionais e internacionais, para a melhoria da qualidade dos serviços prestados pela APAE, na perspectiva da inclusão social de seus usuários.


Os dirigentes da entidade filantrópica aguardam uma decisão urgente do prefeito de Tucuruí, que segundo divulgado de seu último governo, foi eleito o prefeito “Amigo da Criança”, no sentido de atender aos pequeninos, que estão passando dificuldades para dar andamento às atividades desenvolvidas pela APAE Tucuruí, esperando que, dos nove meses dos valores atrasados, sejam repassados, de acordo com o que rege o convênio, e que volte a transferir corretamente a cada quinto dia útil de cada mês os valores a APAE. 

Diversas tentativas de contatos com a Secretaria de Finanças da Prefeitura foram realizadas para ouvir a sua versão do assunto, mas sem sucesso.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Homenagem ao Tri-Campeão Brasileiro Flamengo Campeão da Copa do Brasil de 2013


AVISO DE VAGAS DE EMPREGO EM ALTAMIRA


O SINE de Tucuruí comunica aos interessados, que nesta sexta-feira (29), estará em Tucuruí o recrutador do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), que fará a seleção de pessoas para o preenchimento de 292 vagas, para as funções de:

- Pedreiro
- Ferreiro Armador
- Carpinteiro
- Mecânico Montador
- Montador de Andaime
- Vibradorista de Concreto
- Ajudante de Produção
- Marteleteiro

Além de diversas outras.

Tucuruí: Boto encontrado morto às margens do Rio Tocantins


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Os moradores do bairro Beira Rio, localizado as margens do Rio Tocantins à jusante em Tucuruí, sudeste paraense, encontraram morto um Boto fêmea, segundo informações os mamíferos sempre são vistos em bandos, próximo a barragem da Usina Hidrelétrica, os motivos de sua morte são desconhecidos.

Neste período de estiagem das chuvas o nível do Rio Tocantins diminui o volume de água tanto a montante como a jusante, sendo muito fácil observar os mamíferos deslizando com o seu esplendor nas águas calmas do Tocantins, um espetáculo ímpar na região.

Neste período de defeso, em que a pesca está proibida, esta descartado que o mamífero tenha sido sacrificado por algum pescador, haja vista, sempre se ouvir falar que, os botos sempre se enrolam nas redes dos pescadores, trazendo transtornos e prejuízos, isso porque os mamíferos não são violentos, apenas agressivos quando machucados, por este motivo, que devido a sua velocidade e força, sempre rompe as redes.

Para alguns pescadores mais antigos, a presença de botos na pescaria é sinal de má sorte, principalmente quando mamíferos se enrolam nas redes ou mesmo quando chegam a bater nas canoas.




Justiça determina permanência do Ibama em Tucuruí

Foto: Wellington Hugles
 Prédio onde funciona o escritório do Ibama em Tucuruí cedido pela Eletronorte na Vila Permanente
Audiência Pública realizada pelo MPF Tucuruí para avaliar as perdas da retirada do escritório do Ibama de Tucuruí


Tribunal Federal da 1ª Região determinou a manutenção do escritório regional do Ibama em Tucuruí


O Tribunal Regional Federal da 1ª Região decidiu, após recurso do Ministério Público Federal (MPF-PA), determinar que o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais (Ibama) mantenha as atividades da unidade avançada do Instituto no município de Tucuruí.

O pedido liminar do MPF, que visava à continuidade da unidade na região, havia sido indeferido em decisão anterior da Justiça Federal em Tucuruí (PA).

De acordo com texto da decisão, assinada pelo Desembargador Federal Kassio Nunes Marques, “a região de Tucuruí, no Pará, apresenta peculiaridades que a alçam como de relevância diferenciada a merecer a proteção ambiental”, tais como a presença de Terras Indígenas, a pesca predatória, a operação da Usina Hidrelétrica de Tucuruí, entre outras atividades que merecem a especial atenção do Estado através do IBAMA.

Para o Desembargador Federal, o argumento de que a unidade do Ibama em Tucuruí apresenta baixa produtividade, não é suficiente para justificar o fechamento. Ao invés da desativação da unidade, melhor seria que se propusesse o seu aprimoramento para enfrentar os desafios ambientais da região.

“A desativação de um órgão federal descentralizado de fiscalização ambiental, em um momento de intensificação da exploração do meio ambiente, afigura-se, a princípio, como autêntico retrocesso de uma conquista social bem como um retrocesso na política de implementação da proteção ambiental”, ressalta texto da decisão, que é do dia 22 e foi publicada hoje (27) no Diário da Justiça.

A decisão, que ainda é provisória, foi tomada no mesmo sentido da “Carta de Belém”, publicada no Encontro Regional dos Procuradores da República na Amazônia, em de outubro de 2013, segundo a qual “O fechamento de escritórios do IBAMA na região amazônica provoca um déficit em sua atuação, principalmente a fiscalizatória, o que vai de encontro aos princípios constitucionais de proteção ambiental”.



Acidente entre ônibus e caminhão deixa 20 feridos em Altamira


Acidente entre dois ônibus, um caminhão e um carro de passeio deixa 20 feridos em Altamira

WELLINGTON HUGLES
Da Redação
Foto: Divulgação

Dois ônibus de Empregados do Consórcio Construtor de Belo Monte estiveram envolvidos no acidente.

Por volta das 16 h desta quarta-feira (27), na BR 230 (Transamazônica), em Altamira, Oeste do Pará, quatro veículos envolveram-se em um acidente, ocasionando ferimentos de diversas proporções em vinte pessoas.

De acordo com os relatos das testemunhas, o ônibus transportava empregados do Consórcio Construtor de Belo Monte, batendo na traseira de um caminhão de entrega da Micos, que estava estacionado no acostamento da via, em função ao impacto o caminhão desceu a ladeira.

Diversas pessoas ficaram presas nas ferragens do veículo e precisaram ser retiradas com a ajuda do Corpo de Bombeiros, que esteve no local socorrendo os feridos.

As vitimas mais graves foram encaminhados para o Hospital Regional de Altamira e os demais foi para o Hospital Municipal São Rafael.


Em nota, o Consórcio Construtor de Belo Monte informou que esta garantindo toda a assistência às vítimas e acompanha o estado de saúde.

Líder Sindical de Itupiranga é morta com quatro tiros em Marabá








WELLINGTON HUGLES
Da Redação
Foto: Reilan Guedes

Por volta das 14:30 h desta quarta-feira (27), uma das lideranças sindicais do município de Itupiranga do Pará, Jairan Feitosa, de 40 anos, foi barbaramente assassinada com 4 tiros em via pública no bairro Liberdade na cidade de Marabá.
Segundo informações preliminares, dois homens em uma moto ao cruzarem com a sindicalista em uma das vias do bairro Liberdade, dispararam 4 tiros a queima roupa, eliminando a sindicalista, fugindo em seguida.


No chão foram encontrados os projéteis deflagrados contra a mulher, centenas de populares lotaram a rua onde ocorreu o crime no bairro Liberdade, a Polícia Civil esteve no local realizando as investigações, juntamente com a equipe do Renato Chaves que fez o levantamento do local do crime e a remoção do corpo para autopsia no IML.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Suspeitos de tráfico presos com a "boca na botija"na Vila Aparecida em Goianésia do Pará


Os nacionais: Thiago Alexandre Dias e Paulo Cleison Baruará Pantoja

Produto apreendido, 24 petecas de pasta base de cocaína e uma quantidade de maconha prensada


WELLINGTON HUGLES
De Goianésia do Pará
Foto: Wellington Hugles

No final da tarde desta terça-feira (26), o quartel da Polícia Militar de Goianésia do Pará recebeu uma denúncia via telefônica, de uma suposta “boca de fumo” na Vila Aparecida, a equipe da guarnição da PM com os militares: Cabo Bosco, Soldados Sheridan e Elineude, foram à missão de tentar “desbaratar”, mais este ponto de comercialização de drogas na zona rural do município.

Por volta das 17:30 h, os PMs chegaram a residência denunciada distante 30 km do centro de Goianésia do Pará na Vila Aparecida localizada as margens da PA 150, no local foram pegos com a “boca na botija”, os nacionais Thiago Alexandre Dias e Paulo Cleison Baruará Pantoja, que foram presos em flagrante com 24 petecas de pasta base de cocaína e uma quantidade de maconha prensada, segundo os PMs, a prática dos meliantes e de ficarem com uma pequena quantidade para a comercialização na casa, mas o grosso fica “nas entocas”.

Os dois suspeitos foram conduzidos a Delegacia de Polícia de Goianésia do Pará onde foi apresentada a autoridade policial, que realizou o flagrante e colocaram os dois nacionais a disposição da justiça.


Na especializada, após a verificação da vida pregressa dos suspeitos de tráfico de drogas, a “casa caiu” para Paulo Cleison Baruará Pantoja, que estava no beneficiou de liberdade condicional, pela mesma qualificação de tráfico de drogas, que segundo Baruará ele foi preso em Belém do Pará.  

Cruzamento causa mais uma morte em Tucuruí

http://jornaldetucurui.blogspot.com.br/2013/11/cruzamento-causa-mais-uma-morte-em.html

Adolescente é morto com requintes de crueldades em Tucuruí



http://jornaldetucurui.blogspot.com.br/2013/11/adolescente-e-morto-com-requintes-de.html

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Cruzamento causa mais uma morte em Tucuruí


Cledeson Rodrigues Ramos









WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

No final da noite do domingo (24), um grave acidente causou a morte de mais um pai de família e mecânico profissional Cledeson Rodrigues Ramos, 40 anos, morador do bairro da Colina.

Em menos de seis meses, este foi o segundo acidente com morte no cruzamento da Rua Lauro Sodré com a Avenida Santo Antônio (escadarias), no local existia um semáforo, que organizava o trânsito naquele cruzamento, que por ser uma via de descida com o cruzamento em uma área de grande tráfego, infelizmente, a menos de dois anos, em função a realização do carnaval, a prefeitura de Tucuruí, retirou o semáforo para dar passagem aos carros alegóricos, nunca mais os colocando de volta, mesmo com diversos apelos da população, que diariamente vem correndo o risco de serem atropeladas naquele cruzamento ou mesmo com a incidência de colisões no local.

É fato, que mesmo com a morte de um idoso, há menos de seis meses, a prefeitura não recolocou o semáforo no cruzamento, naquela oportunidade a população ficou revoltada pela morte de uma pessoa tão popular no município, mas, nunca a prefeitura decidiu colocar de volta o equipamento de vital importância para coibir os excessos de velocidade e diminuir as infrações de trânsito.

Na noite do domingo (24), o motorista habilitado Cledeson Rodrigues Ramos, 40 anos, descia em sua preferencial pela Rua Lauro Sodré em sua motocicleta Honda CB, e ao cruzar a Rua Santo Antônio, via em que os condutores têm por obrigatoriedade parar no cruzamento, inclusive com uma imensa placa de pare, o motorista do veículo Pálio de cor prata, avançou o cruzamento chocando-se com a moto, o impacto foi tão grande que Cledeson, foi projetado a quase 10 metros de distância da colisão, e em função a falta de capacete, o piloto sofreu o impacto direto em sua cabeça.

Naquele momento dezenas de pessoas arrodearam o homem que estava ensanguentado no chão, já se afogando em seu próprio sangue, sem que ninguém fizesse algo para tentar salvar sua vida, foi quando uma pessoa abriu o cerco para garantir a chegada do serviço 192, e na tentativa de salvar a vida de Cledeson Rodrigues Ramos, virou de lado o homem conseguindo que o sangue escoasse pela boca e nariz, garantindo com isso que Cledeson voltasse a respirar, com a chegada da ambulância do 192, Cledeson foi levado as pressas ao Hospital Regional de Tucuruí, chegando com vida, e após o atendimento emergencial foi a óbito em função ao traumatismo craniano.

Os familiares, amigos e a população novamente se revoltaram pela incompetência, falta de compromisso e de responsabilidade aos munícipes que estão morrendo pela inexistência de ação do governo de Tucuruí, que, por mais de 10 meses deixou todos os semáforos da cidade parados por falta de recursos para suas manutenções, e passado dois anos que o semáforo do “cruzamento da morte”, que este ano já vitimou duas pessoas, foi retirado para atender outro cruzamento, deixando um ponto de grande fluxo de veículos e pessoas descoberto, sendo culpa da prefeitura de Tucuruí ambas as mortes.

Os familiares culpam a prefeitura de Tucuruí pelos últimos acidentes ocorridos, em função da falta de sinalização semafórica, que culminou com a colisão do carro com a moto e a morte de Cledeson Rodrigues Ramos.

Semáforo – Como num “passe de mágica”, enquanto os familiares enlutados velavam o corpo de Cledeson Rodrigues Ramos, a prefeitura de Tucuruí através da Companhia de Trânsito de Tucuruí (CTTUC) estava durante a noite da segunda-feira (25), colocando os semáforos no cruzamento que vitimou dois pais de famílias este ano.


Ninguém entende o porquê, que só após o segundo acidente com mais um óbito, foi que a prefeitura de Tucuruí resolveu colocar o semáforo no local de origem, segundo os técnicos que estavam no local, “o semáforo estava na sede da CTTUC, apenas aguardando a ordem do prefeito Sancler Ferreira para colocá-lo no cruzamento, mas, que nunca foi dada em função de que este equipamento ficava sempre como reserva para os outros semáforos que por ventura estavam com problemas”.

Adolescente é morto com requintes de crueldades em Tucuruí












WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

No último domingo (24), a população do bairro Alto Alegre, amanheceu em polvorosa, em face, a descoberta de um corpo de um adolescente dentro de uma área de propriedade do clube Associação Recreativa dos Amigos (ARA), que já há muito tempo está fechada, servindo apenas para a prática de futebol de “pelada” pelos jovens da redondeza, que inclusive, pulam o muro para a sua diversão diária.

O corpo foi achado por Erick Serrão Virgílio, 34 anos, morador do bairro do Mangal, que fica na confluência do terreno, quando na manhã do domingo por volta das 8 h, estava passeando com seus cachorros, e um deles entrou na área baldia, começando a latir em direção a um local onde funcionava o bar do clube que está abandonado, Erick então resolveu pular o muro, e quando foi em busca do cachorro, se deparou no local, com o corpo de uma pessoa envolta de uma poça de sangue, foi quando acionou o 190.

Com a chegada da guarnição da Polícia Militar no local comandada pelo Cabo Nicodemos e o Soldado Eldemberg, foi constatado o homicídio, sendo acionada a equipe da Polícia Civil.

O cabo Nicodemos, realizou todas as investigações necessárias para identificar o corpo, após algum tempo um dos curiosos que entrou no local, informou que se tratava de uma menor de 14 anos, morador do bairro Carajás, imediatamente a PM foi até sua residência, e após a chegada dos familiares foi reconhecido pela sua mãe, sendo o adolescente de iniciais H.F.G, 14 anos.

Segundo informações preliminares, o menor H.F.G, era contumaz na prática delituosa, e já teria sido apreendido por diversas vezes pela suspeita de roubo, inclusive, sua morte está envolvida a um “acerto de contas”, haja vista, em um dos assaltos cometidos pelo grupo a qual ele pertencia  já há algum tempo, no bairro Beira Rio, em Tucuruí, onde na oportunidade, os menores, fizeram a “limpa” na casa de um cidadão, deixando-o, amarrado e amordaçado.

Com a ação da PM, o adolescente H.F.G, que há época tinha 13 anos, foi apreendido e na linguagem popular “dedurou” os seus comparsas que cometeram o assalto.

Há época, quatro dos menores que tinham entre 14 e 15 anos, foram internados no Centro de Internação do Adolescente Masculino (CIAM), unidade de atendimento socioeducativo da Fundação da Criança e do Adolescente. E que durante a internação os jovens que ficaram no “veneno”, planejaram liquidar o menor por ter “dado a letra” dos envolvidos no roubo, resultando em suas apreensões.

Após os adolescentes estarem “de boa”, já em liberdade em Tucuruí, os jovens chamaram H.F.G, para outra “missão”, para poderem levantar dinheiro para as festas de final de ano, infelizmente, o menor de 14 anos H.F.G, não sabia que era uma “casinha”, onde seus quatro amigos, se reuniram para cobrar o seu erro, que segundo eles foi de “dedurar” os parceiros, segundo um dos jovens apreendido, “o final de dedo-duro é no caixão”.

Foi que no início da madrugada do domingo (24), os cinco adolescentes se reuniram na área baldia do terreno do ARA, para planejar a ação delituosa, e no momento em que o menor chegou foi agarrado e amordaçado, foi então, que teve início a sua tortura, seu corpo levou diversos cortes de faca, culminando com a retirada a “sangue frio” de uma tatuagem, que demostrava sua participação no grupo, sendo de um peixe carpa, que segundo declarações de um dos menores apreendidos, a tatuagem foi tirada por que era de um peixe “Carpa”, e ele queria comer aquele peixe, após horas de torturas, os infratores, resolveram abrir a barriga do menor, e suas vísceras foram colocadas para fora, foram momentos de muito sofrimento que culminou com seu óbito.

Após a execução com rigores de crueldade, os quatro jovens abandonaram o corpo do menor e jogaram as três facas usadas no homicídio próximo ao local do crime. O corpo do adolescente foi removido pela equipe do IML e após necropsia foi entregue aos familiares, seu sepultamento foi realizado na manhã da segunda-feira (25), na área do cemitério interditado pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Tucuruí.

Prisão - Antes mesmo do meio-dia a Polícia Militar atravessa da 15ª Zpol, desvendou o crime e dos quatro adolescentes envolvidos no crime, dois foram apreendidos, e confessou a autoridade policial, suas participações na morte de H.F.G., dando detalhes de como executaram o adolescente, os dois jovens apreendidos foram: D.S.S. e L.S.G.S., ambos com 16 anos.


Segundo investigações, o grupo seria o mesmo que há algum tempo atrás, tirou a vida de um menor de 11 anos, que também teria denunciado que os menores infratores teriam subtraído uma máquina de corte, conhecida como maquita, naquela época, os jovens se reuniram e mataram o menor, inclusive, desovou o corpo da criança em um córrego de um igarapé próximo a entrada do bairro do Getat, e para que o corpo não fosse descoberto, os jovens, abriram a barriga da criança e encheram de pedras, jogando o corpo no fundo do igarapé.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Insalubre: Após diversas denuncias o martírio continua aos pacientes alojados na Casa de “Apoio” de Tucuruí em Belém

















WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Após diversas denúncias realizadas em 2012, o vereador Deley Santos (PPS), usou a tribuna no último dia 27 de fevereiro, para denunciar o total descaso que se encontra a Casa de Apoio em Belém, que seria para dar assistência aos pacientes tucuruienses que estão em tratamento médico na capital, tornando-se um local que causa maior mal estar e danos à saúde dos munícipes, em função do total abandono, descaso e a insalubridade que passa.

Segundo o vereador Deley Santos, “as pessoas nos procuram diariamente para denunciar a situação de calamidade da casa de apoio, precisando o mínimo de assistência à saúde”. É fato, que a casa de apoio esta passando por inúmeras dificuldades estruturais, como banheiros interditados, esgotos a céu aberto, alojamento sem ventilação ou refrigeração, sem um transporte para os enfermos, e o que é pior de tudo, sem o fornecimento de alimentação aos alojados e aos funcionários que lá estão lotados, em função da falta de mantimentos, medicamentos e de uma administração competente e comprometida com a atenção aos enfermos. Há época o vereador Deley Santos pediu em caráter de urgência a convocação do Secretário de Saúde Charles Tocantins, para dar esclarecimentos aos vereadores na tribuna da Câmara, dos motivos que está levando a casa de apoio a este caos social. Sendo que passado todo este período nunca houve esta manifestação por parte da Secretaria de Saúde, muito menos a exigência da convocatória pelo legislativo.

Inspeção – Os vereadores de Tucuruí aprovaram e estiveram no mês de março, em uma inspeção na Casa de Apoio em Belém, na oportunidade, uma “maquiagem” foi realizada, pela prefeitura em caráter de urgência, sendo feitas as adequações na “virada da noite”, para ludibriar os parlamentares, mostrando que as denuncias eram vazias, mas foi só os vereadores virarem as costas que tudo voltou ao caos social.

Novamente no mês de agosto, diversas denuncias foram publicadas do abandono instaurado na Casa de Apoio, onde a população que necessita da assistência do município para a manutenção de seus familiares enfermos está sendo negligenciada em Belém.

Há época, as imagens fortes provaram o que está ocorrendo há muito tempo com os enfermos dentro da Casa de Apoio, que, funciona sem condições de atender aos pacientes, por falta de recursos financeiros, ficando os pacientes sem parentes em Belém a mercê do local, sendo obrigados a passar as maiores privações e humilhações, convivendo com a falta de estrutura do prédio e a inexistência de mobiliário compatível para atender aos enfermos e seus acompanhantes, inclusive, sem alimentação, água potável e o transporte aos locais de consulta e internação.

Desde 2012, providências são cobradas da Prefeitura de Tucuruí através do prefeito Sancler Ferreira e do Secretário Municipal de Saúde e presidente do Conselho de Secretários de Saúde Municipais do Pará o advogado Charles Tocantins, para equacionar o caos e que atravessa a com a Casa de Apoio aos pacientes em Belém, que são obrigados a passarem por uma “via crucias”, para serem beneficiados com os recursos do Tratamento Fora de Domicilio (TFD) do governo federal, e que passada esta fase, ainda são obrigados a ficarem alojados em um local que não tem condições de atender aos enfermos, sendo um local insalubre, e que necessitava estar interditado urgentemente.

O forro da casa esta todo comprometido, as paredes estão com infiltrações, às camas na grande maioria estão quebradas, os colchões estão todos deteriorados e com sua espuma comprometida em função ao grande tempo de uso, a alimentação na garante uma dieta balanceada, isso quando é fornecida, a água potável vem diretamente da rua, e passa por um filtro que há anos não e trocado.

As acomodações são quentes e sem ventilação, a iluminação está comprometida com diversas fiações com “gambiarra”, os ventiladores não funcionam, servindo apenas de enfeite nas paredes e o ar condicionado que era para resfriar o ambiente, faz é esquentar os alojamentos.

Todas as tardes, como são de praxe as chuvas, os pacientes e seus acompanhantes vivem num “malabarismo”, para poderem se esquivar das enxurradas de água das goteiras existente em toda a casa.

O ambulatório, até tem alguns medicamentos e material para curativos, mas, é rara a presença de um profissional habilitado.

O transporte que deveria ser através de uma ambulância, desde 2010, foi retirado e ultimamente foi alugada uma Kombi “Amarela”, ano 2006, que mais parece de entrega dos Correios, o veículo não possui ar condicionado e sem cintos de segurança, os pacientes sofrem na quentura do carro, o condutor quando chega a sair na Kombi, fica gritando para os outros condutores nas ruas dando alerta, em função do carro não ter freio e nem buzina “sai da frente que aqui só vai doente”. É diário a Kombi ser rebocada de volta a Casa de Apoio no prego.

Mas, o consumo de combustível e uma coisa de louco, mais de 3 mil litros de gasolina são gastos ao mês, a maioria dos pacientes gastam diariamente cerca de R$ 50,00 a R$ 100,00 de com táxis, o Secretário Charles Tocantins, afirmou há vários meses atrás, que iria repor os gastos com transporte, infelizmente ficando apenas na promessa como ficou o conserto da Kombi que já vai para mais de 10 meses sem uma manutenção adequada.

No mês de agosto, no momento da publicação de umas das dezenas de matérias denunciando o descaso com os enfermos abandonados à própria sorte na casa de apoio da prefeitura de Tucuruí em Belém, o secretario de Saúde de Tucuruí Charles Tocantins, que e grande conhecedor da Casa de Apoio em Belém, haja vista, estar respondendo pela presidência do Conselho de Secretários de Saúde Municipais do Pará, e por este motivo exerce diariamente sua agenda de trabalho em Belém, informou que a Casa de Apoio é mantida por um programa do governo federal, que mensalmente repassa R$ 100 mil para o custeio da casa, sendo investido todo o recurso para este fim, mas esclareceu que no mês de setembro seria iniciada a reforma da casa alugada em Belém no bairro do Guamá onde funciona a Casa de Apoio e que outro local seria disponibilizado para o atendimento aos enfermos até a conclusão das obras.

Infelizmente, o Secretário Municipal de Saúde e presidente do Conselho de Secretários de Saúde Municipais do Pará o advogado Charles Tocantins, não esclareceu, em qual ano seria iniciada as obras, haja vista, já terem passado 90 dias de suas promessas, e nada foi feito na Casa de Apoio, inclusive, a situação esta a cada dia mais precária, e a população que paga seus impostos, e que tem conhecimento que o município de Tucuruí desponta como a 5ª maior arrecadação do Pará, está sujeitas a passar as maiores privações e humilhações para realizarem o tratamento à sua saúde em Belém.