Pesquise as matérias do JT:

Carregando...

segunda-feira, 2 de março de 2015

Presidente da Câmara de Tucuruí o vereador “Free Way” sofre acidente com colisão de veículos na PA 263












WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Por volta das 23 h deste domingo (1), ocorreu uma colisão frontal de dois veículos no KM 4 da PA 263, sentido Goianésia do Pará/Breu Branco, a caminhonete S 10 que estava sendo conduzida pelo presidente da Câmara de Vereadores de Tucuruí Davison Furtado, conhecido como “Free Way”, colidiu com o veículo Montana de placas NSL 5461 de Goianésia do Pará, que no momento da colisão trafegava na contramão.

Por sorte, uma viatura da PM estava retornando para Goianésia do Pará no exato momento, e observou a colisão dos veículos, com a explosão da Montana, foram os policiais que prestaram os primeiros socorros ao motorista da Montana, que graças à atuação dos PM’s, a vítima foi retirada com vida de dentro do carro, que estava sendo tomado pelas labaredas de fogo.

Foram momentos de desespero presenciados por todos que estavam no local, haja vista, as súplicas do jovem conhecido como “JD do Som”, proprietário da Montana que possuía um potente Som automotivo, que estava preso às ferragens, mas foi retirado antes mesmo que as chamas queimassem por completo o veículo.

O condutor da Montana “JD do Som”, estava retornando de Breu Branco para Goianésia do Pará, onde realizou a cobertura sonora de um evento.

O vereador presidente Davison Furtado, estava sozinho na caminhonete retornando para Tucuruí.

O acidente ocorreu por volta das 23 h, o serviço do 192 do SAMU de Goianésia do Pará, foi acionado, e o motorista da “JD do Som” foi levado em estado grave para o Pronto Socorro do Hospital Regional de Tucuruí, onde passa por procedimentos cirúrgicos, seu estado clínico é grave.

O vereador Davison Furtado, não sofreu nenhum ferimento e esclareceu que no momento do acidente, estava trafegando pela PA 263 sentido Goianésia do Pará/ Tucuruí, e de repente observou o veículo vindo em sua direção pela contramão, ainda tentou fazer o possível para evitar a colisão, mas infelizmente foi impossível.


Improbidade Administrativa: MPF pede o bloqueio dos bens de Sancler Ferreira e a perda do mandato

O prefeito da cidade de Tucuruí, Sancler Ferreira (PPS) poderá ter seus bens bloqueados e afastado da função de prefeito a qualquer momento por decisão da Justiça Federal pelo crime de Improbidade Administrativa no desvio dos recursos do FUNDEB

Procurador da República Luiz Eduardo de Souza Smaniotto autor da Ação de Responsabilização por Ato de Improbidade Administrativa contra o atual prefeito da cidade de Tucuruí, Sancler Ferreira (PPS), a ex-secretária Municipal de Educação Marivani Ferreira Pereira e o empresário Sidcley Albuquerque de Freitas

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
   Foto: Wellington Hugles

O Ministério Público Federal através do Procurador da República Dr. Eduardo de Souza Smaniotto, ajuizou no último dia 20 de fevereiro, Ação de Responsabilização por Ato de Improbidade Administrativa contra o atual prefeito da cidade de Tucuruí, Sancler Ferreira (PPS), a ex-secretária Municipal de Educação Marivani Ferreira Pereira e o empresário Sidcley Albuquerque de Freitas. 
            
O MPF requer a Justiça Federal à condenação dos denunciados nos termos do Art. 12, incisos II e III, em razão aos prejuízos causados aos cofres da Prefeitura de Tucuruí, pelo uso indevido dos recursos federais provenientes do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Saúde (FUNDEB), a partir do ano de 2013.  
         
O dossiê, formulado após apuração através do Inquérito Civil Público Nº 1.23.007.000018/2013-14, onde figuram o prefeito Sancler Ferreira e a Ex-Secretária de Educação Municipal Marivani Pereira, como responsáveis pelos pagamentos indevidos, além da prorrogação irregular do contrato de aluguel de barcos, que seriam destinados para o transporte escolar dos alunos da rede municipal de ensino, que moram nas inúmeras ilhas do lago da hidrelétrica de Tucuruí.

O contrato foi firmado com a empresa S.A. de Freitas - EPP, cujo sócio administrador é o empresário Sidcley Albuquerque.         
         
Durante o curso do inquérito foi apurado o desvio de recursos, causando um prejuízo para os cofres da Prefeitura Municipal de Tucuruí, totalizando valores da época de R$ 1.659.262,50 (Um milhão, seiscentos e cinquenta e nove mil, duzentos e sessenta e dois reais e cinquenta centavos).                     

Em face ao ajuizamento da ação, o MPF requereu em caráter urgente, a indisponibilidade e o bloquei de todos os bens dos denunciados, para que durante o curso do processo, não ocorra à retirada, ou venda dos patrimônios, sendo inviabilizado o ressarcimento total com correção monetária dos valores que foram desviados dos cofres públicos, causando um prejuízo ao erário da Prefeitura de Tucuruí.

O Procurador Federal requereu ainda, a condenação dos acusados enquadrando-os na Lei Nº 8.429/92, que dispõe sobre as sanções aplicáveis aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito no exercício de mandato, cargo, emprego ou função na administração pública direta, indireta ou fundacional, conforme o Art. 12, que observa, “Independentemente das sanções penais, civis e administrativas previstas na legislação específica, está o responsável pelo ato de improbidade sujeito às seguintes cominações, que podem ser aplicadas isolada ou cumulativamente, de acordo com a gravidade do fato; conforme os incisos: II “na hipótese do Art. 10, ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, se concorrer esta circunstância, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos”;  e III “ na hipótese do Art. 11, ressarcimento integral do dano, se houver, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos, pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de três anos”.


domingo, 1 de março de 2015

Topado: Acidente de motocicleta causa uma morte




WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Kamylo Godim

Por volta das 3:00 horas da madrugada deste domingo (1), ocorreu um grave acidente na Rua 31 de Março (próximo a Seccional), centro de Tucuruí, sudeste do Pará.

O acidente envolveu uma motocicleta com dois tripulantes, que segundo informações de testemunhas, uma mulher está atravessando a via pública, quando foi surpreendida pela motocicleta que vinha em alta velocidade e sem farol, o piloto desviou da mulher batendo no meio-fio, uma dos passageiros da moto foi projetado, chocando-se com uma árvore do canteiro central da via, ocasionado uma grave fratura, resultando em perda de massa cefálica.

Vítima fatal - O outro passageiro teve fraturas múltiplas, ambos foram socorridos pelo SAMU 192, e levados ainda com vida para a UPA de Tucuruí, um dos acidentados que teve fraturas está com seu quadro clínico estável, infelizmente por volta das 8:30 h devido as complicações referentes aos ferimentos sofridos, o outro passageiro da moto, identificado como John Lenon Santos da Silva, 24 anos, natural da cidade de Uruçui/Piauí, foi a óbito, John Lenon morava atualmente na BR 422 na altura do Sítio Deus e Grande.

Seu corpo foi removido ao IML de Tucuruí, onde passou por necropsia, a causa morte foi identificada como sendo por hemorragia interna em função a laceração hepática difusa.

Seu corpo foi liberado aos familiares para o velório, o féretro será transladado para sua cidade natal Uruçui/Piauí, e seu sepultamento ainda não tem uma data definida.

De fato, em função a realização da “Trilha dos Topados”, que ocorreu na manhã deste domingo (1), uma grande movimentação de adolescente estava acontecendo durante a semana na cidade, intensificando no sábado, com a adaptação de motos e a retirada das descargas e faróis, causando um grande transtorno a população.

É fato, que a Trilha dos Topados, já faz parte do calendário de eventos da cidade, e conta com o apoio e o financiamento dos órgãos de governo, principalmente da prefeitura, e a fiscalização das instituições de regulação do trânsito (Detran e CTTUC), mas a Trilha e realizada na zona rural, no “mato”, e durante o dia, não nas ruas da cidade durante a noite e na madrugada, onde jovens e adolescentes se arriscam em alta velocidade, sem os equipamentos de segurança obrigatórios, faróis e disparando os conhecidos e irritantes “tiros” de descarga das motos, durante toda a noite, estendendo-se pela madrugada, colocando suas vidas e dos inocentes em risco de morte.


André Fontana usa página oficial da Secretaria de Meio Ambiente para expor seus desagravos aos seus desafetos e para ficar contra os invasores de um terreno abandonado pela PMT na Nova Matinha


André Fontana usa página oficial da Secretaria e Meio Ambiente para expor seus desagravos aos seus desafetos e para ficar contra os invasores de um terreno abandonado pela PMT na Nova Matinha





WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O presidente municipal do Partido Popular Socialista (PPS) e atual secretário municipal de Meio Ambiente de Tucuruí, o funcionário concursado do Banco do Brasil e que há anos está à disposição da Prefeitura de Tucuruí André Fontana, vem usando corriqueiramente a página oficial do sítio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmatuc), tanto na rede de internet, como nas redes sociais, como se fosse de sua propriedade, para expor suas opiniões de desagravos contra as pessoas que ele “acha” ser seus “desafetos”, por denunciarem as irregularidades comandadas por ele, André, à frente ao importante órgão que fiscaliza, que deveria ditar as regras em defesa do Meio Ambiente em nossa cidade.

Por último, o jovem mancebo, está criando uma movimentação contrária aos invasores de uma área de terra que há anos está abandona na Nova Matinha, de patrimônio do povo, e que nunca foi feita nenhuma benfeitoria, e acusa serem inconsequentes e arruaceiros, liderados por algum “candidato”.

Afirma o competente e ilustre professor em Meio Ambiente da Faculdade Gamaliel e Secretário André Fontana, que “é proibida a ocupação de nascentes e Áreas de Preservação Permanente (APP), porém, pode-se observar que no Bairro Nova Matinha ocorre uma invasão em regiões adjacentes à APP estipuladas pelo ex-presidente do Conselho de Meio Ambiente de Tucuruí”. Segundo André Fontana, “emitimos nossa noção de repúdio ante a situação”.

Mais a frente, o suprassumo dos códigos de Meio Ambiente mundial, afirma e desdenha dos comentários feitos contra sua postagem na página da SEMMATUC no Facebook, afirmando o seguinte: “Oriento a vossa pessoa que verifique no código florestal que obras consideradas de utilidade pública são autorizadas, desde que justificadas. O que não se justifica é estimular pessoas humildes ocuparem espaços publicos em troca de voto”.

É fato comprovado que além de ser um péssimo administrador, que comprovadamente humilha, massacra, persegue e trata as pessoas como se fosse seus “serviçais”.

Agora assume realmente sua cara-de-pau de grande mentiroso, só perdendo para o seu chefe mor o prefeito “Pinocler”, isso porque, as leis são feitas igualitariamente para todos, e não com "dois pesos e duas medidas" para beneficiar os “amiguinhos”.

Vamos aos fatos, a prefeitura mandou reabrir o Matadouro Municipal por diversas vezes, mesmo sendo fechado oficialmente pela SEMA/Pará, e através de ordem da Semmatuc foi reaberto.

Agora perguntamos a André Fontana?, o local do matadouro, é ou não, uma área de APA?, e mais afrente o pupilo André Fontana licenciou um matadouro particular próximo ao que era da Prefeitura, para o abate de bovinos. Mais onde fica localizado este matadouro? dentro da APA, e o que é pior, o matadouro funciona de forma improvisada e com riscos eminentes de contaminação da carne bovina, sem autorização da SEMA/Pará só com a assinatura de André Fontana.

Mais uma da dupla “tô dentro, tô fora”, a Prefeitura comprou uma área de terra a preço de ouro para ser destinada ao aterro sanitário, localizada dentro da APA, e até hoje nem aterro sanitário, e nem a prestação de contas dos valores gastos, o que se especula é que a área passou para o nome de terceiros.

A prefeitura iniciou a construção pelo valor de R$ 1,8 milhões do novo cemitério, que, diga-se de passagem, uma licitação suspeita, e quem ganhou foi a empresa ETUZEA de propriedade do prefeito de Goianésia do Pará João Gomes “Russo”, agora, como foi escolhida e por quanto foi comprada, a preço de ouro a área de terra, localizada as margens dos mananciais da nascente do Igarapé Santos. Inclusive, a SEMA/Pará interditou a obra, mais André Fontana, com o seu “jeitinho de resolver as coisas”, não só mandou continuar a construção totalmente irregular, e de quebra, autorizou o início do sepultamento no local, onde o chorume dos cadáveres após decomposição, vão todos para os lençóis freáticos, que são das nascentes do Igarapé Santos, nada mais, nada menos, do que, o local onde e feita à captação e a distribuição de água potável para a população de Tucuruí.

Não satisfeito pelos inúmeros crimes ambientais cometidos e comandados por Sancler Ferreira e André Fontana, a dupla dinâmica “Batman e Roby” do desgoverno ambiental, continuam sua saga.

Determinando que o “superdotado” secretário Junior Souto, depositasse todo o lixo e entulho que poder, as margens da entrada do novo cemitério, no KM 4 (Rodovia Transcameta - BR 422), para aterrar os mananciais do igarapé Santos, com isso, daqui a mais algum tempo, além de tomar água de chorume de defunto, tomaremos água de lavagem de lixo, ou seja, continuaremos a tomar água poluída, pois já encontra-se sem tratamento há 8 meses, e a população esta sendo obrigada a receber em suas torneiras água composta cor coliformes fecais.

Agora André Fontana, quem são os invasores e inconsequentes, acima de tudo criminosos que merecem o repúdio da população, os invasores que estão à procura de um teto para morar, mesmo sabendo que existem mil casas que estão sendo deterioradas na entrada do aeroporto por culpa e pela “esperteza” do prefeito Sancler Ferreira, ou é você e o prefeito que estão se locupletando, amealhando os recursos públicos, contrariando as leis ambientais, que na teoria o senhor como professor tanto defende, mais na prática a situação e inversa.

Quem é realmente o mau-caráter. Peça pra sair e entregue o lugar, e volte a ser bancário, vejo mais futuro para o senhor.


Não esqueça, estamos de “olhos bem abertos” para sua prestação de contas dos recursos do Fundo Municipal de Meio Ambiente, dos anos de 2013 e 1024, fique esperto!

Breu Branco: Fórum da cidade foi arrombado, mais nada foi roubado e processos antigos voltam à baia




WELLINGTON HUGLES
De Breu Branco
Foto: Wellington Hugles

A cidade de Breu Branca localizada as margens da PA 263, no sudeste do Pará, com uma população de aproximadamente 57 mil habitantes, e apenas 23 anos de emancipação político administrativa, surgiu com a construção da Usina Hidrelétrica de Tucuruí, onde seu antigo Vilarejo “Breu Velho” foi submerso, para dar espaço à formação do volumoso Lago da UHE Tucuruí, sendo construída nesta área a nova cidade de Breu Branco.

O nome Breu Branco tem sua origem na abundância de uma árvore chamada Faveira, que havia nas proximidades do assentamento original de Breu Branco (atualmente submerso). Desta árvore se extraía um líquido branco que com o passar do tempo adquiria a consistência do breu, tornando se uma resina.

O Fórum da cidade de Breu Branco foi inaugurado para dar atendimento a grande demanda crescente das divergências judiciais na cidade, mas durante todo o seu período de funcionamento, nunca ocorreu um fato inusitado, como o da última semana, quando a sede do Fórum foi arrombada, mesmo com a existência de um vigilante no local, os “larápios” não “titubearam” e arrombaram as diversas portas do judiciário, por sorte, o local onde ficam arquivados os processos mais “melindrosos” e que ainda não foram digitalizados, tem uma proteção maior, não sendo possível a ação audaciosa dos meliantes de ultrapassarem a porta, ficando os “delinquentes” apenas na vontade de tentarem surrupiar algo de “seus interesses”, haja vista, dentro do Fórum há a existência de equipamentos eletrônicos de valores superiores a R$ 20 mil, e “graciosamente” nada foi levado, ou seja, o interesse dos “criminosos” diretamente não era arrombar para roubar.

Suspeitando-se, que a visita inesperada tinha um foco principal, não de bens patrimoniais, mas sim de documentos processuais.

Com o arrombamento, após os ditames legais e a pericia do CPC Renato Chaves, o juiz titular da Comarca já “ficou de orelhas em pé”, e determinou que todos os processos ali depositados, fossem digitalizados e arquivados virtualmente, e os documentos comprobatórios, sejam guardados a “sete chaves”.

Se a intenção dos meliantes era que os processos, que se encontram no Fórum tivesse um destino escuso, veio à tona o revés, com a revisão destes processos, e nos próximos dias muitas novidades serão prolatadas.