Pesquise as matérias do JT:

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Tucuruí: Por falta das ambulâncias do Samu, Corpo de Bombeiros atende as emergências


Ambulâncias do Corpo de Bombeiros atendendo as emergências
Ambulâncias do Samu realizando o transporte para Belém do TFD
Antigas ambulâncias "sociais" da PMT, sucateadas sem condições de atender as emergências

WELLINGTON HUGLES
DE TUCURUÍ
Foto: Wellington Hugles

Os moradores do município de Tucuruí no sudeste do Pará, encontram-se a mercê da falta de gestão pública na cidade, principalmente no setor de saúde, a situação esta precária, já se comemorou 5 anos do fechamento do único Hospital Municipal da cidade (antigo Sesp), localizado no Bairro Santa Mônica, servindo atualmente como Posto de Saúde do bairro Jardim Marilucy, distante aos pacientes em 1 km do bairro, é fato, que do lado do antigo Hospital Municipal, foi construído pelo governo federal a Unidade de Pronto Atendimento - UPA, que encontra-se absorvendo toda a demanda dos pacientes da cidade, fatalmente com o grande quantitativo, a unidade atravessa a escassez e a falta de medicamentos, nos casos de urgência e emergência.

Maternidade - Também já completou mais de 3 anos do fechamento pela atual gestão municipal da maternidade do município, que foi transferida para dentro  de uma ala do Hospital Regional da Sespa, que atende pacientes em média e alta complexidade, localizado na Vila Permanente, ocupando um importante espaço, que seria disponibilizado para a ampliação dos leitos do hospital, e também seria cedido para os leitos que serviriam de retaguarda após a entrada em funcionamento da Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (UNACON), que também já completou 2 anos de concluída, aguardando ser inaugurada pelo governo do estado, estando inclusive, com o seu reator nuclear instalado, mas sem poder ser inaugurada por falta de espaço para os leitos que atenderá aos pacientes que farão o tratamento do câncer.

Samu - Após a doação de 8 ambulâncias para o atendimento da população do município de Tucuruí, no último mês de dezembro de 2013, após muitas denuncias, e pelo sofrimento dos pacientes por falta de transporte, apenas em março foram colocadas em uso as novas ambulâncias do Samu, em face , ao sucateamento das demais ambulâncias, conhecidas como “sociais” para o atendimento dos pacientes, estas ambulâncias não possuem equipamentos de urgência, inclusive, estas ambulâncias da prefeitura de Tucuruí, foram diversas vezes flagradas transportando diversos pacientes em uma só viagem para Belém “lotação”, inclusive com documentação de emplacamento dos veículos vencidos há mais de 4 anos, colocando em riscos os pacientes, acompanhantes e a equipe de funcionários.

Para piorar, devido à desistência de diversos médicos especialistas, que prestavam serviços ao município, no atendimento dos pacientes, em função, a falta de pagamentos de seus vencimentos e a contratação de empresas sem qualificação, através de licitações “duvidosas”, os médicos entregaram os cargos, com isso, a população ficou totalmente desassistida.

Por estes motivos, a gestão municipal decidiu intensificar o Tratamento Fora do Domicílio – TFD, que anteriormente eram disponibilizados para casos específicos, mas agora, qualquer paciente com problemas de saúde, é transferido através de TFD para atendimento em Belém.

Aumentando em 300 % o número de encaminhamentos através do TFD pela prefeitura de Tucuruí, os pacientes que por algum motivo estão internados e necessitam de consultas e tratamentos com especialistas, e que não estão sendo oferecidos pela Secretaria de Saúde, automaticamente são transferidos para a capital, e por falta de recursos para a aquisição de passagens aos pacientes e acompanhantes pela prefeitura, estão sendo utilizadas de forma irregular, as ambulâncias do Samu – 192, que deveriam serem destinadas para o atendimento de Urgência na cidade de Tucuruí, e não realizando o transporte de pacientes para consultas em uma distância de 450 km para Belém, sendo registrados diariamente a “lotação” nas ambulâncias do Samu 192 com destino a capital.

 “Carradas” de pacientes estão sendo transportados nas ambulâncias do Samu, com isso, ocasionando a falta de veículos de urgência para atender a demanda diária quando em  acidentes que corriqueiramente ocorrem na cidade, além dos inúmeros maus súbitos que por ventura ocorrem, e que, após acionarem o 192, com a ausência das ambulâncias  do Samu que estão atendendo ao TFD, a população fica sem o atendimento, sendo necessário apelar ao Corpo de Bombeiros Militar do Pará, para dar suporte na assistência ao transporte dos pacientes para a UPA ou Hospital Regional, contradizendo o que determina o Sistema  de Transporte do Samu, colocando em risco a população de um modo geral que fica desassistida sem as ambulâncias do Samu 192, que foram doadas pelo governo federal para atender a população de Tucuruí.


A equipe de reportagem tentou por diversas vezes contatos com a Secretaria de Saúde de Tucuruí para dar maiores esclarecimentos ao assunto, mas fomos informados que o setor administrativo estava de recesso, com retorno previsto para o dia 18 de agosto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário