Pesquise as matérias do JT:

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Aberta a "caixa preta" com os gastos com pessoal da CMT


Matéria publicada no Folha de Tucuruí

Vida boa e folgada tem os marajás da Câmara Municipal de Tucuruí

Os salários dos marajás variam R$ 2.834,32 a R$ 13.047,23, ou seja, o maior salário da CMT é dois mil, quarenta e sete reais e vinte e três centavos a mais que o salário do prefeito municipal. Ou seja, o marajá ganha mais que o prefeito municipal, que a vice-prefeita, que os vereadores, inclusive ganha mais que o seu chefe que é o presidente da Câmara Municipal.

Só para comparar os salários:

Prefeito: R$ 11.000,00
Vice-prefeita: R$ 9.000,00
Vereador, inclusive o presidente: R$ 4.950,00
Relação de servidores da Câmara Municipal de Tucuruí em cargos de chefia e Assessoramento.

1 Adilene Oliveira Bala
2 Alessandro Aleixo Furtado
3 Antonio Soares Da Costa Filho
4 Benedito Mendes Lopes Neto
5 Carlos Alberto Barbosa
6 Carlos Orlando Leal E Silva
7 Cesar Augusto Furtado Nunes
8 Claudia Dias Dos Santos Campos
9 Claudiana Aguiar Monteiro
10 Cleide Ribeiro De Sousa
11 Cleiton Vieira
12 Darlene Michele Da Silva
13 Edenildo Lustosa Alves
14 Edson Nunes Farias
15 Ellana Gonçalves Barroso
16 Esrom Holanda De Noronha
17 Evaldo Martins Ribeiro
18 Fernando Rodrigues Duraes
19 Francisco Vitorino De Oliveira
20 Gesiele Barroso Ramos
21 Ildima Miranda Mendes
22 Ivone de Todos os Santos Barros Nogueira
23 Jeová Caldas Cohen
24 João Pedro Arnoud Rocha
25 Jose Augusto Medeiros Santos
26 Jose Heitor Moura Gonçalves
27 Jose Igalci Pereira Dos Santos
28 Jose Joaquim de Andrade
29 Jose Magalhães de Oliveira
30 Jose Maria de Sousa Vasconcelos
31 Jose Martins de Souza
32 Jose Orlando Silva
33 Jose Wilson Dos Santos Lima
34 Josicleia Correa Leão
35 Jucineide Almeida Araujo
36 Jullano Paulo Andreatta
37 Katiane Marques Barroso
38 Laurinda Rodrigues De Aguiar
39 Lldiane Pinto Da Silva
40 Lorival Mendes Pimentel
41 Manoel Maria de Carvalho Américo
42 Maria Auxiliadora Barros Moraes
43 Maria da Conceição Rodrigues Da Silva .
44 Maria de Nazaré Alves Bala
45 Maria Divina Lima Silva
46 Maria Edina Mel Reles .
47 Maria Marleide Aleixo Da Silva Pimentel
48 Maria Natividade Alves Feitosa
49 Marla Suelem Florentino Da Silva
50 Monica Sousa Conceição
51 Neuzarita Costa Martins
52 Osmael Holanda de Noronha
53 Raimunda Trindade Feitosa
54 Raimundo Carlos de Meneses Silva
55 Raimundo Cordeiro da Silva Filho
56 Regiane Cleide Deodato De Oliveira
57 Reginaldo Moraes de Almeida
58 Roberto Glacio Cotada Costa
59 Rodrigo de Christo Dos Santos
60 Rosilene de Castro Valente
61 Sonia Mara Botelho De Souza
62 Sonia Maria Lopes Ribeiro
63 Thaise de Freitas Damasceno
64 Valber Trindade Reis
65 Val Ter Flavio Ellziario De Aguiar
66 Verônica Pinto Lima
67 Wellington Johnson Hugles Sousa

domingo, 30 de outubro de 2011

Parabéns a cidade de Baião pelo seu aniversário neste domingo 30

Igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua construída em 1922

O município de Baião originou-se de um povoado fundado em 1694.O governador e capitão-general do Estado do Maranhão e do Grão-Pará, Antônio de Albuquerque Coelho de Carvalho, reconhecido como donatário da Capitania do Camutá, entregrou como doação ao português Antônio Baião uma vasta Sesmaria, com a condição de que fundasse um povoado. Impôs a Baião, a condição de que tal povoado deveria localizar-se à margem do rio Tocantins e que ele construísse uma casa grande e decente. Antônio Baião aceitou a oferta e cumpriu o compromisso pactuado, fundando o povoado, longe de Camutá, convertendo-o em sede da Sesmaria.

Em 30 de outubro de 1769, o capitão-general e governador, Fernando da Costa de Athayde Teive, consagrou a doação efetuada por Coelho de Carvalho e outorgou ao lugar o nome do sesmeiro, batizando-o de Baião. O encarregado de executar a ordem foi Manoel Carlos da Silva, então Diretor de Índios.

No ano de 1833, o conselho do Governador da Província, nas suas sessões de 10 a 17 de maio, promulgou uma Resolução através da qual o "lugar Baião" foi elevado à categoria de vila, recebendo a denominação de Nova Vila de Santo Antônio do Tocantins. Na mesma Resolução foi determinada a instalação da sua Câmara Municipal, tendo como presidente o padre Francisco Gonçalves Martins e Pontes, o que veio a acontecer no dia 17 de outubro de 1833.

Esse primeiro período legislativo terminou em 1837 - após a pacificação da Cabanagem -, quando nova Câmara foi eleita, sendo Francisco Mendes da Silva o seu novo presidente.

No ano de 1885 irrompeu uma grave crise política no Município, em decorrência da desorganização administrativa, o que forçou o presidente da Província a suspender o presidente da Câmara e alguns vereadores. Assim, no dia 25 do mesmo mês, assumiu a presidência da Câmara, pela sexta vez, o Coronel José Antônio Corrêa de Seixas. O período terminou a 7 de janeiro de 1887, data em que tomou posse a nova vereança, que foi a "última do Império"; esta, em nome do Município, aderiu ao regime republicano, em 1889.

No dia 10 de abril de 1890, o Governo Provisório do Pará, através do Decreto 131, extinguiu a Câmara Municipal de Baião, criando, na mesma data, o Conselho de Intendência Municipal, sendo o Coronel José Antônio Corrêa de Seixas, novamente reconduzido à presidência.

Em 1897, a política paraense atravessava a sua primeira grande crise no período republicano: os seguidores de Antônio Lemos permaneceram na mesma agremiação partidária e os falangiários de Lauro Sodré reuniram-se no recém-criado Partido Republicano Federal. Os reflexos dessa cisão fizeram-se sentir em Baião, onde ambos os partidos apresentaram os seus candidatos a intendente (prefeito) e a vogais (vereadores). O reconhecimento de poderes não foi respeitado e ficou o município com dois intendentes e dois Conselhos Municipais, gerando assim um descontentamento na população. Até que encontraram uma composição política, oportunidade em que formaram um conselho de conciliação, presidido pelo vogal mais votado, João Luís Soares.

Exerceram o mandato até 25 de novembro do mesmo ano, quando tomaram posse os novos eleitos, sendo Samuel Bechimol o novo Intendente.

Segundo o historiador Theodoro Braga, esse município de grande extensão patrimonial incorporava as terras de São João do Araguaia, Conceição do Araguaia, Marabá e o Distrito de Alcobaça. Este último, posteriormente, daria lugar ao surgimento de Tucuruí. No ano de 1908, registrou-se a criação dos municípios de São João do Araguaia e de Conceição do Araguaia, com a promulgação das Leis nº 1.069 e 1.091. Mediante a Lei Nº 1.278, de 27 de fevereiro de 1913, foi criado o município de Marabá.

No ano de 1930, após a Revolução sua organização político-administrativa voltou a sofrer alterações. O município de Mocajuba foi suprimido e suas terras incorporadas à área jurisdicional de Baião.

Em 31 de outubro de 1935, a Lei Estadual nº 8 reconheceu Baião como Município e, através desse mesmo ato, Mocajuba foi reconduzido à categoria de município.

No ano de 1943, a antiga povoação de Alcobaça que fora conhecida também como Freguesia de São Pedro de Alcântara, de São Pedro de Pederneiras e de Pedro de Alcobaça, mediante o Decreto-Lei Nº 4.505, de 30 de dezembro, mudou sua denominação, passando a ser denominado de Tucuruí. Em 1947, a Lei Nº 62, no seu artigo 36, outorgou a Tucuruí a categoria de município, desmembrando terras de Baião.

Hoje, o município de Baião é formado pelo distritos-sede de Baião e pelos distritos de Joana Peres e São Joaquim de Ituquara.

Cultura - Segundo a tradição religiosa de todos os municípios paraenses, o município de Baião também venera um santo padroeiro: Santo Antônio. A festa inicia com a procissão do Círio no dia 1º de junho e, a cada ano, sai de uma localidade diferente com destino à igreja Matriz. A homenagem é acompanhada de festejos tais como novenas, leilões e arraial. No mês de janeiro, no lugarejo chamado Maracanã, é comemorada a Festa de São Sebastião, no período de 19 a 27. O festejo tem caráter religioso e inicia com a procissão ao redor da cidade, encerrando com a "procissão de agradecimento".

As manifestações da cultura popular que mais se destacam no Município são representadas pelos cordões de pássaros e animais, sendo que os mais famosos são o Cordão do Japiim, Beija-Flor, Guará, Pavão e Jacaré, além do samba-do-cacete, de origem afro-indígena, que se apresenta, costumeiramente, no último dia da festa do santo padroeiro.

Quanto ao patrimônio histórico, Baião possui a igreja Matriz de Santo Antônio de Pádua, cuja construção data de 1922, bem como a antiga sede da Prefeitura de Baião, com linhas barrocas, construída em 1906.

O artesanato local não dispõe de muitas variedades, restringe-se apenas, à confecção de peças em talas, ouriços-de-castanha, sapucaia e cipó semelhante ao vime.

No Município de Baião destaca-se uma Biblioteca e uma Casa de Cultura, que recebem apoio da Prefeitura Municipal. Possui uma área territorial de 3202,399 km².

Muitos baionenses destacam-se em diversos setores com suas competencias elevando o nome de Baião para o Pará, Brasil e o mundo. Parabens a cidade de Baião pelos seus 317 e todos os seus filhos.

sábado, 29 de outubro de 2011

Parabéns pelo seu aniversário, hoje o destaque é você Wellington Hugles

Olha quem num ta gostando da badalação do Aniversário de Wellington Hugles pela cidade

Veículos da Prefeitura de Tucuruí desafiam a lei

Caminhonete L 200 4X4 GLS de cor verde ano de fabricação 2002/2003, que presta serviços para a Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de Tucuruí, placas JUJ 1121 atrasada a 8 anos

Caminhonete L 200 4X4 GLS de cor verde ano de fabricação 2002/2003, placas JUJ 1121 atrasada a 8 anos devendo só de IPVA R$ 16.663,35

Caminhonete L 200 4 placas JUJ 1121


Caminhonete L 200 4X4 GLS de cor verde alugada para a prefeitura municipal de Tucuruí transitando normalmente pelas ruas da cidade

Uma caminhonete L 200 4X4 GLS de cor verde ano de fabricação 2002/2003, que presta serviços para a Secretaria Municipal de Educação da Prefeitura de Tucuruí, placas JUJ 1121, roda irregularmente pelas ruas da cidade há anos. Além da não utilização da placa na parte traseira obrigatório por lei, o veículo está sem licenciamento a 8 anos, conforme levantamento junto ao Detran Pará. Procurada por e-mail, a administração municipal não respondeu mais uma vez à redação.

"A situação está absolutamente ao arrepio da lei e o veículo deve ser apreendido imediatamente", afirmou o advogado Delcio Cohen da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) sucursal de Tucuruí.

Cohen acrescentou de forma taxativa: "Só deve sair do pátio após inspeção, vistoria, registro, lacração, licenciamento e pagamento de multas, obrigatório a todos os proprietários de veículos automotores". O advogado se baseia em legislação do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

O intrigante desta irregularidade com o veiculo L200 adesivado com a logomarca da prefeitura de Tucuruí, que paga religiosamente o aluguel mensal de um veículo que não cumpri as leis de trânsito e nem com sua regularização, isso demonstra que o prefeito Sancler Ferreira tem beneficiado seus “aliados políticos” com contratos de aluguéis de prédios, casas e agora veículos sem as mínimas condições de trafegabilidade, colocado em risco os funcionários da prefeitura e todos os munícipes, com um veículo irregular que sequer paga o seguro obrigatório DPVAT, que garante a assistência no caso de acidentes.

Fiscalização – Com a municipalização do trânsito a fiscalização dos veículos irregulares é de responsabilidade da Companhia de Trânsito de Tucuruí – CTTUC, que por sua vez subordinada ao gestor municipal, fica de mãos atadas em fiscalizar um veículo “oficial” da municipalidade totalmente adesivado com a logomarca do munícipio. Por outro lado, o Detran realiza ações de fiscalização intercaladas na cidade com a vinda do posto avançado da capital, sendo que o veiculo L 200 alugado para a prefeitura sempre se livra de apreensão devido sua camuflagem com os adesivos da administração Sancler Ferreira.

Uma análise deve ser observada em comparação a esta situação que se encontra esta caminhonete L 200, pois, se uma moto sem placa ou com suspeita de licenciamento atrasado, estiver estacionada em qualquer ponto da cidade, os agentes da CTTUC, carregam a moto sem sequer procurar seu proprietário, para o caminhão guinche ficando o dono do veiculo de pés e só podendo resgatar seu veículo nos dias úteis de funcionamento da Companhia em seu pátio de retenção, com o devido pagamento da taxa de R$ 80,00 pelos serviços do guincho, que não foi solicitado pelo dono do veículo.

No caso da caminhonete que estamos denunciando que está totalmente irregular a 8 anos, devendo só de IPVA aos cofres do governo do estado o valor de R$ 16.663,35, então será que a CTTUC vai levar o carro guincho para a apreensão e o encaminhamento para o pátio de retenção do veículo até a sua regularização para liberação e prestação de serviços alugado para a PMT.

É importante esclarecer que nos bloqueios, em casos de irregularidades na documentação do veículo, oficial ou particular, ocorre o recolhimento para o pátio.

O problema da frota irregular na administração do prefeito Sancler Ferreira (PPS) apontando que mais da metade dos veículos próprios oficiais circulam de maneira ilegal. O principal entrave pela falta de licenciamento de carros, caminhonetes, ambulâncias, caminhões, caçambas, motocicletas, e até tratores são a falta de gestão e de compromisso com o estado de direito. (Wellington Hugles)

Urubus oferecem risco ao Aeroporto de Tucuruí

Centenas de urubus convivem com os catadores no lixão a céu aberto autorizado pelo prefeito Sancler Ferreira

Um lago de chorume atrativo dos urubus formado no lixão da prefeitura

Máquinas espalham o lixo em torno do terreno concentrando um numero incalculável de urubus


Pequenos lixões formados em toda a extensão da estrada que circunda o aeroporto de Tucuruí

Decisão do MP não foi cumprida pelo prefeito Sancler Ferreira e voos correm risco em face do lixão nas proximidades do aeroporto da cidade

Na foto um acidente de colisão com um urubu no para brisa de uma aeronave no momento do pouso

O jato da FAB na foto mostra o modelo do que sofreu a colisão com o urubu no pouso em Tucuruí

Colisão de urubu com Jato da FAB no último dia 24, demonstra a fragilidade de riscos de acidentes com aviões que pousam e decolam do Aeroporto de Tucuruí

Um Jato da Força Aérea Brasileira – FAB de prefixo 6052 que realizava inspeção preventiva dos equipamentos de apoio à navegação aérea da região, e em especifico os da torre de comando de Tucuruí, necessitou realizar um pouso forçado e perigoso em Tucuruí.

A aeronave ao receber autorização de aproximação para o procedimento de pouso no Aeroporto de Tucuruí foi surpreendida com urubus, onde um deles bateu em alta velocidade de frente com o para brisa do jato, por sorte, o urubu resvalou-se para a parte da calda do jato, não trazendo nenhum transtorno maior, pois, se o urubu fosse sugado pela turbina da aeronave, com certeza o jato sofreria um acidente com risco de morte da tripulação e dos moradores dos bairros vizinhos ao aeroporto.

Isso significa que a construção das casas vizinhas ao aeroporto de Tucuruí, no novo bairro Vivacidade – Cidade Universitária - criado pelo prefeito Sancler Ferreira colocará muitas famílias em risco com a manutenção do lixão da cidade nas proximidades do aeroporto.

Por diversas vezes medidas foram tomadas para coibir a colocação de lixo domiciliar, nos arredores do Aeroporto de Tucuruí, tentando evitar a proliferação dos urubus que são um dos maiores problemas que causam acidentes com aeronaves no tráfego aéreo brasileiro.

A 1ª Promotoria de Justiça de Tucuruí através do promotor Renato Belini instaurou no mês de maio deste ano, inquérito Civil Público para apurar as práticas de danos ambientais e perigo à saúde pública no terreno localizado as margens da Estrada Bom Jesus, km 09, em função de depósito de lixo a céu aberto no local, pela Prefeitura de Tucuruí através da empresa Clean Service.

A decisão do Ministério Público foi pelo fechamento do lixão, e as medidas necessárias para a extinção das montanhas de lixo que atrai centenas de urubus a 6 km de distância do aeroporto da cidade colocando em risco os pousos e decolagens das aeronaves.

Mesmo após estas determinações a prefeitura continua despejando diariamente centenas de toneladas de lixo da cidade no local, com isso comprometendo a vida dos usuários dos voos no aeroporto de Tucuruí, pois as determinações dos órgãos reguladores são que a distância mínima para a existência de lixão é de no mínimo 20 km de distância dos aeroportos.

Na esperança de que o problema seja solucionado a população de Tucuruí espera que a Infraero acione o Ministério Público Federal, Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA) e a Anatel, para fiscalizar as áreas próximas ao aeroporto que foram transformadas em lixão e em consequência viveiros dos urubus, como e o caso do deposito de lixo a céu aberto autorizado pela Prefeitura de Tucuruí na Estrada Bom Jesus.

Outras áreas de risco estão sendo formadas em função da colocação de lixo em toda a extensão do acostamento da estrada que circunda a área do aeroporto até próximo ao local do lixão, onde nestes locais foram criados diversos pontos de acumulo de lixo reunindo diversos urubus, com isso as aeronaves ao iniciar o pouso ou decolagem devido ao grande barulho que emitem, assustam os pássaros que voam em direção da aeronave colocando em risco de acidentes fatais.

A Infraero esclarece que os urubus representam grande perigo às aeronaves por conta do tamanho e peso das aves. Como já ocorreu em diversos outros aeroportos, as aves podem colidir com a superfície da nave, com turbinas e até mesmo com o para-brisa do avião, trazendo consequências desastrosas caso uma dessas batidas venha a quebrar o vidro de janelas da cabine de pilotagem, por exemplo.

A descompressão gerada a 5 milhas de distância da terra nessas condições causa desmaio no piloto e, por consequência, um acidente de altas proporções.

Devido ao lixão próximo ao aeroporto e o grande numero de urubus, os bairros do entorno do Aeroporto de Tucuruí, vivem em riscos constantes de serem atingidos caso haja um desastre, uma vez que o local de maior acúmulo dos pássaros fica a 6 km do aeroporto, na rota de aterrissagem. E importante esclarecer que colisões de urubus com aviões são raros, mas imprevisíveis, definindo o estado de alerta.

O acidente com a aeronave da FAB serve de aviso para que a coordenação de segurança da Infraero realize reuniões com o prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira responsável pelo lixão, para expor o problema e discutir soluções. Uma das soluções seria acionar o Ministério Público Federal denunciado o perigo que a população esta correndo, haja vista, que o prefeito não cumpriu as medidas do Ministério Público Estadual, que determinou o fechamento e transferência do lixão a céu aberto da prefeitura da Estrada Bom Jesus para outro local com toda a estrutura e autorização para este fim. E que seja acionado também o Conselho Nacional do Meio Ambiente, por meio de fiscalização do IBAMA para acabar com o lixão, com isso garantindo a tranquilidade dos serviços oferecidos pelo Aeroporto de Tucuruí aos seus usuários.

O perigo aviário é uma possibilidade real e iminente. A imprensa não tem o poder de mandatário, mas tem a obrigação denunciar os erros e sensibilizar as autoridades para que providências sejam tomadas urgentemente antes que ocorra uma catástrofe.

Com esta prova da fragilidade do aeroporto de Tucuruí com os pássaros, não podemos deixar ocorrer outro acidente com consequências piores, para que nossos governantes possam resolver o problema. (Welllington Hugles)

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

SINSMUT reuniu mais de cinco mil pessoas no dia do servidor público na AABB


O SINSMUT reuniu mais de cinco mil pessoas na sede da Associação dos Funcionários do Banco do Brasil em Tucuruí. O grande espaço ficou pequeno e a festa transcorreu sem grandes incidentes.

Correspondente do Diário do Pará e do Diário do Carajás jornalista Wellington Hugles recebe homenagem na edição desta sexta -feira

Prefeito Sancler Ferreira recebe quase R$ 1 milhão para o Projovem trabalhador em Tucuruí


Prédio do Projovem Irmã Rosalie Freitas no bairro do Getat, receberá recursos para a elevação da escolaridade e qualificação profissional - Projovem Trabalhador no valor de R$ 929.775,00


Tucuruí contemplada com recursos em projetos para Criança e Adolescentes


Transamazônica um sonho ou uma realidade!

Policia Federal preocupada com os desvios de verbas nas Prefeituras do sudeste Paraense


Matéria publicada no Jornal Correio do Tocantins

Prefeitura de Tucuruí: Recursos do FPM serão bloqueados em favor da Penha Madeiras

Índios liberam rodovia e canteiro de obras de Belo Monte

PM acompanhou oficiais que entregaram ordem de desocupação. Manifestação começou na madrugada de quinta-feira (27) no Pará

Indígena com arco e flecha em frente a canteiro ocupado (Foto: Divulgação/Ivan Canabrava/ Illuminati filmes)

O canteiro de obras da usina de Usina Hidrelétrica de Belo Monte, em Altamira (PA), no sudoeste do estado, foi desocupado, no início da noite de quinta-feira (27). Os manifestantes também desbloquearam a Rodovia Transamazônica. O protesto começou no início da manhã quando manifestantes ocuparam parte da obra e interditaram a rodovia. A informação é da Polícia Rodoviária Federal.

Segundo a PRF, a pista e o canteiro de obras foram liberados pelos índios por volta das 19h30, após a invasão que começou no início da madrugada. Não houve danos no local. Os policiais escoltaram os ônibus que levaram os índios para as cidades de procedência, inclusive Altamira.

O protesto foi encerrado depois que dois oficiais de Justiça, advogados da Norte Energia e o Grupo Tático da Polícia Militar chegaram no local do manifesto com a liminar de reintegração de posse expedida pela juíza Cristina Collyer Damásio, da 4ª Vara do Tribunal de Justiça do Estado do Pará.

Ela determinou a proibição de "atos de turbação ou esbulho" que poderiam comprometer o andamento da obra e estipulou multa diária de R$ 500 em caso de desobediência. Com a manifestação, cerca de 2 mil operários foram impedidos de trabalhar nas obras da usina por mais de 13 horas.

Entretanto, mesmo após a decisão, os índios, pesacadores e ribeirinhos afirmaram que vão manter o movimento. “Belo Monte só vai sair se cruzarmos os braços. Não podemos ficar calados. Temos que berrar e é agora. Não vamos sair daqui. Somos guerreiros e vamos lutar. Não vamos pedir nada ao governo, mas exigir o que a Constituição nos garante. Nossos antepassados lutaram para que nós estivéssemos aqui. Já foram feitos vários documentos, várias reuniões e nada mudou. As máquinas continuam chegando", disse Juma Xipaia, liderança de uma das etnias afetadas pela obra.

O canteiro de obras da hidrelétrica foi ocupado na madrugada de quinta-feira por cerca de 600 manifestantes, segundo informações do Conselho Indigenista Missionário (Cimi). Cerca de 600 indígenas, pescadores e ribeirinhos teriam ocupado o local nas primeiras horas do dia, mas moradores da região aderiram ao movimento e encorparam o protesto.

Para Sheila Juruna, do Movimento Xingu Vivo Para Sempre, o que revoltou os povos indígenas da região foi a falta de diálogo com eles durante o processo de aprovação do projeto e autorização para início das obras. “É uma vergonha a maneira como nosso próprio governo nos tratou, com contínuas mentiras e negando o diálogo com as comunidades afetadas.”

Em nota, a Norte Energia, concessionária responsável pela usina, afirmou que o projeto, "desde o seu início, é acompanhado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), com o apoio da Fundação Nacional do Índio (Funai), sendo conduzido com a plena concordância da população local e dos povos indígenas da região, para os quais são garantidos direitos fundamentais, preservação integral de suas terras e qualidade de vida".

Decisão - Na quarta-feira, um pedido de vista da desembargadora Maria do Carmo Cardoso adiou mais uma vez a decisão da Quinta Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região sobre a continuidade da construção da hidrelétrica. O julgamento está empatado, com um voto contra e outro a favor da usina. O tribunal analisa recurso do Ministério Público Federal no Pará contra decreto de 2005 do Congresso Nacional que autoriza a construção da usina.

Os procuradores apontam pressa na aprovação da medida, o que teria impedido consultas obrigatórias às comunidades indígenas atingidas pela obra. Se concluída, a usina de Belo Monte será a segunda maior hidrelétrica do país, atrás somente da binacional Itaipu, e a terceira maior do mundo.

Obra - A obra da hidrelétrica de Belo Monte é a maior em andamento no Brasil. A usina será a segunda do país em capacidade de geração de energia, atrás apenas da binacional Itaipu. O governo diz que Belo Monte é essencial para suprir a demanda energética do país em razão do crescimento econômico e, por isso, persiste na construção da usina apesar de todos os questionamentos dos impactos socioambientais.

A construção da hidrelétrica foi autorizada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) mesmo sem os dados precisos do tamanho da área que será desmatada. A Norte Energia, empresa responsável pela obra – o governo é dono de cerca de 50% da empresa –, diz que ainda está sendo feito um levantamento da área de supressão vegetal e da quantidade de mata que será replantada.

A área a ser desmatada é a soma das obras de infraestrutura na região para que a usina possa ser construída, como abertura de estradas e construção de acampamentos, mais a área que será alagada pelos reservatórios da hidrelétrica.

De acordo com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o Pará foi o estado que mais desmatou em junho. Em relação a maio, houve um aumento de 82,5% na área de desmatamento detectada. No entanto, o instituto não fez nenhuma relação entre o desmatamento e a obra da usina. (Com informações obtidas no G1 e retirado do Agorapress)

NOTA À IMPRENSA

O Sítio Belo Monte, um dos canteiros de obras para a construção da Hidrelétrica Belo Monte, no Pará, foi ocupado na madrugada de hoje (27/10) por alguns integrantes de um grupo formado por cerca de 250 manifestantes.

O Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pelas obras civis e de engenharia do empreendimento, tomou conhecimento da intenção de ocupação no fim da noite de ontem (26/10), quando decidiu pelo cancelamento imediato das atividades, de modo a garantir a segurança de seus funcionários.

Acreditamos que a desocupação se dará de maneira ordeira, mediante a ágil adoção das medidas cabíveis pelas autoridades.

Ministério Público Federal acata denúncia do Conselho de Saúde e instaura Inquérito Civil Público contra Prefeitura de Tucuruí



Contratada a Agência de Publicidade Shekinah para a Prefeitura de Tucuruí



Extrato do contrato de publicidade publicado no Diário Oficial da União de Brasília


Orçamento Anual da PMT, que disponibiliza R$1 milhão para propaganda, assinado pelo gestor municipal

Como vencedora da licitação realizada em 19 de setembro de 2011, onde apenas a vencedora no total de trés compareceu no certame, foi oficialmente publicado no Diário Oficial da União em Brasilia, o extrato do contrato da empresa Carla Alin Alves Estumano & Cia LTDA - Agência de Publicidade SHEKINAH com o Município de Tucuruí.

A vencedora é uma empresa natural de Tucuruí que foi constituída em maio de 2010, e que dentre as outras empresas com experiência no ramo a anos foi a vencedora para realizar a propaganda institucional da Prefeitura Municipal de Tucuruí.

Tendo como recursos assegurados para o exercício do contrato no orçamento anual o valor de R$ 1 milhão, podendo ser aditivado em até 100% pelo prefeito Sancler Ferreira, ou seja, mais R$ 1 milhão para publicidade, totalizando R$ 2 milhões de recursos dos cofres públicos para a divulgação das obras e serviços em toda a cidade da administração municipal.

É propaganda pra toda a cidade.


quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Louvor Tuc 2011: mais de 20 mil evangélicos louvando a Deus

Fotos: Wellington Hugles


Mais de 20 mil pessoas lotaram as escadarias e a Avenida Santo Antônio no Louvor Tuc

O Conselho de Pastores de Tucuruí, esta realizando na noite desta quinta-feira, 27, nas escadarias da Santo Antônio, o Louvor Tuc 2011, um evento inédito que reuni os crentes em Deus para participar dos cantos de louvor e liberdade.

O evento esta sendo um sucesso extraordinário reunindo até as 22:00 h cerca de 20 mil pessoas, para agradecer a Deus as bênçãos alcançadas e para cantar louvores juntamente com a cantora gospel Damares que desponta nacionalmente com o sucesso Diamante, que já foi abençoada com a venda de cds, recebendo um disco de Ouro e outro de Platina.

A cidade de Tucuruí esta em festa com a presença da cantora Damares, que esta abençoando todos os presentes nas escadarias. O Louvor Tuc ficará na história do munícipio pela organização e a presença dos irmãos evangélicos que lotam as escadarias e a avenida.

O Louvor Tuc é a congregação dos evangélicos crentes em Deus e que além de uma belíssima comemoração com cânticos em louvores a Deus, e o início de uma conquista recente com a aprovação da data de 31 de outubro como feriado municipal em reconhecimento a Consciência Evangélica dos irmãos tucuruienses. (Welllington Hugles)




O homem de Deus e radialista Mauro Gomes juntamente com os pastores apresentou o show de bênçãos e a libertação das pessoas com sofrimentos e endemoniados





Do palco do Louvor Tuc 2011 as bênçãos fora distribuídas a toda a população de Tucuruí

Cantora gospel Damares que desponta nacionalmente com o sucesso Diamante que já foi abençoada com um disco de Ouro e outro de Platina

Jader Barbalho comemora aniversário hoje

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Unidade Avançada do IML de Tucuruí, sobre nova direção

Placa de inauguração da Unidade Avançada do CPC

Conforme informações do assessor de imprensa do Centro de Perícias Criminais Renato Chaves, Nil Muniz, a Unidade Avançado do CPC da Região do Lago (IML de Tucuruí) inaugurada no último dia 23 de setembro, que tinha como diretora Dinalva Tavares Lopes nomeada motorista do carro tumba da unidade. e que estava respondendo pelo órgão, foi exonerada, e em seu lugar assumiu a direção Helen Jorge, que está vindo da capital para assumir por um pequeno período a unidade para organizar e iniciar o seu aparelhamento.

Com isso garantindo um melhor atendimento para toda a região do Lago de Tucuruí.

Núcleo Avançado do CPC Renato Chaves em Tucuruí apresenta balanço

Mais de 200 perícias em um mês de funcionamento da Unidade Avançada da Região do Lago beneficiando os municípios

O Núcleo Avançado do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves de Tucuruí já atendeu a cidade e municípios vizinhos com mais de 200 perícias, que vão desde lesões corporais a necrópsias e locais de crime. O número de serviços realizados foi levantado essa semana e mostra a importância da presença da perícia oficial na região, disponibilizando os serviços do Instituto Médico Legal (IML) e do Instituto de Criminalística (IC).

Desde sua inauguração, no dia 23 de setembro, o IML já realizou 124 lesões corporais, quatro exames de conjunção carnal, quatro de ato libidinoso e 29 necrópsias, chegando a 161 perícias de Medicina Legal. Peritos criminais do IC já realizaram 10 perícias veiculares, oito constatações de local de crime com cadáver, duas constatações de local de crime contra o patrimônio, cinco perícias toxicológicas (definitivo e constatação), seis coletas de material para laboratório, 15 perícias em objetos e equipamentos, uma análise de DNA, uma reprodução simulada (reconstituição de crime) e 12 perícias de balística forense, somando 60 perícias. O total de perícias realizadas é de 221.

Segundo o Gerente das Unidades Regionais do CPC Renato Chaves, Alexandre Ferreira, antes da chegada do Núcleo à região, população, polícia e Justiça não eram atendidas como deveriam. “Muitos dos crimes cometidos na cidade, municípios e agrovilas vizinhas não podiam ser atendidos, salvo em casos especiais. O atendimento feito pela Unidade Regional de Marabá funcionava e ainda funciona, mas levava mais tempo. Hoje, o Núcleo continua sob a responsabilidade da Unidade Regional de Marabá, mas o atendimento é pontual, temos médicos e peritos criminais disponíveis e executando um trabalho fundamental para a sociedade”, explica.

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves funciona em três partes fundamentais, sendo área administrativa, Instituto Médico Legal (IML) e Instituto de Criminalística (IC). No Núcleo de Tucuruí, o IML possui cinco médicos credenciados e atende de 8h às 22h, com os serviços de Perícia no Morto (Necrópsias) e Perícia no Vivo (lesões corporais e sexologia). O IC atende 24h, com as perícias de Local de crime (com e sem cadáver), danos ao patrimônio (público ou privado), constatação de drogas ilícitas e coleta de material biológico (consumo de álcool e drogas). O IC também garante perícias de veículos, engenharia legal e engenharia ambiental, as quais são programadas.

A respeito da estrutura, o diretor Geral do CPC Renato Chaves, Orlando Salgado Gouvêa, explica que a descentralização da perícia é um sonho antigo do interior do Estado. “A descentralização já é uma realidade. O CPC possui equipamento necessário e pessoal capacitado para atender as demandas do município. Essas 221 perícias mostram a presença da Segurança Pública e do Governo do Estado em Tucuruí. São mais de 200 atendimentos diretos à Justiça, à polícia e principalmente à sociedade, que vem recebendo um atendimento que antes não tinha”, conclui. (Com informações de Nil Muniz - Assessor de Imprensa - CPC Renato Chaves)