terça-feira, 23 de setembro de 2014

Coronel Barata comemora aniversário

Coronel Pedro Paulo Barata em níver

Quem esta trocando de idade nesta terça-feira (23), e o comandante do CPR IV, o Coronel Pedro Paulo Barata, homem de grande fibra, e de um carisma inigualável. Competente e de uma dedicação em defesa do bem estar social e da segurança da população de Tucuruí, região e do estado.

Barata conhecido por todo no Pará, destaca-se como um ícone na segurança pública do estado, sendo considerado um dos grandes responsáveis pela redução e a estabilidade dos índices de criminalidade por onde comando, e destaca-se aqui na região retrocedendo os números alarmantes que assolavam a região, e logo após assumir o CPR IV, unidade responsável pelo segurança de boa parte dos municípios da região sudeste do Pará.

Seus familiares comemoram a feliz data, agradecendo a Deus pela oportunidade da convivência em família, e pelos ensinamentos que Barata transmite aos seus entes queridos, amigos, admiradores, companheiros de farda e a população em geral.

Com o início da primavera nesta data, mostra-se a delicadeza da especial data em que Barata chegou ao mundo, mas ao mesmo tempo, mostra o carinho e a beleza das flores, que mesmo com o poder dos espinhos que asseguram seu caule, e neste sentido mostra que o nosso amigo Coronel Barata sempre prima pela forma consciente e transparente de fazer segurança, mostrando que é possível ser militar, levando o diálogo e a conscientização que o crime não leva ninguém a lugar nenhum, sendo uma forma de demostra a fragilidade do ser humano.


Parabéns Coronel Barata, são os sinceros votos de todos os seus familiares, amigos, admiradores e dos seus comandados da PM, além dos amigos que compõem os órgãos que de Segurança Pública de Tucuruí e região, e dos seus comandantes e amigos colaboradores de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará, Novo Repartimento, Tailândia e Pacajá.

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Transcametá: Mototaxista assinado com 4 tiros em Tucuruí



 Ramon Gonçalves de Oliveira, vítima de assassinato na noite do domingo (21), na rodovia Transcametá, em Tucuruí

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A noite deste domingo (21) foi de grande movimentação pela classe dos mototaxistas da cidade de Tucuruí, região sudeste do Pará, em função ao assassinato do mototaxista Ramon Gonçalves de Oliveira, morador do bairro São Sebastião, tudo ocorreu por volta das 23 h, seu corpo juntamente com a motocicleta de trabalho foram encontrados as margens da rodovia BR 422 (Transacametá), na altura do KM 3.

Após o assassinato ou latrocínio de Ramon Gonçalves de Oliveira, pessoas que passavam pela rodovia observaram o trabalhador jogado ao chão, e acionaram a PM e o 192, que ao chegarem ao local do fato, observaram que Ramon estava morto, segundo os policiais, foram constatados quatro perfurações de balas a queima-roupa, sendo, dois tiros na nuca, um na costa e um no rosto, na altura do globo ocular.

Populares que se aglomeraram no local do crime, identificaram imediatamente a vítima como Ramon Goncalves de Oliveira, segundo informações de pessoas conhecidas que não quiseram ter seus nomes divulgados, afirmou que Ramon vinha sofrendo ameaças de morte já há algum tempo, fato que culminou com um período de ausência de Ramon de Tucuruí, com o seu retorno há pouco mais de 15 dias, ele começou a fazer “bico” à noite como mototaxista.

A Polícia Civil iniciou o trabalho de investigação, e todas as vertentes serão analisadas, mas tudo leva a crer que a morte do mototaxista tenha envolvimento com acerto de contas, por “broncas” do passado, mas não se descarta a hipótese de um provável latrocínio.

A equipe de remoção do IML de Tucuruí foi acionada, juntamente com os peritos do Renato Chaves que fizeram o levantamento de local do crime, as capsulas dos projéteis deflagrados foram encontrados ao lado do corpo da vítima.


Segundo informação da direção da instituição, será realizada a necropsia no corpo de Ramon Gonçalves de Oliveira, e no início da tarde o féretro estará liberado para que seja providenciado o funeral pelos familiares.


sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Incompetência: Obras da prefeitura de Tucuruí causam destruição em residência de idosa que é deficiente visual

 A dona de casa Izabel Alves da Silva, aposentada, 65 anos, que há 25 anos sofre sem visão, mostra sua casa toda destruída em função as obras irregulares da prefeitura de Tucuruí 
















 O Promotor de Justiça Francisco Charles Pacheco Teixeira, vistoriando as obras intermináveis dos Postos de Saúde e do Hospital Municipal de Tucuruí
O Secretário de Saúde o advogado Charles Tocantins e a Procuradora da Prefeitura Idalena Barroso mentiram novamente, afirmando ao Promotor de Justiça que os Postos de Saúde de diversos bairros seriam entregues no último dia 15 de setembro passado

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Mais uma vez a Prefeitura de Tucuruí através da gestão do prefeito Sancler Ferreira (PPS), vem à tona mais um escândalo em função a incompetência e a falta de bom senso, para o atendimento a população, desta vez, em função ao retorno repentino das obras do Posto de Saúde do Bairro da Cohab, em Tucuruí, na região sudeste do estado, que até o ano de 2010 estava funcionando normalmente, mesmo com suas limitações, atendia mensalmente cerca de 5 mil pacientes, mas em função a decisão do prefeito, em buscar recursos federais, mandou derrubar o prédio, com isso, a população amarga 4 anos de descaso, sem o atendimento a saúde básica no bairro, que inclusive, absorvia os pacientes de todas as localidades circunvizinhas.

É fato, que após ação do Ministério Público do Pará, pelo Promotor de Justiça Francisco Charles Pacheco Teixeira, a Prefeitura de Tucuruí, através da Secretaria de Saúde, retornou as atividades de construção do novo prédio do Posto de Saúde do bairro da Cohab, que diga-se de passagem, recebeu recursos federais do Ministério Saúde para esta finalidade, mas as obras que deveriam ser finalizadas até março de 2011, nunca foram iniciadas.

Com a decisão da visita “in loco” do competente Promotor de Justiça Charles Teixeira,     que foi acompanhado pelo Secretário de Saúde o advogado Charles Tocantins e pela Procuradora da Prefeitura Idalena Barroso, informando ao promotor, que as obras já estavam contratadas e que até o dia 15 de setembro passado, seria inaugurada, e dado o início ao atendimento tanto no Posto de Saúde do bairro da Cohab, como no Posto de Saúde do bairro da Terra Prometida, no Líler Leão no bairro do Mangal e no Posto do bairro Jardim Marilucy, sendo mais um “engodo”, apenas para desvirtuar a atenção do MP, e tentar ludibriar o Promotor de Justiça, ganhando tempo, com uma data impossível de ser cumprida, para a entrada em funcionamento e o atendimento da população tão sofrida e carente em atendimento básico a saúde, obrigação do município que esta sendo repassado para a UPA e para o Hospital Regional de Tucuruí, há anos.

Destruição - Em função as obras irregulares e desregradas para tentar dar explicações imediatas ao MP, a prefeitura iniciou os serviços de terraplenagem “a toc de caixa”, da área do Posto de Saúde do bairro da Cohab, que deveria estar construído e em funcionamento, desde o ano de 2011, dando início no aterramento e impactação do terreno nos últimos dias, em função a isso, as casas circunvizinhas sofreram ações pelo impacto, e estão todas com rachaduras em suas estruturas.

Um dos casos mais delicados, e da dona de casa Izabel Alves da Silva, aposentada, 65 anos, que há 25 anos sofre sem visão, em função ao problema de glaucoma, e que diariamente vem correndo o risco de sua casa cair sobre sua cabeça, em função as obras irregulares da prefeitura, que influenciaram na estrutura de sua casa.

Segundo a idosa, desde que o trator compactador entrou no terreno ao lado onde ele mora, sua casa começou a tremer, e as paredes racharam na grande maioria, o telhado todo cedeu, e com as últimas chuvas, a casa virou literalmente um “aquário”, e o que é pior, a idoso que e deficiente visual, mora sozinha correndo o risco de um acidente inevitável.

Dona Izabel Silva, denuncia a gestão municipal, de não ter a mínima atenção aos moradores, “o prefeito mandou seu “bate-pau”, conhecido como “Junior Solto”, para comprar as casas circunvizinhas pelos valores que eles achavam adequados há anos atrás, e queriam comprar minha casa, mas a bagatela que mandaram me oferecer através de um terceiro homem, o dono de um comércio no bairro, não daria para justificar pelo menos os custos que meu finado marido teve para erguer nossa residência”.

Segundo dona Izabel, ela mora na casa há 35 anos, e não deseja sair do local, até porque já esta adaptada com sua moradia, em função a deficiência visual, “este e meu mundo, conheço toso os meus espaços, e este prefeito insensato, quer tirar de mim meu sossego (chorou intensamente), eu não quero vender meu patrimônio, e sim que a prefeitura faça a recuperação das estruturas da minha casa que eles destruíram, e só isso que eu quero, daqui só pretendo sair na hora do chamando de Deus”.

E fácil observar visualmente, através das fotos, que só com as obras de terraplenagem já comprometeu totalmente a estrutura da casa de Dona Izabel Silva, que corre o risco de vir ao chão, e poderá ficar pior, com o início das obras estruturais do “imaginário” Posto de Saúde da Cohab, quando começarem, enfim a colocar as máquinas de bate-estaca.

A reportagem procurou a Assessoria da Prefeitura de Tucuruí e da Secretaria de Saúde, mas foi informada que tanto o prefeito Sancler Ferreira (PPS), como o Secretário de Saúde e que também responde como presidente do Conselho Estadual de Secretários de Saúde do Pará, o advogado Charles Tocantins, estavam em viagem pelos interiores do Pará, dando apoio à reeleição do governador do estado.


Enquanto isso, idosos e deficientes, ficam a mercê do risco de vida pelas obras irregulares da Prefeitura em Tucuruí, que são realizadas sem a mínima liberação e autorização do CREA/Pa e dos demais órgãos de licenciamentos de obras, mas para a população de um modo geral a Prefeitura persegue, e chega até a embargar as obras, segundo eles por falta de documentação e licenças da PMT. E o gestor Sancler Ferreira, encontra-se em viagem, e diga-se de passagem, custeadas pelos cofres públicos municipais, em campanha político eleitoral. 

Justiça eleitoral cancela registro de candidatura de Duciomar Costa ao Senado



Duciomar Costa responde inúmeros processos na Justiça por Improbidade Administrativa, igualmente como seus apoiadores que figuram nas fotos

Processo relativo às eleições de 2008 foi concluído hoje, com efeito imediato sobre a candidatura do político no pleito de 2014.

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) determinou o cancelamento do registro da candidatura de Duciomar Gomes da Costa ao Senado, após conclusão de um processo por irregularidades eleitorais durante as eleições de 2008. Na época, Duciomar era prefeito e foi acusado pelo Ministério Público Eleitoral de utilizar recursos públicos para fazer propaganda irregular. Na decisão de hoje (18), a relatora do caso, Eva do Amaral Coelho, considerou que ele perderia o cargo, se ainda fosse prefeito, se tornando inelegível por oito anos, a contar do fim do mandato (2012).

A decisão da relatora foi acompanhada por outros dois juízes. A decisão de hoje do plenário do TRE, por maioria de três a dois votos, mandou cancelar o registro de candidatura ao senado de Duciomar e será encaminhada ao juiz relator do processo de registro, no próprio TRE, para as providências necessárias.

O então prefeito foi acusado pelo MP Eleitoral de mandar colocar mais de 300 placas de obras pela cidade, em obras que sequer tinham sido iniciadas, ou em obras há muito encerradas. Nas placas também não constavam as informações obrigatórias sobre custos e prazos das obras, o que caracteriza publicidade institucional desvirtuada e propaganda eleitoral irregular. Na época, a Justiça eleitoral ordenou a retirada, mas o prefeito desobedeceu a ordem e mais placas foram afixadas.


Duciomar também foi acusado de criar um programa de ônibus gratuito para a periferia de Belém que configurou uso promocional da distribuição de serviço de caráter social custeado pelo poder público, conduta vedada para agentes públicos em campanha eleitoral. Os ônibus, financiados pelos cofres da prefeitura, circulava pela cidade cheio de propaganda da administração municipal durante o ano das eleições. “Os ônibus a serviço do programa Passe Livre mais pareciam verdadeiros outdoors ambulantes que levavam a marca e o slogan da gestão dos recorrentes por toda capital paraense”, diz a decisão do TRE.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Hospital Regional: Caos na saúde, pacientes sofrem pelos corredores aguardando cirurgias

 Hospital Regional de Tucuruí, pacientes sofrem pelos corredores aguardando cirurgias em função a pane nos equipamentos


 Aparelho Intensificador de Imagem, conhecido como Arco Cirúrgico quebrado há dias, no centro cirúrgico, impossibilitando a realização de cirurgias

Caos na saúde em Tucuruí, pacientes lotam os leitos e corredores aguardando cirurgias

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Desde o início da semana dezenas de pacientes lotam as enfermarias e os corredores do Hospital Regional de Tucuruí (HRT), em Tucuruí, região sudeste do Pará, no aguardando das intervenções cirurgias ortopédicas e neurológicas, pré-agendadas, tudo devido à pane no Aparelho Intensificador de Imagem, conhecido como Arco Cirúrgico, equipamento eletrônico de fundamental necessidade para a realização de cirurgias ortopédicas e neurológicas, sendo este aparelho, responsável em fornecer imagens em tempo real e tempo prolongado de exposição, no momento das intervenções cirúrgicas ao médico, guinado o os passos na colocação das próteses e pinos durante as cirurgias.

O Arco Cirúrgico e um equipamento primordial em um centro cirúrgico, garantindo maior tranquilidade e segurança aos cirurgiões durante as intervenções nos pacientes, sendo orientado em uma tela digital, do caminho que devem percorrer na recuperação e restauração de fraturas e colocação dos equipamentos necessários durante as cirurgias.

Desde a segunda-feira (15), dezenas de pacientes que estavam aguardando suas intervenções cirúrgicas e que estavam em jejum, foi comunicado já no início da tarde que não haveria mais as cirurgias em função a problemas técnicos no aparelho do centro cirúrgico, mesmo com a equipe médica em prontidão e o médico especialista no hospital, tudo foi cancelado em função ao defeito apresentado no Arco Cirúrgico.

É fato, que este equipamento foi adquirido no ano de 2010, e durante todo este período, nenhuma manutenção periódica que garantisse uma maior durabilidade no funcionamento do aparelho foi registrada, com isso, só nos últimos dias mais de 100 cirurgias foram canceladas, colocando o Hospital Regional em colapso, haja vista, a absorção de um número imenso de pacientes de diversos municípios da região, até mesmo do município de Salinópolis, que em função a falta do compromisso dos gestores municipais no atendimento a saúde básica, que é obrigação das prefeituras, encaminham todos os pacientes acidentados e com fraturas para o HRT, superlotando os leitos e o Pronto Socorro, sendo obrigado a colocar pacientes pelos corredores do hospital.

As cenas dentro do Hospital Regional são de muito sofrimento dos pacientes, que estão com gritando de dores, sendo obrigada a ficarem internados em cadeiras e macas sem as mínimas condições, tudo em função a necessidade emergencial de realizarem as cirurgias pelas graves fraturas sofridas, mas que não está podendo ser concretizadas em função a falta do equipamento necessário para visualizar a realização das cirurgias dentro do centro cirúrgico do Hospital Regional de Tucuruí.

No hospital, apenas as cirurgias que não necessitam do acompanhamento especifico através do Arco Cirúrgico estão sendo realizadas.

A solução imediata encontrada através de orientação da SESPA à direção do HRT, e encaminhar os pacientes que moram em Tucuruí e nos munícipios vizinhos que estão com fraturas para suas residências, mesmo sofrendo com dores, e após o conserto do equipamento danificado, serão chamados para, agendarem suas cirurgias.

O paciente em estado mais grave deve ser incluído no programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD), sendo encaminhados para os hospitais do governo do estado em Belém, transferindo apenas a carga de espera e aumentando o sofrimento com viagens rodoviárias.

O Hospital Região de Tucuruí, historicamente sendo uma unidade de saúde de média e alta complexidade, esta passando por todas as dificuldades em função a falência da atenção à saúde da população por parte da Secretaria de Saúde do Estado, que mesmo sendo ciente das dificuldades que passa o HRT, não dar nenhuma atenção emergencial ao caos que gradativamente está se instalando no HRT, deixando sempre as soluções dos problemas para segundo plano, e ainda orientou a direção do regional, que os pacientes sejam encaminhados a capital através do TFD, onerando ainda mais a máquina pública, com o custeio de transporte, superlotando as unidades de saúde da capital.

Mesmo o HRT, contar com competentes equipes médicas, que estão sempre aptas para atender a demanda dos pacientes de Tucuruí e região, ficam ociosas e inoperantes, sem condições de trambalharem no atendimento cirúrgico, pela falta de equipamentos, e muitas, vezes até de matéria de higienização nas cirurgias.

Segundo os profissionais, a situação vem se agravando gradativamente com o sucateamento pelo estado do hospital e seus equipamentos, deixando de dar a mínima manutenção necessária para sua funcionalidade, como exemplo, o HRT era considerado campeão nas cirurgias ortopédicas e de fêmur, e há mais de cinco meses, não são mais realizadas cirurgias de fêmur no HRT, pela falta de equipamento, agira com o Arco Cirúrgico danificado o HRT vai ficar totalmente inoperante para estas cirurgias que são inúmeras na região.

A população esta revoltada pela atitude da Secretaria de Saúde do Estado, que mesmo sabendo do problema com o Arco Cirúrgico danificado dentro do centro cirúrgico do HRT, não deu nenhuma solução imediata a não ser mandas os pacientes para a capital.

A equipe de reportagem procurou a direção do HRT, e foi orientada que a diretora da unidade estava na capital, em busca de soluções para as demandas das situações que estão em desacordo à realidade do atendimento aos pacientes.

Tentamos ainda diversos contatos com a assessoria da SESPA, em Belém, mas sem êxito, e até o fechamento desta edição, nenhuma informação ou nota de esclarecimento com referência ao assunto foi enviada.


Das mais de 100 cirurgias agendadas para os últimos dias, apenas 11 intervenções foram realizadas, haja vista, para estas cirurgias, não haver a necessidade do equipamento danificado o Arco Cirúrgico. Os outros pacientes estão internados aguardando a liberação do TFD para Belém, e a grande maioria foram “despachados” para suas residências até a solução do problema com o aparelho danificado do HRT.