Pesquise as matérias do JT:

domingo, 31 de agosto de 2014

Pacajá: PM realizou a maior apreensão de entorpecentes na cidade



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O Comando do IV CPR que tem como comandante o Coronel Barata, através do Destacamento da Polícia Militar sediado em Pacajá, sudeste do Pará, realizou a maior apreensão de drogas dos últimos anos na cidade, foram encontrados com os meliantes 585 petecas de oxí prontas para comercialização e mais 300 gramas do produto ainda em pedra, além da quantia em dinheiro de R$ 1.455,00.

A equipe da PM, formada pelos militares: Sargento John, Cabo André e Soldados Alves e França, após denuncia da população iniciaram a missão que culminou com a detenção dos dois suspeitos de estrem produzindo e comercializando os entorpecentes na cidade de Pacajá, ambos os suspeitos de tráfico foram apresentados à autoridade policial na Delegacia especializada da cidade.

Segundo o comandante do IV Comando de Policiamento Regional da PM, sediado em Tucuruí, Coronel Barata, a PM está diuturnamente, combatendo e eliminando está prática ilegal e delituosa, que prejudica diretamente as famílias, colocando os nossos jovens e adolescentes no caminho das drogas e do vício, segundo o coronel, “uma porta imensa de entrada, mas sem uma saída”.

“Estamos tratando estes traficantes com os rigores das leis, sendo presos e apresentados para serem enquadrados junto às especializadas, e assim após decisão judicial, ficarem fora de circulação do convívio em sociedade, por uma boa temporada”, frisou Barata.

Transamazônica: Motorista morre em consequência ao tombamento da carreta madeireira






O condutor da carreta que faleceu Tiago Rodrigues Lima

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Na manhã deste sábado (30), mais um fatal acidente ocorreu na rodovia BR 230 (Transamazônica), na altura do quilômetro 180, saindo do município de Novo Repartimento em direção a Vila do Maracajá, sudeste do Pará.

Uma carreta lotada com uma carga de madeira saiu da pista e tombou, o condutor Tiago Rodrigues Lima, natural de Orobó no estado do Pernambuco, faleceu no local preso as ferragens.


Seu corpo foi removido pela funerária local, e transladado para sua cidade de origem.

UTI Aérea: PMs são transferidos para Belém









                                               WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Dos três soldados da PM internados no Hospital Regional de Tucuruí, dois foram transferidos para Belém através de aeronaves, o primeiro foi o soldado Danilo, que se encontra com fratura no fêmur, sendo levado no Helicóptero de Salvamento do Governo do Pará, que pousou em frente ao Hospital Regional de Tucuruí, na Vila Permanente, sudeste do Pará.

O Soldado Danilo, que também estava no veículo Amarok da Polícia Militar, que colidiu de frente com um caminhão carvoeiro na rodovia PA 150, na altura do trevo de entrada de Goianésia do Pará no acesso à Tucuruí, na noite da sexta-feira (29), no qual foi a óbito no local a policial feminina Sargento Merien, que ficou presa nas ferragens.
Sargento Merien faleceu no momento da colisão 
Danilo já se encontra internado no Hospital Saúde da Mulher em Belém, onde passará por uma bateria de exames, e será submetido à intervenção cirúrgica.

Ainda no domingo (31), uma aeronave UTI Aérea, pousou no aeroporto de Tucuruí, para transportar o Soldado Renan que se encontra em estado grave, e necessita de atenção especializada em Hospital da Capital.

O Soldado Renan foi transferido e internado no Hospital Metropolitano do estado, em Ananindeua, área metropolitana de Belém.

Soldado Gederson Araújo Oliveira

Coma - O Soldado Oliveira, que teve seu óbito noticiado na noite do sábado (30), por alguns meios de comunicação, contínua internado no CTI do Pronto Socorro do HRT, seu estado clínico está inalterado, entubado, respira com ajuda de aparelhos, sendo impossível avaliar uma alteração no seu quadro clínico, em função de estar em coma.
O militar estar aguardando uma melhora, para que possa ser realizada também sua transferência, através de UTI Aérea, para uma clínica de tratamento neurológico no estado de São Paulo.

Os familiares do Soldado Gederson Araújo Oliveira, 27 anos, acreditam na sua recuperação, e estão em vigília de orações pedindo a Deus pela manutenção da saúde do militar.

Os comandos do IV CPR e do 13º BPM estão dando total assistência aos militares na garantia da manutenção de suas vidas, realizando uma grande força tarefa, no sentido de viabilizar a transferência e o atendimento especializados em todos os casos que necessitam os militares.  

sábado, 30 de agosto de 2014

Acidente na PA 150: Soldado Oliveira precisa de transferência aérea urgente para Belém

Soldado PM Oliveira precisa ser transferido urgente para Belém

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Arquivo pessoal

O Soldado Gederson Araújo Oliveira, que também estava na viatura que se envolveu na colisão na noite da sexta-feira com o caminhão carvoeiro na PA 150, em Goianésia do Pará, sudeste do Pará, encontra-se em estado gravíssimo na UTI do Hospital Regional de Tucuruí, seu quadro clínico requer sua transferência imediata para outro hospital especializado na capital, aguardando apenas a autorização pela Sespa para sua transferência através de UTI Aérea.

Segundo a equipe médica do HRT, tudo que esta sendo feito para a manutenção da vida do soldado, mas em função aos ferimentos, sua saúde esta fragilizada.

O militar encontra-se entubado e nos aparelhos da UTI, sendo necessária sua transferência urgente e imediata para Belém.


A Sespa, através do seu serviço de regulação, deverá autorizar ainda durante a madrugada deste domingo (31), a transferência do PM através de UTI aérea.

Goianésia do Pará: O último adeus a militar Sargento Merien



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Milhares de pessoas lotaram a maior igreja do município de Goianésia do Pará, para fazerem a última homenagem a policial militar Sargento Merien Rodrigues Alves, 40 anos, que morreu em um acidente fatal na noite da sexta-feira (29), na rodovia PA 150 próximo ao trevo de entrada de Tucuruí.

O clima de comoção estava externado em todas as mais de 3 mil pessoas que foram ao velório, os companheiros de farda da PM, estavam enlutados pela perda prematura daquela que sempre defendeu a população do  município e do Pará.

No final da tarde, seu féretro foi transladado para sua cidade natal de Conceição do Araguaia, onde será sepultado no final da manhã deste domingo (31).

Os comandantes do IV CPR Coronel Barata, 13º BPM de Tucuruí Tenente Coronel Mascarenhas e o do Destacamento da Polícia Militar de Goianésia do Pará, Capitão Mendes, lamentam a perda prematura da grande militar que ao longo do tempo de sua atuação nas fileiras da PM sempre foi um exemplo, quebrando paradigmas e rompendo fronteiras.





Novo Repartimento: Motociclista morre em queda de ponte na Vicinal Tuere





WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Por volta das 7 h da manhã deste sábado (30), um acidente fatal foi registrado na Vicinal Tuere, uma das estradas de acesso à rodovia BR 230 (Transamazônica), na localidade Vila do Maracajá, no município de Novo Repartimento, sudeste do Pará, que culminou com a queda de um motociclista, que ao ultrapassar uma das pontes, conhecida como “Ponte do Jackson”, caiu de uma altura de 6 metros, morrendo instantaneamente.

A vítima foi identificada como Marciano, natural do estado do Ceará, e que segundo informações de populares, morava com seus familiares colonos em um dos lotes do Assentamento Tuere.

O Destacamento da Polícia Militar do Pará na Vila do Maracajá foi acionado, e tomou todas as providências para a retirada do corpo da vítima, que foi removido para a cidade de Novo Repartimento por uma funerária local.


Os PMs, Sargento Siqueira e os Cabos Sousa e Modesto, juntamente com o Soldado Monteiro, estiveram no local do acidente e comandaram a operação de retirada da motocicleta de marca Honda/NXR 150 Bros, de cor vermelha e placa JWD 5574 e do corpo da vítima de prenome Marciano.

PA 150: Aumenta para duas as vítimas da colisão entre viatura da PM e caminhão carvoeiro




WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Mais uma vítima da colisão entre a viatura da PM de Goianésia do Pará e um caminhão carvoeiro, acidente registrado as 22 h, desta sexta-feira (29), na rodovia PA 150 próximo ao trevo de acesso para Tucuruí, em frente ao Posto Jatobá.

Em função a morte instantânea da Policial Militar Sargento Merien Rodrigues Alves, 40 anos, apenas na manhã deste sábado (30), foi feita a retirada da carga e do caminhão carvoeiro que mesmo tendo tentando desviar da colisão frontal com a viatura, sendo inevitável, tombou as margens da rodovia, a princípio pensava-se que o motorista do caminhão teria evadindo-se do local, mas no final da manhã após a retirada de parte da carga de carvão, foi descoberto o seu corpo embaixo do caminhão, até o fechamento desta edição não foi identificado o condutor do caminhão.


Até o início da tarde a equipe de remoção do IML de Tucuruí não tinha sido acionada para a condução do cadáver até Tucuruí e a realização de necropsia.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

PA 150: Sargento da PM morre em colisão de viatura com caminhão carvoeiro


Sargento PM Merien










PA 150:A  Sargento da PM morre em colisão de viatura com caminhão carvoeiro, ficando presa nas ferragens

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Watsap e Wellington Hugles

Por volta das 22 h, desta sexta-feira (29), a viatura GU Amarok do Comando de Policiamento de Goianésia do Pará, que estava em perseguição a uma motocicleta que estava em situação suspeita (informação não confirmada), logo após o Posto Jatobá, na PA 150, já na zona urbana da cidade, próximo ao Motel Coqueiro, no momento em que a viatura tentava uma ultrapassagem colidiu de frente com um caminhão carvoeiro, que trafegava no sentido centro para a saída da cidade pela PA 150 (sentido Tailândia).

A colisão foi gravíssima, levando a morte instantânea da Sargento PM Merien Rodrigues Alves, de 40 anos, destes 20 anos na PM, os outros ocupantes da Amarok, os soldados: Danilo, Renan e Oliveira foram socorridos as pressas para o Hospital Regional de Tucuruí e estão em estado grave, o soldado Negrão do município de Anapú, que estava de carona, foi o único que saiu ileso do acidente, sendo levado ao quartel, onde encontra-se completamente consternado.

Os companheiros de corporação da Polícia Militar, estiveram no local e organizou o tráfego de veículos, a Polícia Civil foi acionada juntamente com a Polícia Rodoviária Estadual.

A autoridade policial da Delegacia de Goianésia do Pará requisitou a remoção do corpo da policial para o IML de Tucuruí, que necessitou do auxílio do Corpo de Bombeiros, em função a vítima estava presa nas ferragens.

Até o fechamento desta edição não houve nenhuma informação da alteração do quadro clínico dos PMs internados no Pronto Socorro do HRT.

O soldado Daniel Sheridan foi um dos primeiros a ser acionado após o trágico acidente, em função a estar escalado para compor a equipe da Sargento Merien na viatura de ronda Amarok, que veio a ocorre o acidente levando a sua morte em serviço, mas em cima da hora, foi convocado a ficar de guarda na base do destacamento em Goianésia do Pará.

Os militares de Goianésia do Pará e região estão todos triste e enlutados pela perda prematura da Sargento Merien, assim como toda a população da cidade, que tinha um carinho especial pela PM.

Ainda neste semestre a Sargento Merien seria promovida para a patente de Sub Tenente, inclusive formou-se no curso de Serviço Social, neste ano.

Não tendo a oportunidade de exercer sua profissão, que ela externava, “ser depois das fileiras da PM, um dos sonhos de sua vida”.

Ainda na manhã do sábado (30), o corpo da Sargento PM Merien, passou por necropsia e liberado aos familiares para os funerais, o féretro seguira até Goianésia do Pará, onde será feita homenagem póstuma, pelos companheiros de trabalho, inclusive com salva de tiros e de lá transladado para sua cidade natal de Conceição do Araguaia, onde será sepultado no domingo (31).

Os comandantes do IV CPR Coronel Barata, 13º BPM de Tucuruí Tenente Coronel Mascarenhas e o do Destacamento da Polícia Militar de Goianésia do Pará, Capitão Mendes, lamentam a perda prematura da grande militar que ao longo tempo de sua atuação nas fileiras da PM sempre foi um exemplo, quebrando paradigmas e rompendo fronteiras.




Wellington Hugles aprovado no vestibular para Bacharelado em Direito

Wellington Hugles novo acadêmico do curso de Direito em Tucuruí

Obrigado meu Deus de Poder e Glorias, por mais esta vitoria, acadêmico do curso de Bacharel em Direito/2014.


As bençãos são derramadas aqueles que vivem nas leis de Deus!!!!!!

Operação confirma importância da manutenção do Ibama em Tucuruí, diz MPF



Procurador da República Luiz Eduardo de Souza 

Smaniotto realizou visita in loco nas áreas desmatadas




Ibama pretende fechar escritório na região, mas MPF cobra realização de estudos de impactos

Operação de combate ao desmatamento realizada no último dia 20, detectou oito áreas de desmatamento ilegal nos municípios de Tucuruí, Baião e Pacajá, na região sudeste do Pará. Houve fiscalização em carga de madeira e apreensão de motosserras, informa o escritório regional do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Tucuruí.

Além do Ibama, participaram da operação servidores do Ministério Público Federal (MPF), secretaria municipal de Meio Ambiente de Tucuruí  e Polícia Militar, com cooperação do comandante da IV Companhia de Policiamento Regional, coronel Pedro Paulo Barata.

A fiscalização foi realizada no eixo da rodovia Transcametá, na região do projeto de assentamento Cururuí, e em estradas próximas.

Para o MPF em Tucuruí, além de promover a preservação ambiental a atividade demonstrou a necessidade de permanência do escritório regional do Ibama em no município. Em 2013, o MPF conseguiu no Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) decisão provisória que obriga o Ibama a manter as atividades da unidade avançada do instituto no município de Tucuruí.

Antes de entrar com ação na Justiça, o MPF tentou uma solução conciliatória para a questão. Foram encaminhadas à presidência do Ibama, em Brasília, e à superintendência regional do órgão no Pará recomendações para que a decisão da autarquia de desativar o escritório em Tucuruí só fosse tomada após a realização de estudos sobre os impactos socioambientais dessa desativação.

O MPF também promoveu, no município, audiência pública em que órgãos públicos e organizações sociais reivindicaram não só a manutenção do escritório do Ibama mas também a reestruturação e modernização da unidade, para tornar a autarquia mais presente e eficiente na região. Como a autarquia não atendeu aos pedidos do MPF, de pesquisadores, organizações sociais e cidadãos em geral, o caso foi levado à Justiça.

Atuação criminosa – Em alguns dos pontos de desmatamento fiscalizados foi detectado que a exploração ilegal da madeira é feita à noite, para dificultar o trabalho dos fiscais, informa o chefe do escritório regional do Ibama em Tucuruí, Antônio Zildomar de Oliveira.

Segundo ele, nesses locais as trilhas que avançam em meio à floresta foram feitas com o uso de tratores de esteira. Tratores de pneus foram usados para a colocação das toras em caminhões que transportam o material até serrarias da região, onde a madeira é beneficiada.

A suspeita da equipe de fiscalização é que a legalidade da madeira que chega às serrarias seja forjada por meio de fraudes no sistema de controle de créditos florestais. Os créditos falsos viriam de planos de manejo existentes na região.

Segundo Oliveira, são planos de manejo que recebem mais créditos florestais do que a capacidade que têm de produção. Esse excedente de crédito é o responsável pelo "esquentamento" ou acobertamento da madeira extraída de forma ilegal.

“Em todos esses casos é necessário um monitoramento posterior, para mensuração das áreas a partir das próximas imagens de satélite do local, com posterior identificação e autuação dos responsáveis”, explica o chefe do Ibama em Tucuruí. De acordo com ele, caso os responsáveis pelo desmatamento ilegal não sejam identificados, as áreas serão embargadas com responsabilidade desconhecida.

Processo nº 0004937-50.2013.4.01.3907 – Justiça Federal em Tucuruí

Link para acompanhamento processual: https://processual.trf1.jus.br/consultaProcessual/processo.php?proc=00049375020134013907&secao=TUU


MPF denuncia grupo de empregados que desviou recursos de indígenas no Pará


Além de irregularidades com R$ 12,6 milhões, acusados endividaram associação no comércio e com agiotas

O Ministério Público Federal (MPF) encaminhou à Justiça Federal denúncia contra quatro ex-empregados de uma associação indígena acusados de desviar recursos da associação.

Caso condenados, os acusados podem ter que cumprir penas de até dez anos e oito meses de reclusão, além de pagamento de multa.

As irregularidades foram cometidas com recursos da Associação Indígena Porekrô, de indígenas Xikrin da Terra Indígena Xikrin do Kateté, com área nos municípios de Marabá, Parauapebas e Água Azul do Norte, no sudeste do Pará.

São recursos recebidos pela associação da mineradora Vale como compensação etnoambiental pela exploração minerária em 411 mil hectares da região.

De junho de 2008 a dezembro de 2010 os empregados da associação Raimundo Otávio Miranda, Jackson Ribeiro de Alencar, Alene de Oliveira de Souza e Nádia Gleciane Costa Araújo administraram um total de R$ 12,6 milhões.

Auditoria feita pela Fundação Nacional do Índio (Funai) identificou uma série de irregularidades com os recursos, como pagamentos sem comprovação dos gastos, superfaturamento, falta de documentação, ausência de registro de despesas na prestação de contas, e até compra de veículos em nome dos ex-empregados.

Além de desvios, dívidas - Segundo a denúncia assinada pela procuradora da República Andrea Costa de Brito, os acusados cometeram tantas irregularidades com o dinheiro da associação Porekrô que não foram pagos nem mesmo os pequenos créditos individuais que os indígenas tinham em mercadinhos. Em um dos mercados a dívida da associação chegou a R$ 246 mil.

Além das irregularidades com recursos referentes à compensação socioambiental, os quatro ex-empregados Raimundo Otávio Miranda e Jackson Ribeiro de Alencar, o Gordo, fizeram dívidas com agiotas em nome da associação. As dívidas somam R$ 441 mil.

“A apropriação do dinheiro da comunidade indígena foi tão latente, que mesmo um pequeno rebanho de 110 vacas, que pertencia à associação, foi colocado à venda para que contas particulares de Jackson fossem pagas”, relata a denúncia do MPF.

Perícia criminal federal detectou que não houve prestação de contas relativas a R$ 5,2 milhões em recursos da associação, e que o grupo utilizava “laranjas” (agentes intermediários que efetuam em seus nomes, por ordem de terceiros, transações comerciais ou financeiras, ocultando a identidade do real agente ou beneficiário) para desviar recursos.

O MPF pediu à Justiça Federal em Marabá a condenação dos acusados por associação criminosa e apropriação indébita previdenciária, com o agravante de que foram crimes praticados contra comunidade indígena (agravante previsto no Estatuto do Índio).


Ação protocolada na Justiça Federal em Marabá, sem número processual até a publicação desta notícia.


Íntegra da denúncia: http://www.prpa.mpf.mp.br/news/2014/arquivos/Denuncia-empregados-desvio-recursos-Xikrin.pdf

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Vila Nery e França: Moradores serão despejados por inoperância do prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira

O proprietário da área litigante, Baduino França, vem sofrendo ameças de morte









WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Desde a decisão judicial prolatada pelo meritíssimo juiz de Direito da 1ª Vara Civil da Comarca de Tucuruí Thiago Cendes Escórcio, garantindo aos proprietários de fato e de direito dos loteamentos, localizados no bairro Santa Mônica, em Tucuruí, sudeste do Pará, a reintegração de posse de suas áreas, ocupadas de forma irregular por centenas de famílias desde o ano de 1999.

Os proprietários Balduino França Neto do loteamento “Vila França” e Jairo Seixas Gonçalves do loteamento “Vila Nery”, provaram na justiça, a titularidade de suas terras, sendo reconhecidos como proprietários legais das áreas. É fato, que desde o ano de 1999, as duas áreas foram invadas, sendo que, há época, recorreram à justiça, que determinou a reintegração de posse das áreas: “Vila Nery e Vila França”, através da decisão da magistrada, Dra. Vanda Valente, que na oportunidade não foi cumprida, em função a tentativa da gestão municipal no ano de 1999, ter tentado, compor com os proprietários na compra da área, para posterior doação aos ocupantes, fato que ao longo destes 15 anos, ocasionou um imbróglio judicial, sendo determinada a reintegração de posse das áreas aos proprietários no último mês de maio.

Passado este período de 15 anos de espera da decisão judicial, os proprietários estavam confiantes do cumprimento da ação de reintegração de posse de seus patrimônios, fato marcado, através de decisão judicial pulicada no último dia 28 de maio.

Após análise dos autos, e no seu entendimento do reconhecimento do direito legal dos proprietários das áreas, o juiz Thiago Cendes Escórcio, homologou o cumprimento do mandado de reintegração de posse das áreas denominadas Vila França e Vila Nery, localizadas no bairro Santa Mônica, na cidade de Tucuruí.

Todas as medidas foram tomadas para o fiel cumprimento da decisão, sendo convocado o acompanhamento do Conselho Tutelar de Tucuruí e requisitada força policial ao 13º Batalhão de Polícia Militar de Tucuruí para acompanhar e garantir a desocupação.

Acordo – Mesmo dentro deste período, que estava tramitando o processo judicial, para a retirada das famílias das áreas litigiosas, diversas reuniões foram realizadas de forma a esclarecer os moradores da tramitação do processo judicial e uma possível reintegração de posse a qualquer tempo, sendo inclusive, proposta pelos proprietários, a possibilidade de um acordo extrajudicial, entre as partes, onde os moradores dos lotes invadidos fariam a compra parcelada do terreno dos seus proprietários.

Reunião - Uma ampla reunião foi convocada para formalizar uma proposta de venda dos lotes aos invasores, realizada no último dia 21 de junho, as 19 h, nas áreas Vila Nery e França, no bairro Santa Mônica, toda a comunidade que está morando de forma irregular nas casas construídas nos lotes de terras invadidos, esteve presente ao local. Durante a reunião, foi registrada a presença do atual prefeito da cidade de Tucuruí Sancler Ferreira, acompanhado do vereador José Vieira, onde na oportunidade, pediu para fazer uso da palavra, e textualmente afirmou aos presentes, o seguinte: nenhum dos moradores das Vilas Nery e França precisam pagar pelos seus lotes. “vocês não são obrigados a pagar estas terras, a prefeitura vai assumir a compra, e indenizar os donos das áreas”, o anuncio empolgou os moradores, e levaram os proprietários a acreditarem na palavra, e no compromisso assumido publicamente por Sancler Ferreira, evitando com isso, imediatamente a possibilidade da desocupação das áreas através da reintegração de posse.

Com o discurso de Sancler Ferreira, que afirmou: “não vou deixar as famílias que moram há 15 anos nestas áreas serem despejadas”, por isso, a prefeitura vai assumir a dívida, e no próximo dia 23 de junho, a Procuradoria Jurídica da Prefeitura, vai se habilitar no processo de despejo que tramita na comarca de Tucuruí, para suspender a ação de desejo, e dar início na negociação dos pagamentos das terras aos seus proprietários legais.

Segundo Balduino França Neto, o prefeito, só esqueceu-se de anunciar o ano que faria este acordo, pois passado 90 dias, as palavras ditas por Sancler Ferreira, não surtiram nenhum “valor ou efeito legal”, sendo, o que França classificou de, “engodo eleitoral”, “promessa de político em campanha”, que não se concretizou, colocando as famílias em risco de despejo iminente, sendo aguardada apenas a confirmação da vinda do reforço da PM.

O proprietário Balduino França, denunciou ainda, que o prefeito Sancler Ferreira, juntamente com o vereador José Vieira, apenas atrapalharam a negociação com a intenção de “arregimentar eleitores”, acordos estes, que estava sendo feitos diretamente pelos donos das áreas com os seus ocupantes, que de forma pacífica, estavam entrando em negociação para a aquisição dos lotes de terras, onde construíram suas moradias, e ao final, depois de liquidados os valores, terem o direito de receberem o documento de quitação e posse da terra em seus nomes.

Segundo Balduino, o prefeito cometeu um erro irreversível, ao impedir o cumprimento judicial, quando propôs habilitar-se ao processo para evitar o mandado de reintegração de posse, prejudicando diretamente os moradores, que estão desesperados e aflitos, de perderem o direito a moradia e seus patrimônios, a qualquer momento, no cumprimento da decisão já prolatada pelo juiz da comarca de Tucuruí, aguardando apenas o agendamento da força policial que será designada pelo Comando Geral da Polícia Militar do Pará, que deverá se deslocar de Belém à Tucuruí para esta finalidade.

Mesmo após este episódio, que foi considerado como mais um “golpe do gestor municipal”, os proprietários, sensatos a situação que se encontram os moradores das áreas litigantes, anunciaram, que ainda estão abertos a qualquer negociação, tanto por parte dos ocupantes das áreas, assim como através da prefeitura. Baduino França, afirmou que, “o que queremos, e receber os valores que nos são de direito, como proprietários legais dos dois loteamentos, mas acordo com o prefeito Sancler, só faremos se for tudo no preto e no branco, e perante o juiz”.

“Tudo já estava encaminhando-se pera ser resolvido”, esclareceu a dona de casa Tereza Cunha, 54 anos, moradora da área litigante, “Já estávamos negociando pagarmos nossa “terrinha”, através de um carnê de parcelamento, dentro da realidade das nossas posses, e dentro de um valor razoavelmente de mercado, mas o prefeito Sancler veio aqui, junto com o vereador Vieira, e disse que ele iria pagar os lotes de terras para nós, “e que ninguém tinha obrigação de pagar terra nenhuma, e sim a prefeitura”, e até hoje, tudo ficou mesmo foi na conversa e na lábia, que, diga-se de passagem, “labioso” o prefeito é, e muito”, desabafou à moradora.

Ameaças – O proprietário da área litigante, Baduino França, procurou no início da semana, a Seccional de Tucuruí para registro de boletim de ocorrência, em função as ameaças que vêm sofrendo nos últimos dias, em função a decisão da justiça, que lhe dar ganho de causa, para ser reintegrada sua área de terra.

Segundo França, tudo começou após a obstrução da negociação entre os proprietários e os ocupantes das áreas de terras, após o anuncio pelo prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira de adquirir as áreas de terras das Vilas: Nery e França para doar aos ocupantes.


O proprietário também formalizou denuncia junto ao Ministério Público Estadual e Federal, para resguardar seus direitos e em função as inúmeras ameaças contra sua integridade física.