Pesquise as matérias do JT:

domingo, 31 de março de 2013

Carro e fisgado por guard rail na Santo Antônio e Moto-taxista e pego de assalto






Por volta das 5 h da manhã deste domingo 31, um veículo de marca Voyage ano 1989, conduzido por um cidadão ainda não identificado, aparentando aproximadamente 50 anos, colidiu de frente na Rua Santo Antônio com a esquina da Rua Lauro Sodré, com as ferragens que garantem a proteção nas curvas os conhecidos guard rail.
O veículo foi literalmente fisgado pela ferragem, entrando no motor do veículo.
Segundo informações o motorista aparentava embriaguez e com o impacto súbito, bateu a testa no volante da direção, ocasionando um ferimento em sua testa, sendo levado para atendimento na UPA pelo serviço do Samu 192.
O interessante, que o veículo Voyage com quase 25 anos de uso, esta totalmente licenciado e podendo trafegar pelas ruas da cidade e do país. Coisa que não acontece muitos veículos novos que transitam pela cidade, em uma media de quase 50% que estão inadimplentes com a renovação dos seus licenciamentos.
Assalto a Moto-taxista – Ainda na madrugada deste domingo, foi registrado na Seccional de Tucuruí o assalto de um moto-taxista, a vítima foi Ademilson do colete 426.
Esperamos que todas as providências por parte da nossa atuante Polícia Militar que diuturnamente garante a segurança ostensiva da população e da Polícia Civil, para darem um fim definitivo nestes assaltos, haja vista, a possibilidade do retorno desta prática criminosa, que no passado causou muitas vitimas.
O novo presidente da Simotu João Evangelista conhecido popularmente como "Cabeça", provocará uma reunião com os responsáveis pelo setor de segurança no município para definir um plano de ação, e com isso, evitar o retorno da onda de assaltos a nossa categoria, "um dos meus compromissos e defender a integridade dos nossos filiados, e a garantia da excedência na prestação dos serviços", faremos a proposta que as viaturas da PM em serviço, façam blitz nas entradas dos bairros periféricos, com a realização de revistas nos passageiros e os condutores.

Situação de ameaçados de morte no Pará é grave



Roquevam Alves Silva é uma das lideranças do grupo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) que vive sobre ameaça de morte
Pelo menos 38 pessoas no sul e sudeste do Estado amanhecem o dia com a real sensação que pode ser o último. São pessoas marcadas para morrer, de acordo com a lista de ameaçados de morte feita pela Comissão Pastoral da Terra (CPT) a partir de levantamentos realizados nos municípios paraenses. São lideranças sindicais ou trabalhadores rurais que vivem sob ameaça constante e que passaram a ter mais receio em relação à própria vida depois do assassinato em 2011 do casal de extrativistas José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva, em Nova Ipixuna. Finalizado em agosto de 2012, o levantamento da CPT é o mais recente a respeito de ameaças de morte em consequência da luta pela posse da terra e mostra que a violência no campo ainda é palavra de ordem no lado de baixo do mapa do Pará.
O assassinato de José Cláudio Ribeiro da Silva e Maria do Espírito Santo da Silva é o capítulo mais recente do histórico de violência agrária no Pará. Nos próximos dias 3 e 4 de abril, José Rodrigues, Lindonjonson Silva e Alberto Lopes irão a júri popular, em Marabá, por serem acusados de ter envolvimento direto na morte dos extrativistas. Rodrigues é acusado de ser o mandante do crime, já Lindonjonson e Alberto são apontados como os executores do assassinato. É mais um caso de morte anunciada no campo, já que pelo menos dez anos antes de serem emboscados José e Maria denunciavam extração ilegal de madeira em Nova Ipixuna e se diziam ameaçados de morte.
“Diversos trabalhadores rurais e lideranças ameaçadas de morte fazem parte dos acampamentos de famílias sem-terras que reivindicam terras públicas ilegalmente ocupadas por fazendeiros e madeireiros. No sul e sudeste do Pará, são milhões de hectares de terras criminosamente grilados ou ocupados ilegalmente por latifundiários. As respostas que os trabalhadores rurais e suas lideranças têm recebido quando pressionam a liberação dessas áreas para a reforma agrária tem sido as ameaças e mortes por parte dos grileiros e ocupantes ilegais”, diz o advogado José Batista Afonso, da Comissão Pastoral da Terra.
Não é uma situação isolada. O número de ativistas ameaçados no país aumentou de 125 para 347 entre 2010 e 2011, segundo o relatório Conflitos no Campo Brasil. Somente em um ano, o número de ativistas ameaçados no país aumentou 177,6%. A CPT diz que a situação é particularmente grave no Estado do Pará. Segundo o Relatório de Investigação 2005 da Federação Internacional de Direitos Humanos (FIDH), o Estado representa 40% da superfície total desmatada no Brasil, e tem as taxas mais altas do país, tanto de escravidão como de ameaças a defensores dos direitos humanos. Doze dos 29 assassinatos de ativistas rurais brasileiros em 2011 ocorreram em solo paraense, garante a CPT.
ISOLADOS - De acordo com os Cadernos de Conflitos no Campo, nos últimos 10 anos 692 pessoas foram ameaçadas de morte no Estado do Pará. A maioria dessas ameaças no sul e sudeste do Estado. “Esse número, embora alto, não representa a totalidade das pessoas vítimas desse tipo de violência no campo. Muitos casos não são registrados porque as vítimas se encontram em municípios isolados ou em regiões que não têm a presença da CPT ou de outras entidades de defesa dos direitos humanos que possa fazer o registro das ameaças”, diz José Batista Afonso.
Em São Félix do Xingu, Juvêncio Coelho da Luz tem medo da escuridão e tem uma bala no peito como companheira diária. Membro do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de São Félix, é assentado pelo Incra desde 2004. Em 2011 recebeu uma proposta de compra da terra. Juvêncio recusou. Poucos dias depois enquanto roçava o pasto recebeu um tiro de revólver, calibre 32. A bala continua alojada no peito. Juvêncio Coelho da Luz registrou o ocorrido na Delegacia de Polícia de São Felix do Xingu, mas nenhuma providência efetiva foi tomada por parte da polícia. O agricultor mora atualmente na vila do Projeto de Assentamento Sudoeste, sem poder retornar ao próprio lote por medo de ser assassinado. Depois de baleado, vem sendo avisado do risco que corre.
Em Tucuruí, Roquevam Alves Silva é uma das lideranças do grupo Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB). As ameaças de morte sofridas por ele têm sido especificamente por denúncias feitas contra madeireiros de Tucuruí que extraem e vendem ilegalmente madeira nas ilhas do Lago da Usina Hidrelétrica de Tucuruí (UHT) e nas áreas de terra firme no entorno.
Depois das denúncias feitas por Roquevam Silva, madeireiros tiveram madeiras, balsas e equipamentos apreendidos pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e foram intimados pela Delegacia de Polícia Civil de Tucuruí. A partir daí, a vida de Roquevam virou de ponta cabeça. Teve a casa incendiada duas vezes e escapou de uma tentativa de homicídio. É o preço que vem pagando pela militância. “Perdi a liberdade. Me sinto inseguro, achando que a qualquer hora posso ser assassinado”.
O medo de Roquevam não é infundado. A história mostra que no sul e sudeste do Pará, ameaça de morte costuma ser promessa cumprida.

(Diário do Pará)

sexta-feira, 29 de março de 2013

Diário do Pará no Caderno Diário de Carajás:Conselheiro Tutelar é fastado do cargo, mas nega abuso


Wanderley Dourado conselheiro Tutelar de Tucuruí alega “armação” para seu afastamento


Conselheiro Tutelar de Tucuruí Wanderley Dourado
 Toda a documentação do atendimento da mãe Nazaré Pinto e da menor A.P.S., com o laudo do CAPS comprovando distúrbios psicológicos da adolescente
 Diplomação do Conselheiro Tutelar de Tucuruí Wanderley Dourado

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles
Na última quinta-feira (21), a sociedade tucuruiense recebeu estarrecida a decisão da Juíza de Direito Titular da 1ª Vara da Comarca de Tucuruí, Rosa Maria Moreira da Fonseca, que deferiu o pedido do Ministério Público do Pará de suspensão do mandato do conselheiro tutelar, Wanderley Lopes Dourado, sexagenário que possui deficiência visual.
A ação civil pública assinada pela promotora de justiça, Francisca Suênia Fernandes de Sá resultou de um procedimento de investigação preliminar que teve como objetivo apurar as informações prestadas por funcionárias do Conselho Tutelar de Tucuruí sobre o abuso sexual praticado pelo conselheiro tutelar, Wanderley Dourado contra uma adolescente em seu gabinete.
Segundo investigações a adolescente que tinha fugido de casa com o namorado, foi ao conselheiro tutelar, acompanhada de sua mãe para informar que retornaria ao convívio familiar, ocasião que em Wanderley Dourado pediu para ficar sozinho com a adolescente e abusou sexualmente da adolescente, alegando que estaria fazendo um exame ginecológico.
A adolescente saiu do gabinete chorando e perguntou “se era certo um conselheiro fazer exame dentro da sala dele”, em audiência na promotoria do município a adolescente e vítima de estupro confirmou as informações prestadas pelas funcionárias do Conselho Tutelar, e relatando o ato com detalhes.
O Ministério Público pediu e a justiça determinou na manhã da última quinta-feira (21), o afastamento do cargo de Conselheiro Tutelar de Wanderley Dourado, suspensão de remuneração e nomeação de outra pessoa para o cargo, comunicando à Secretaria de Política e Assistência Social e ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.
O MP também solicitou que a polícia seja oficiada para investigar o caso com informações já obtidas e repasse as informações que porventura sejam colhidas pela polícia.  
Wanderley Dourado afirma que foi armação - Em entrevista exclusiva com o Conselheiro Tutelar Wanderley Lopes Dourado, eleito com 1.544 votos em julho de 2011, e seu mandato se encerra em 2015, desabafou sobre as denúncias, e falou a sua verdade, esclarecendo que todas as acusações feitas a ele, são levianas e caluniadoras.
Ao longo de toda a sua de 30 anos como morador de Tucuruí, nunca teve seu nome maculado, sua cegueira foi causada em função a um baque que sofreu em sua cabeça, quando tinha 49 anos de idade, e desde aquela época perdeu totalmente sua visão, mas, não sua memória nem seu caráter e sua integridade. “Sou uma pessoa esclarecida, de cultura e princípios, minha vida e lapidada no seio da família, e nunca, aceitaria que nenhum familiar meu fizesse um ato criminoso, do qual estão me caluniando”.
A verdade – Segundo o conselheiro tutelar afastado por decisão judicial, a menor A.P.S. de 16 anos, esteve na sede do Conselho Tutelar, no último dia 15 de março, e após ser atendida pelo conselheiro. Foi encaminhada para exame psicológico no CAPS. Mas, em virtude do horário a administração do Centro de Apoio Psicossocial – CAPS remarcou a consulta com a psicóloga para o dia 20 de março, haja vista, os dias 18 e 19 serem datas de feriados municipais de Tucuruí, mas, na data e horário marcado a mãe da menor Maria de Nazaré Pinto, não chegou a tempo, com isso, sendo acionado o Conselheiro Wanderley Dourado que foi ao CAPS e consegui o atendimento da menor para as 14 h, foi então que, após a saída de Wanderley, um cidadão de nome “Roberto” retirou a família que aguardava o atendimento pela médica psiquiatra Lenise Barros, e com a desculpa de fornecer a eles o almoço, levou à senhora Nazaré e a menor A.P.S., para um restaurante, e sem saber quais os motivos, após o almoço levou a família a presença da Promotora de Justiça Francisca Suênia Fernandes de Sá no prédio sede do Ministério Público de Tucuruí para registrar denunciar contra o Conselheiro Wanderley Dourado por estrupo a menor A.P.S.
No dia seguinte na quinta-feira 21, como ficou combinado, sem saber da “casinha” que já tinham tramado contra o conselheiro, Wanderley Dourado logo cedo foi até a residência da menor e falou com a sua mãe Nazaré Pinto, e solicitou o laudo da médica para tomar as providências necessárias ao caso, sendo informado que a menor não foi atendida, de pronto, o conselheiro levou os familiares e a menor até o CAPS, e exigiu o atendimento da paciente encaminhada pelo Conselho Tutelar de Tucuruí, sendo informado pela direção do órgão, que que a mãe da menor teria saído do prédio antes que a médica retornasse ao atendimento, inclusive na companhia do Conselheiro Roberto do Conselho Municipal dos Diretos da Criança e do Adolescente, foi em função de sua ausência que não houve o atendimento. Ao ser perguntado por Wanderley o motivo que Roberto teria retirado a menor antes do atendimento do CAPS, a mãe Nazaré afirmou estarem com muita fome e o conselheiro Roberto ofereceu pagar o almoço a família.
Mas, após o efetivo atendimento da menor, e de posse do laudo, o conselheiro Wanderley Dourado retornou a sede do Conselho e levou de carona os familiares da menor, após ter acesso através de leitura de sua auxiliar do conteúdo do laudo médico do CAPS, Wanderley clamou a mãe Nazaré e orientou que conforme o exame foi identificado um desiquilíbrio psicológico e passou a entregar a mãe, as requisições dos exames e tratamentos orientados pela médica psiquiatra. As 13 h, o conselheiro Wanderley Dourado saiu da sede do Conselho e solicitou que a mãe e a menor lhe acompanhasse que ele as levaria na Kombi na instituição a sua residência, sendo informado que a mãe Nazaré Pinto estava sendo atendida pela Conselheira Tutelar Raimunda Jansen, que estaria providenciando alguns colchões através da Ação Social da Prefeitura de Tucuruí.
O afastamento – As 15 h da quinta-feira dia 21 de março, após sua saída da sede do Conselho, ao chegar a sua casa, foi acionado pelo oficial de justiça, comunicando seu afastamento do Conselho Tutelar pelo motivo de ter praticado atos libidinosos contra vulnerável.
Desafio - Wanderley Dourado desafia a todos os envolvidos neste imbróglio, e que estão no rol de testemunhas, que irá até as últimas estâncias para provar a sua inocência, haja vista, pessoas que lá estão como testemunhas não estavam presentes na sede do Conselho no dia e hora alegado nos autos de ter ocorrido o suposto crime, inclusive, que é mentira deslavada, que a menor teria saído de sua sala, gritando e chorando em função da tentativa de estrupo. “Tenho minha consciência alva e pura que nada fiz, mas, a calúnia não doe só ao caluniado não, doe muito mais para quem tem que provar o que não existiu, a consciência fica pesada e a mão de Deus pesará até que a verdade seja colocada às claras”.
Lamento que meu nome tenha sido enlameando, mas, sei que estas retaliações são em função das minhas posições em defesa dos interessas coletivos, quer sejam contrários aos dirigentes de órgãos governamentais ou dos nossos responsáveis pela defesa da população os nossos promotores do Ministério Público.
Isso deve ter deixado muita gente que não cumpri as leis de “saia justa”, e, por isso, tentam de todas as formas me difamarem, através destas armações sórdidas, que serão esclarecidas e a verdade será reposta, mas, tenham a certeza que após minha defesa e a comprovação da mentira e da armação, com a declaração de minha inocência, falarei toda a verdade identificando quem são as pessoas que armaram esta vulgar armação contra a minha pessoa.
Wanderley Dourado finalizou dizendo, “deito em minha cama, mesmo sem ter visão, e fecho meus olhos e durmo com minha consciência tranquila e abençoada, mas, os meus algozes caluniadores estão amargando noites a fim de insônias, por saberem que não terão como provar a mentira montada contra mim, tendo eles que viver inquietos e sem tranquilidade da alma e do coração, um ditador popular de sabedoria finaliza este meu desabafo “a mentira tem perna curta””.

Diário do Pará no Caderno Diário de Carajás: Movimento intenso na rodoviária de Tuicuruí


Movimentação intensa na rodoviária de Tucuruí


Gisele Vanni adquiriu sua passagem e vai passar a Semana Santa com seus pais em Belém
WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles
Desde o início da semana a corrida aos guichês de venda de passagens localizados na rodoviária de Tucuruí e na Vila Permanente é intensa para garantir à viagem de vista a família, sendo registrada uma movimentação na chegada e saída de passageiros, em função ao feriadão da Semana Santa, com um aumento de mais de 30% na venda de bilhetes de passagens para diversos municípios paraenses e para outros estados, inclusive com a colocação de ônibus extras para atende a demanda.
A Semana Santa é o momento do reencontro dos familiares, que neste período mesmo estando longe de suas casas, realizam todos os esforços para estarem presentes em família. 
Aumento – Mesmo com os preços salgados das passagens, que tiveram um aumento superior a 16% no último mês de janeiro, em comparação ao mesmo período de 2012, todos os esforços estão sendo realizados para aproveitarem o feriado, junto à família para a comemoração da ressurreição de Jesus Cristo com a Páscoa dos cristões.
Em Tucuruí, centenas de pessoas estão deixando a cidade, a empresa concessionaria dispõem sete horários diferenciados, com uma média diária de 350 passageiros, inclusive com a colocação de ônibus extras que absorvem mais 200 passageiros neste período de feriado. De Belém para Tucuruí além das linhas diárias, diversos ônibus extras são escalados para atender a demanda que quase duplica neste período.
Reclamações – Muitos passageiros reclamam do valor da tarifa, que sofreu aumento em janeiro, mas, os veículos continuam sem oferecer o mínimo conforto em viagens que duram mais de oito horas, como é o caso de Tucuruí a Belém, é fato que a empresa coloca diariamente um ônibus executivo que sai a meia noite, mas, nem todos têm condições financeiras para adquirir a passagem que tem o valor diferenciado, e os passageiros na grande maioria não gostam de viajar a noite em função do aumento da probabilidade de assaltos nas estradas. Com isso, a reclamação e geral, com a falta de banheiro nos ônibus que trafegam durante o dia e os diversos pontos de paradas no trecho, ocasionando o aumento do tempo de viagem em quase 50 %.
O passageiro Artur Couto, 19 anos, que estuda no curso universitário em Belém, reclama dos aumentos cotidianos na passagem, até dezembro de 2012, estávamos pagando o valor de R$ 48,58 nas passagens de dia, passando com o aumento para R$ 56,33.
Mas, o que não entendemos o porquê, que os ônibus continuam os mesmos, e sem banheiros, ainda mais, com uma grande quantidade de veículos no prego nas estradas, que sempre prejudicam os passageiros em função da espera sem fim de outro veículo para absorver os passageiros que ficam nas beiras das estradas e não chegam aos horários de seus compromissos nos seus destinos.
Já as passagens noturnas, o aumento foi ainda maior passou do valor de R$ 64,87 para R$ 72,35, com a alegação de o ônibus ser executivo, com banheiro no veículo. “O pior disso tudo, é que não temos para quem reclamar está tudo dominado”.
Segundo o usuário do transporte intermunicipal Flávio Araújo, a empresa cobra uma tarifa muita alta na passagem sem oferecer o conforto e a comodidade necessária a uma viagem tão longa, e ainda mais, somos forçados a pagar a taxa de embarque na rodoviária de Tucuruí no valor de R$ 1,60.
Mas, não temos o mínimo do conforto nas dependências da rodoviária, os banheiros continuam sujos e com vazamentos, as lâmpadas queimadas, o ambiente não têm o mínimo de segurança, e inclusive a limpeza do local fica a desejar. “Não sabemos aonde vai parar estes recursos recolhidos das nossas taxas de embarque”.
Para a passageira Gisele Vanni, que adquiriu sua passagem para passar o feriado em Belém, esclareceu que todos os esforços feitos, são gratificantes, em função da felicidade de estar junto aos familiares no período de Pascoa. “Temos, além do valor absurdo da passagem, que passar horas a fim nas viagens, aguentando os buracos na PA-150, os riscos de assaltos, e ainda de ônibus ficar no prego, mas, tudo acaba com a certeza de chagar no aconchego do lar e receber o carinho dos pais e comemorar o renascimento de Jesus”.



quarta-feira, 27 de março de 2013

Cinco idosos morrem em 48 h no Hospital Regional de Tucuruí



 Hospital Regional de Tucuruí
WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles
Após a publicação da matéria “Infecção no Regional”, que denunciou a existência de infecção hospitalar através da bactéria Klebsiella nas dependências do Hospital Regional de Tucuruí, na edição do Diário de Carajás da última sexta-feira (22), muitas outras informações chegaram ao conhecimento da equipe de reportagem, inclusive que muitos outros pacientes estavam recebendo o tratamento com antibiótico de alta complexidade, para evitar o avanço da bactéria Klebsiella.
Dentre as informações, a que trousse maior preocupação foi a da morte de cinco idosos, que estavam internados no Hospital Regional de Tucuruí, entre as idades de 65 a 83 anos. Os pacientes estavam em tratamento na grande maioria por debilidade em função as suas idades, apresentavam baixa resistência, inclusive um dos óbitos foi de uma senhora idosa que usava um marca-passo.
As mortes ocorreram entre os dias 20 e 21, sendo que, em 48 h, quatro senhoras idosas e um idoso de 83 anos, foram a óbito, segundo informações dos familiares, as pacientes mulheres estavam internadas todas próximas na mesma enfermaria.
É prematuro, realizar quaisquer especulações das causas das mortes, mas, causou muitas suspeitas, haja vista, a proliferação da bactéria Klebsiellla no interior do Hospital Regional, é fato, que as informações prestadas pela coordenação do HRT aos familiares, é que os óbitos foram em função da grande debilidade na saúde dos internos idosos, que culminou com os seus falecimentos.
Mas, duas famílias não convencidas, solicitaram a realização de perícia através do Instituto Médico Legal Renato Chaves, para que sejam identificadas as causas das mortes.
É fato, que desde o mês de janeiro a equipe de reportagem sempre esteve mantendo contatos com o diretor do HRT Devaldo Rodrigues, mas, que passado estes quase 90 dias, nenhuma medida foi tomada para equacionar a proliferação da bactéria Klebsiella nas dependências do único Hospital de Alta e Média Complexidade, que atende a toda população da região que engloba os sete municípios do entorno do Lago da Usina de Tucuruí.
A ação de omissão, se por acaso for comprovada, com a identificação da bactéria Klebsiella, através de laudo do Renato Chaves, realizado através de necropsia nas idosas que foram a óbito, poderá gerar ações judiciais para apurar as responsabilidades, e inclusive, cabendo uma ação de indenização contra o governo do estado, às famílias que tiveram a perda de seus entes queridos sob a responsabilidade do Hospital Regional de Tucuruí.
Equipamento – A direção do Hospital Regional de Tucuruí, exercida pelo médico Devaldo Rodrigues, que administra um dos maiores orçamentos do setor de saúde do estado, superior a diversas prefeituras da região, adquiriu no final de 2012, um aparelho de ponta, para diagnosticar as infecções hospitalares por meio de exames de cultura automatizada.
O equipamento é necessário em todas as unidades de saúde, pois é fundamental para identificar o perfil dos microrganismos circulantes no ambiente hospitalar, além de possibilitar a identificação de cada um para definir a sensibilidade aos antibióticos. O aparelho garante eficiência e eficácia no tratamento das infecções.  
Foi em função a existência deste equipamento, que a Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do HRT, coordenada pela médica infectologista Henriana Serra, teve condições de identificar com exatidão a existência da bactéria Klebsiella nas dependências do HRT, que inclusive, através de entrevista concedida via telefone à equipe de reportagem, e que foi gravado todo o seu conteúdo, a médica Henriana Soares Serra, afirmou a existência da bactéria Klebsiella nas dependências da UTI Adulto e na UTI Neonatal do Hospital Regional de Tucuruí. 
Sespa esclarece suposto caso de infecção hospitalar no Hospital Regional de Tucuruí - Em nota a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará – Sespa. Em relação a matéria sobre o suposto caso de infecção hospitalar no Hospital Regional de Tucuruí (HRT), publicada na última  sexta-feira, 22, no Diário de Carajás, do Jornal Diário do Pará, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) esclarece que a Coordenação Estadual de Controle de Infecção Hospitalar já entrou em contato com a Vigilância Sanitária do município de Tucuruí e ainda com representantes da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) do HRT, que asseguram não haver proliferação e identificação de infecção hospitalar por KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase), no hospital.
A coordenadora da CCIH, Henriana Serra, esclarece que até o momento nenhum dos óbitos ocorridos entre os dias 20 e 21 deste mês, está relacionado à infecção. Mas, o relatório das causas está em andamento e será finalizado no próximo mês, segundo normas da vigilância.
O HRT ressalta que foi adquirido recentemente um aparelho para diagnosticar as infecções hospitalares  por meio de exames de cultura automatizada.  O equipamento é necessário em todas as unidades de saúde, pois é fundamental para identificar o perfil dos microrganismos circulantes no ambiente hospitalar, além de possibilitar a identificação de cada um para definir a sensibilidade aos antibióticos. O aparelho garante eficiência e eficácia no tratamento das infecções.  
O hospital ainda destaca que no mês passado os funcionários receberam orientações sobre KPC (Klebsiella pneumoniae carbapenemase) e outras klebsiellas, apenas para prepará-los sobre como proceder em caso de bactéria.
A Sespa ressalta que existe um trabalho permanente de vigilância e controle de infecção hospitalar em todas as unidades hospitalares do Estado, trabalho que é feito de forma integrada com as Vigilâncias Sanitárias e Epidemiológicas dos municípios paraenses.





terça-feira, 26 de março de 2013

Paciente apela por transferência do HRT



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles
Passado dez dias do acidente de moto, que vitimou Lucas Renato Vieira, conhecido popularmente como “Nargila” de 18 anos, morador da Rua Fortaleza, 38 no bairro Bela Vista em Tucuruí. Sendo que na ocasião o paciente, teve fraturas múltiplas em sua perna esquerda, e recebendo toda a assistência no Hospital Regional de Tucuruí – HRT, onde se encontra internado em um dos leitos da enfermaria masculina, aguardando, a mais de uma semana sua transferência para outro Hospital em Belém, que tenha condições de realizar a cirurgia em seu fêmur próximo a bacia, tendo em vista, que para a realização da cirurgia do traumatismo de Lucas, o HRT não está preparado com todos os equipamentos necessários, para a garantia da eficiência da operação, sendo este, um dos principais motivos para a transferência do paciente a capital.
Na enfermaria masculina, onde o paciente esta internado há dez dias, os internos estão preocupados com a proliferação da infecção através de bactéria Klebsiella, com isso, a preocupação com a urgência da transferência deste paciente, que já realizou sua primeira cirurgia em Tucuruí, mas necessita de outra intervenção em hospital especializado na capital.
O jovem Lucas Vieira conhecido como “Nargila”, vem sofrendo com fortes dores, em função da fratura na sua perna, a família procurou nossa equipe de reportagem, para fazer um apelo às autoridades do estado e os responsáveis pela administração do HRT, “pelo amor de Deus e ao próximo, consigam a remoção urgente do Lucas para Belém, ele não consegue mais resistir a tanta dor e sofrimento, ele está sendo atendido e tratado muito bem pela equipe do hospital, mas, a dor não tem hora, o sofrimento e tão grande que às vezes ele fala que desejaria até não ter sobrevivido do acidente, pedimos ao secretario de saúde do governador do Pará, que autorize o diretor do Regional Devaldo Rodrigues para realizar a transferência de Lucas, porque, a dor de ter uma perna quebrada e estar a mais de dez dias numa cama sem ter feito a cirurgia, só ele Lucas, e que estar sentindo”.
Em nota a assessoria de comunicação da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará - Sespa, informou que o paciente Lucas Renato Vieira, já está em processo de transferência, aguardando apenas a liberação de um leito em um hospital de Belém, para que seja realizada sua transferência e posterior cirurgia, que inclusive o paciente terá toda a assistência através do programa de Tratamento Fora de Domicílio - TFD.

domingo, 24 de março de 2013

Quadrilha de assaltantes leva a pior é vai parar no xilindró

 JOELISON DOS SANTOS RIBEIRO
 ALMERAN BARROSO DA SILVA

WALLACE LIMA BATISTA

Quadrilha especializa em “serviços gerais” caiu na malha da Polícia
WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Fotos: Wellington Hugles
Em uma semana muito movimentada na Seccional de Tucuruí, a equipe de investigadores sob o comando do delegado Bel. Jivago Ferreira colocou atrás das grades os nacionais Wallace Lima Batista e Joelison dos Santos Ribeiro, que faziam parte da quadrilha especializada que estava impondo o terror na cidade, com a execução de assaltos a postos de gasolina, estabelecimentos comerciais e outros crimes, faziam parte da quadrilha os menores de iniciais I.B.S. e F.S.S.
A prisão em flagrante delito, ocorreu durante a madrugada da quinta-feira (21), após os criminosos terem assaltado o funcionário do posto de combustível Beira Rio no bairro do Mangal, armados com revolveres levaram toda a renda do bombeiro.
“Milharina”  – Na tarde da quarta-feira (20), foi realizado o cumprimento da prisão do foragido da Justiça Almeran Barroso da Silva, mais conhecido por "Milharina", em pleno centro da cidade de Tucuruí.
O foragido “Milharina”, estava sentenciado a 17 anos e 08 meses de reclusão pelo crime de homicídio qualificado ocorrido em 2007 na rodovia Transbomjesus, zona rural da cidade.
Na época do crime, “Milharina”, utilizando-se de uma espingarda tipo cartucheira, de forma covarde, ceifou a vida da vítima conhecida por "Baiano".  
Todos os criminosos já foram transferidos ao Sistema Penal e encontram-se à disposição da Justiça.
Todos os procedimentos foram tombados inquéritos pelo delegado plantonista Bel. Jivago Ferreira, sob a coordenação da Superintendente Regional do Lago de Tucuruí, Dra. Marcia Goreti da Silva Machado.
A delegada Marcia Goreti, que assumiu recentemente a superintendência da regional do Lago de Tucuruí, reafirmou seu compromisso em fazer cumprir as atribuições constitucionais da Polícia Civil em Tucuruí e em toda a região de abrangência da sua regional.

“Cabeça” eleito presidente do Simotu


Novo presidente da Simotu João Evangelista conhecido popularmente como “Cabeça
WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Fotos Wellington Hugles
O Sindicato dos Moto-taxistas de Tucuruí (Simotu), realizou neste domingo (24), a eleição para a escolha da nova diretoria da entidade, três chapas concorreram ao pleito, dos 380 sócios aptos a votar, 237 compareceu para o exercício do voto, sendo eleita a chapa 3 com 94 votos.
A eleição para a nova diretoria da Simotu teve início as 9 h deste domingo (24), e término previsto para as 17 h, a votação foi realizada na sede administrativa do Sindicato dos Moto-taxistas no bairro São Francisco, e foi coordenada pelos membros do Conselho Interativo de Segurança e Justiça-Cisju de Tucuruí, tendo a frente o cabo PM Félix, Nunes, Rutilene, Miranda, Antônio e coordenada pela presidenta Regina Valente, compareceram a votação 237 eleitores.
Três chapas foram registradas e disputaram o pleito, a chapa 1 que tinha como candidato a presidente Gonzaga, a chapa 2 presidente Marlon e a chapa 3 presidente João Evangelista conhecido popularmente como “Cabeça”, que destaca-se como um dos sócios-fundadores da entidade.
Segundo o atual presidente da Simotu “Banha”, a eleição ocorreu dentro de toda a normalidade, garantindo o respaldo necessário e o reconhecimento da maioria absoluta dos associados na escolha da nova direção do sindicato.
Após o encerramento da votação, a equipe do Cisju juntamente com os membros representantes da três chapas, iniciaram a apuração dos votos sendo anunciado o resultado oficial, do total de 380 eleitores, 237 exerceram o direito ao voto, sendo registrado 1 voto em branco, 63 votos chapa 2, 79 votos chapa 1 e eleita com 94 votos a chapa que tem como presidente João Evangelista do Espirito Santo conhecido popularmente como “Cabeça”.
A coordenação do Cisju através da sua presidenta Regina Valente convidou o atual presidente “Banha” para realizar o ato de transferência de cargo ao novo presidente do Simotu “Cabeça”, cabendo a coordenadora do processo eleitoral realizar o ato de posse a João Evangelista e sua diretoria para o mandato de três anos que se inicia hoje, na direção do Sindicato dos Moto-taxistas de Tucuruí (Simotu).

Moto-taxistas da Simotu vão às urnas para eleger nova diretoria






WELLINGTON HUGLES 
De Tucuruí
Fotos: Wellington Hugles


O Sindicato dos Moto-taxistas de Tucuruí (Simotu), realiza neste domingo (24), a eleição para a nova diretoria da entidade, três chapas concorrem ao pleito para um universo de 380 eleitores.
A eleição para a nova diretoria da Simotu teve início as 9 h deste domingo (24), e término previsto para as 17 h, a votação está sendo realizada na sede administrativa da entidade e coordenada pelos membros do Conselho Interativo de Segurança e Justiça- Cisju: CB. Félix, Nunes, Rutilene, Miranda, Antônio coordenada pela presidenta Regina Valente, até às 16 h, dos 380 filiados que tem direito a voto, apenas 191 sócios compareceram a votação.
Três chapas foram registradas e disputam o pleito, a chapa 1 tem como candidato a presidente Gonzaga, a chapa 2 Marlon e a chapa 3 João Evangelista conhecido popularmente como “Cabeça”, um dos sócios-fundadores da entidade.
Segundo o atual presidente da Simotu “Banha”, a eleição está correndo dentro de toda a normalidade, inclusive já ultrapassamos os 50% dos sócios aptos a votarem, com isso, dando respaldo para a eleição do novo presidente de nossa entidade.
Logo após o encerramento da votação, será realizada a apuração e posse dos novos diretores do Simotu pela equipe do Cisju.

Motorista dorme ao volante e derruba poste na BR 422






WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Fotos: Wellington Hugles

Por volta das 4 h da manhã deste domingo (24), o motorista Augusto Cezar Fonseca Saraiva, que conduzia a Caminhonete L 200 de placas OFV 5200 de Belém-PA, dormiu ao volante no momento que se aproximava do posto de fiscalização da entrada da Vila Permanente.
O motorista saiu de sua pista e direcionando-se pela contramão e chocando-se com um poste de alta tensão.
Por pouco, o acidente não foi fatal, haja vista, a caminhonete estava em alta velocidade, e passou a poucos metros do funcionário da empresa de vigilância patrimonial Saga, que se encontrava de serviço na longarina de saída da Vila Permanente.
Devido a alta velocidade a caminhonete só parou ao colidir com o poste, que quebrou em diversos pedaços, mas, o condutor do veículo não sofreu nenhum ferimento, em função, da ação dos dois airbag que foram acionados no momento da batida.
Segundo informações do motorista Augusto Cezar Fonseca Saraiva, ele teria viajado de Belém a Tucuruí durante a noite, e que, naquele momento estava chegando de viagem, mas, devido ao cansaço foi pego pelo sono, e só voltou a si, quando do momento do impacto com o poste.
Até as 14 h deste domingo, o veículo ainda não tinha sido removido do local do acidente pela empresa seguradora, mas, em função do poste estar eletrificado e em risco de cair, a equipe da Saga, tratou de isolar o local e transferiu tanto a entrada como a saída de veículos para a Vila Permanente, apenas em uma pista.
Por volta das 13 h, a equipe da concessionaria de energia realizou a substituição do poste e o restabelecimento da energia.

sexta-feira, 22 de março de 2013

Diário do Pará no Caderno Diário de Carajás: Confirmada Infecção no Hospital Regional de Tucuruí



Diário do Pará no Caderno Diário de Carajás: Líder comunitário leva seis tiros em atentado




Diário do Pará no Caderno Diário de Carajás: Vigilante é encontrado com Bala na Cabeça


Abatedouro de Tucuruí interditado


Imagens dos serviços que estão sendo executados por uma empresa terceirizada contratada pela Prefeitura de Tucuruí no prédio do Matadouro Municipal









 


























WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Fotos Wellington Hugles
Na manhã da última terça-feira (12), o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira anunciou o fechamento do Matadouro Público Municipal de Tucuruí através de Decreto Municipal, pelo período de 30 dias, para que sejam feitas as devidas reformas e adaptações necessárias para a continuidade dos serviços de abatedouro de animais, com as mínimas normas de qualidades e higiene previstas pela Anvisa, Adepará, Sema, Vigilância Sanitária e do Serviço de Inspeção Municipal.
O decreto determinou que uma empresa especializada fosse contratada para realizar o abate e o transporte da carne para atender a população de Tucuruí.
Com isso, os terceirizados responsáveis pelo Matadouro continuam a realizar a aquisição dos animais, e a prefeitura assumiu o pagamento do transporte dos animais até a cidade de Marabá, para serem abatidos e posteriormente retornarem em caminhões como câmeras frias para a distribuição da carne na cidade.
Nos primeiros dias da entrada em vigor do decreto, a população ficou sem carne, devido às dificuldades para o transporte do gado a Marabá, mas, que gradativamente foram resolvidas.
O decreto observa ainda, que a qualquer tempo poderá ser prorrogado o prazo da execução das obras, dependendo do andamento dos serviços, inclusive, segundo informações da assessoria de comunicação da Prefeitura, serão disponibilizados através da Ação Social, no período do fechamento do Matadouro, uma cesta básica mensal as mais de 300 famílias que sobrevivem do funcionamento do Matadouro, e que foram afetadas com a sua interdição.
O decreto que mesmo extemporâneo, vem atender uma das mais antigas reivindicações da população, realizada através de seus representantes, e que muitas vezes foram denunciadas ao Ministério Público e a Secretaria de Estado de Meio Ambiente – Sema. Que inclusive no mês de Maio de 2011 as 9 h da manhã, os Agentes da Sema realizaram o auto de interdição do Matadouro, em função ao estado de insalubridade do local e sua localização dentro de uma Área de Proteção Ambiental - APA, mas, após o retorno da equipe da Sema para Belém, após 5 horas do fechamento do local, os administradores do abatedouro, apresentaram um ‘papel’, dizendo que estava autorizado pela justiça seu funcionamento, e com isso já se passaram quase três anos, funcionamento através de decisão liminar da Justiça de Tucuruí.
Passado três anos, da interdição do Matadouro Publico de Tucuruí, novamente veio à tona, e o estado de abandono e o risco de contaminação da carne que era abatida diariamente no local e fornecido a população, e devido a ampla exposição do fato nos meios de comunicação do estado, diversas reuniões foram realizadas, mas, a presença do Secretario da Sema José Colares a Tucuruí para participar da reunião do Conselho Gestor da APA, foi decisiva para efetivamente o caos no abatedouro de Tucuruí ter um fim.
Na reunião que ocorreu no último dia 9 de março, o secretario José Colares foi contundente em afirmar que o matadouro será interditado pela Sema ainda no início daquela semana, até que outra providência seja tomada para a garantia da prestação do serviço com qualidade. “O estado não pode ser conivente com esta realidade de insalubridade do abatedouro de Tucuruí, por que, no final, serei eu que comando a Sema que serei crucificado e acionado pelo MP ou pela Justiça por estar tendo conhecimento da situação que coloca em risco a saúde de toda a população e não tomar providências para proibir o funcionando do abatedouro”. Mas o prefeito Sancler Ferreira se antecipou a decisão da Sema, e fechou o abatedouro para melhorias na estrutura do prédio no último dia 12.
Sema – A publicação do Decreto do prefeito Sancler Ferreira, não invalida a decisão tomada pelo Secretario de Estado de Meio Ambiente José Colares, que afirmou que assim como em Capanema, Tucuruí terá seu abatedouro interditado, por dois motivos, a insalubridade do local, e o mais agravante, sua localização dentro de uma Área de Proteção Ambiental – APA.
Inclusive, é fato que mesmo com a medida municipal de fechar através de Decreto o Matadouro, estava mantida a reunião que ocorreria na última sexta-feira (15), entre a Sema e Prefeitura de Tucuruí no Palácio dos Despachos do Governo do Estado em Belém, para assinar o Termo de Ajuste de Conduta – TAC, que não foi realizada, mas, com toda a certeza o secretário José Colares, deverá anunciar nova data para a assinatura do TAC, haja vista, que os vereadores de Tucuruí em sessão ordinária aprovaram a Lei Municipal que autorizou o prefeito Sancler Ferreira a realizar a Concorrência Púbica para a Construção e Instalação de um Frigorífico e em consequência um Abatedouro, com isso, dentro do TAC tem que ser observada a transferência do local onde está instalado o Matadouro Municipal dentro de uma APA, para outra área fora de proteção ambiental e do Lago de Tucuruí.
Reforma – A equipe de uma empresa terceirizada esta realizando há alguns dias os serviços de reforma do prédio, mas, segundo informações do responsável, nenhum projeto ainda foi concluído, e o custo da obra ainda não foi avaliado. Normalmente quando se inicia uma obra deste porte, primeiramente a prefeitura realiza a licitação e posteriormente o contrato da empresa que realizará a obra, mas, parece que devido ao decreto do prefeito estes tramites não foram cumpridos.
Segundo os funcionários que estão trabalhando na obra, os serviços deverão ser concluídos no mínimo em seis meses. Com isso, a municipalidade deverá pagar neste período, todos os custos dos fretes para os abates e o retorno da carne já em carcaça para Tucuruí, além de cestas básicas aos atingidos pelo fechamento do abatedouro, gerando um gasto altíssimo aos cofres da prefeitura, que diretamente recai no bolso dos contribuintes.