Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 15 de julho de 2014

Tucuruí: População sofre há três dias com a falta de água potável



 





WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A população da cidade de Tucuruí atravessa mais uma situação de calamidade pública, desde a manhã do domingo 13, os mais de 113 mil habitantes da cidade estão sendo penalizados pela falta do fornecimento de água tratada nas torneiras das residências. O fornecimento e realizado através da autarquia da Prefeitura de Tucuruí “Nossa Água”, que, segundo informou a dona de casa Maria Eunice Pereira Furtado, 59 anos, moradora do bairro Nova Tucuruí, bairro nobre da cidade, esclareceu que “esta autarquia Nossa Água, não tem nada de nossa, estamos a mercê dos poços artesianos dos vizinhos, tudo por causa da imprudência e inoperância dos gestores municipais, que se quer, se preocupam em disponibilizar o fornecimento de água tratada para os moradores da cidade.

Desta vez, a falta de água esta generalizada para todo o município, antes, a autarquia fazia a ciranda do desvio da água, disponibilizando água, a cada dia, para um bairro diferente da cidade, mas infelizmente, mesmo com os custos onerosos para a manutenção dos serviços, que ultrapassam R$ 500 mil mês, a falta de pessoas qualificadas e o interesse de fazer gestão pública, estão prejudicando toda a população que necessita do líquido precioso para a manutenção da vida dos seus familiares e de suas casas.

Eunice Cêzar Moreira, 39 anos, moradora do bairro mais populoso da cidade, o Getat, denuncia que no bairro, faz 15 dias que a água não chega às torneiras, “isso e uma vergonha uma cidade rica, que arrecada por mês R$ 20 milhões e não oferece sequer, água tratada nas torneiras dos contribuintes da cidade”.


As reclamações são generalizadas, no bairro da Pioneira, também área nobre da cidade onde reside o gestor municipal, a água, não chega há uma semana, Cintia Luana Santos Leão, 27 anos, afirmou que, “na casa do prefeito tem poço artesiano com 50 metros de profundidade, mais aqui no bairro, todos nós somos obrigados a buscar água na cabeça nas margens do Rio Tocantins, agora imaginem, uma cidade como Tucuruí, no século XXI, maior geradora de energia para a região e país, com o maior lago artificial do país, e que sua extensão, é do tamanho 20 vezes do estado de São Paulo, mas sua população esta mendigando água tratada para o consumo, isso e vergonhoso, o prefeito tinha era que tomar vergonha na cara e trabalhar, parando de publicar na televisão estas mentiras infundadas”.

ETA - A governo federal através da empresa Eletrobras Eletronorte construí na Vila Permanente de Tucuruí, como compensação pelo barramento do Rio Tocantins e a sua utilização na geração de energia, que, além dos repasses mensais dos royalties, compensação pela utilização das águas do Rio Tocantins, que em média são repassados para a Prefeitura de Tucuruí o valor de R$ 1,5 milhão, ainda construiu através do projeto do Pirtuc, a Estação de Tratamento de Água Tratada de Tucuruí (ETA), e entregaram no mês de agosto de 2013, após três anos de espera da conclusão das obras de contrapartida da Prefeitura de Tucuruí, que nunca foram finalizadas, a estação de tratamento e distribuição de água tratada de Tucuruí, projeto audacioso, que tem capacidade de atender 200 mil famílias, com água de qualidade durante 30 dias por mês e 24 horas por dia.

Mas infelizmente a contrapartida das obras da prefeitura, que seriam de impermeabilizar os dois reservatórios, além da ligação da tubulação, que liga a estação da vila até o setor de distribuição no bairro Santa Mônica, distante a 7 km, mas, passado 3 anos do início da obra pela prefeitura, e passado estes 10 meses após a entrega oficial da ETA, nada foi feto pela prefeitura de Tucuruí para viabilizar a chegada de água tratada nas torneiras dos tucuruiense, mesmo sabendo da escassez que esta se instalando em todos os bairros, em função da falta de competência e capacidade administrativa para a continuidade do bombeamento, tratamento e distribuição de água, ainda da antiga adutora do KM 4, que mesmo com suas limitações, estava atendendo precariamente em dias intercalados a população.

Os moradores dos bairros da Nova Matinha, Santa Mônica e Jardim Marilucy, denunciam que a prefeitura de Tucuruí, de forma inconsequente, vem deixando de atender aos moradores que há anos passam por estas dificuldades na carência da falta de água tratada, mas rapidamente disponibilizou equipes e a liberação da tubulação existente da antiga adutora do sítio Deus e Grande nas margens da BR 422, que servia de retaguarda, para os casos de prováveis interrupções na adutora do KM 4, com isso, o condomínio Parque dos Buritis II, empreendimento milionário e particular, que visa a venda de lotes residências para pessoas de padrões de vida elevados, autorizou a ligação de água tratada para o condomínio, que não tem uma residência construída, em detrimento aos quase 120 mil moradores, que sofrem sem água tratada nas suas torneiras, um paradoxo inexplicável do prefeito Sancler Ferreira.

Sandra Luiza Cunha, 31 anos, moradora do bairro Beira Rio, esclareceu que, durante a campanha politica os candidatos prometem até que a água vai sair gelada das torneiras, mas quando é eleito, a única coisa que temos quando a água um dia chega as torneiras, e o chá de lama, uma água vermelha e com um fedor insuportável, “queria vê, o prefeito encher a sua piscina da sua casa, com esta água lameada para banhar, só ratos aceitariam este banho”, disparou revoltada a dona de casa.






Denúncia - Por outro lado, recursos do governo federal foram canalizados nos últimos cinco anos, para a colocação de captação e distribuição de água nos bairros, com caixas d’água independentes, através de poços artesianos, os cinco poços, nos diversos bairros foram iniciados, as verbas vieram, mas nenhum foi concluído ou entrou em funcionamento.

Da mesma forma, esta a obra da caixa d’água do bairro Santa Mônica, que há 4 anos foi iniciada as fundações, sendo pagos pela prefeitura todo os valor do contrato, mais o aditivo, e até hoje a obra não evolui sequer um metro.

A equipe de reportagem procurou a assessoria da Prefeitura de Tucuruí, mas foi informada, que em função ao recesso da prefeitura, que pendura até 18 de agosto, não teriam como dar qualquer esclarecimento do assunto.

A superintendência da autarquia Nossa Água, também foi acionada, mas informou que o diretor estaria para a zona rural, e que em função do recesso, ficariam impedidos de fornecer qualquer esclarecimento em função ao setor administrativo estar fechado.



Um comentário: