Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 16 de julho de 2014

Belo Monte: Morte do sinaleiro em obra foi acidental, segundo afirmou o motorista da caçamba



WELLINGTON HUGLES
De Altamira
Foto: Wellington Hugles

O funcionário do Consórcio Construtor Belo Monte (CCBM), responsável pelas obras de construção da Usina Hidrelétrica de Belo Monte, no Rio Xingu, em Altamira, sudoeste do Pará, Marcos da Silva Alves, 47 anos, natural de Manaus (AM), atuava na obra, na função de sinaleiro, morrendo atropelado na noite da última terça-feira (15), quando retornava do jantar para sua frente de trabalho.

Segundo os companheiros de trabalho, Marcos da Silva Alves, estava retornando para a sua jornada de trabalho após o jantar, e ao chegar ao canteiro Sítio Canais e Diques, conhecido como “Bota Fora 22”, por volta das 22 h, na área de escavações do canal de derivação, ao descer do ônibus, e dirigir-se ao seu local de trabalho, foi bruscamente surpreendido pelos rodados do veículo pesado, uma caçamba, que após ter descarregado o material, estava em marcha ré, inclusive, sendo orientado por outro sinaleiro, o motorista Elias Caetano de Araújo, que estava conduzindo a caçamba, não viu o momento do acidente, e alega que o atropelamento foi acidental.

Em seu depoimento, que prestou na tarde desta nesta quarta-feira (16), perante o delegado Lindoval Borges, titular da Delegacia de Polícia Civil de Vitória do Xingu. “Ele conduzia a caçamba, que atropelou e matou o sinaleiro Marcos da Silva Alves, dentro da área de construção da Usina Hidrelétrica Belo Monte, por volta das 22 h da terça-feira (15)”.

Em sua defesa o motorista afirmou que, “a morte do operário, foi uma fatalidade, um acidente de trabalho”. Depois das oitivas, o delegado Lindoval Borges realizou a liberação do motorista Elias Caetano de Araújo, que retornou ao trabalho na obra.

Segundo Elias Caetano de Araújo, ele opera um dos caminhões que retira barro do canal. “Cheguei por volta das 22 h, ao local do acidente para despejar o material “bota fora” e estava sendo orientado por um sinaleiro, no momento da manobra em marcha ré na caçamba, neste mesmo espaço de tempo, pela infelicidade do destino, um grupo de operários descia de um ônibus da empresa, após o retorno do jantar, foi quando a vítima Marcos Alves passou próximo ao local da manobra da caçamba, operada por mim, só vim perceber que havia atropelado Marcos da Silva Alves, quando os nossos companheiros de trabalho, desesperados correram ao socorro da vítima, que já se encontrava morto tendo sofrido esmagamento”, foram momentos de muita tristeza e consternação.

De acordo com a assessoria do CCBM, o acidente ocorreu dentro do sítio Canais e Diques, um dos canteiros de obras do empreendimento, o local foi interditado, e os agentes da Polícia Civil foram acionados até o canteiro, durante a madrugada da quarta-feira (16), para apurar as circunstâncias da morte.

O delegado Lindoval Borges, após ter ouvido Elias Caetano, intimou ainda, para prestar esclarecimentos, o sinaleiro responsável pela manobra do caminhão e o motorista do ônibus que trouxe a vítima.

A polícia trabalha com a possibilidade de concluir a tomada dos depoimentos no inquérito em 30 dias.
Em nota, o Consórcio Construtor Belo Monte lamentou o ocorrido e disse que está colaborando com as investigações acerca do acidente, assim como tem adotado todas as providências cabíveis para prestar o devido apoio à família do funcionário para o seu funeral.


Nenhum comentário:

Postar um comentário