Pesquise as matérias do JT:

sábado, 30 de junho de 2012

Nota de Falecimento da Liga Esportiva Municipal de Tucuruí


Ronald "Kbcinha" executado a tiros na madrugada deste sábado (30), no Posto Cascão


 Ronald Ferreira da Silva, conhecido popularmente como "Kbcinha"

Na madrugada deste sábado (30), nas proximidades do Posto Cascão na confluência da Av. 7 de Setembro, mas uma vida foi ceifada de forma brutal, desta vez a de Ronald Ferreira da Silva, conhecido popularmente como "Kbcinha", que se encontrava divertindo-se com amigos, sendo que, de repente como já ficou costumeiro em Tucuruí, um elemento armado aproximou-se da vítima e desparrou vários projeteis de um revolver, levando instantaneamente a óbito o jovem Ronald “Kbcinha”, amigos e populares tentaram dar todo o suporte para o socorro, sem muito sucesso face a gravidade dos tiros.
Durante a madrugada os familiares tentaram de todas as formas o registro na Seccional e o encaminhamento do corpo ao IML de Tucuruí para as devidas perícias, mas até o momento nada foi resolvido.
É fato que a população de Tucuruí esta sem a mínima segurança em vida, e ainda, mas pós-morte, esperamos que as autoridades constituídas de nosso munícipio, tomem providencias urgentes para equacionar esta situação em que esta se transformando novamente Tucuruí numa “cidade sem lei”, onde pessoas estão tomando o papel da polícia e da justiça e fazendo a execução de quem quer que sejam com as “próprias mãos”, fatos comprovados durante a semana passada onde um policial do tático militar foi alvejado com vários tiros em via pública quase chegando a sua morte agora imaginem, se um policial do tático chegou a esta situação, como ficam as famílias de nossa cidade.
Neste sentido solicitamos uma maior assistência aos moradores de Tucuruí, haja vista, que quanto mais se investe em segurança e nos demais órgãos que compõem o sistema, cada dia fica pior, e a população morrendo nas ruas e sem nenhuma atenção mínima para dar o conforto aos seus entes queridos que tenha suas vidas ceifadas por falta de segurança pública.
Os familiares e amigos pedem justiça as autoridades dos órgãos de segurança de Tucuruí, para que esta execução a “sangue frio” não fique apenas em estatísticas da polícia e sim que o culpado ou culpados sejam colocados atrás das grades.   (Wellington Hugles) 

PTB de Tucuruí definirá coligações neste sábado 30.


PTB de Tucuruí definirá coligações neste sábado 30.
O vereador Antônio Carlos de Sousa conhecido popularmente como “Titonho”,  presidente do PTB de Tucuruí 
Na manhã deste sábado (30), O Partido Trabalhista Brasileiro – PTB, uma das grandes legendas do País, reunirá na sede do Lions Clube de Tucuruí seus filiados, para em Convenção decidirem os rumos que seguirão nas eleições de outubro vindouro.
Passado um grande processo de alterações em sua cúpula municipal, atualmente quem esta credenciado a tomar as decisões de acordo com os seus filiados do PTB de Tucuruí e o vereador Antônio Carlos de Sousa conhecido popularmente como “Titonho”, que ao longo do seu mandato parlamentar na Câmara de Tucuruí sempre esteve em defesa dos ideais do partido.
Depois de inúmeras mudanças que iniciaram com a saída do líder maior do PTB no município o ex-prefeito de Tucuruí Claudio Furman, que administrou o município de Tucuruí por três mandatos, destes dois foram eleitos pela legenda do PTB, e atualmente no PMDB, quem entrou em cena para presidir o PTB de Tucuruí foi o empresário Joilson Raniere, que trabalhou a sua candidatura a prefeito de Tucuruí pela legenda do PTB, sendo que durante este período por algumas situações de ordem administrativas que ocorreram, não consegui firmar este compromisso, desta forma, na última quarta-feira (27), o presidente regional do PTB o deputado federal Josué Bengston, deu a vitória na queda de braço para assumir a presidência da Comissão Provisória do PTB em Tucuruí, ao vereador líder do partido na Câmara “Titonho”, com isso, para cumprir o que determina a legislação, na manhã deste sábado o diretório municipal do PTB de Tucuruí, estará realizando sua Convenção Municipal para aprovar as propostas de Coligações tanto para o cargo na majoritária como na proporcional.
Em função deste evento, uma grande movimentação esta ocorrendo na cidade, haja vista, que a legenda ostenta um grande numero de filiados que estarão presentes para usar o direito do voto e externarem suas opiniões em defesa do desenvolvimento do munícipio de Tucuruí.
Durante a Convenção o presidente municipal do PTB vereador "Titonho", estará contando com a presença de todos os filiados e inclusive a do presidente regional do PTB o deputado federal Josué Bengston.   

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Coligação “Independência de Tucuruí” lança Jones William candidato a prefeito


Fotos: Wellington Hugles
Coligação “Independência de Tucuruí” lança Jones William candidato a prefeito

A unidade partidária do PT, PR, PDT, PC do B, PPL e PSOL lançaram na noite da última terça-feira (26) no Clube Náutico Vieira, o nome do atual vereador a candidato a prefeito de Tucuruí nas eleições de outubro vindouro.
A coligação junto os partidos de grande atuação e respeito da população, haja vista, apenas estes partidos não se ajoelharam aos pês do gestor municipal, em troca de beneficias assim como os demais que foram adquiridos a peso de ouro, com pagamentos, portarias e favores.
A coligação será composta tanto na majoritária como na proporcional, com isso, garantindo uma abertura para a eleição de um grupo forte de vereadores, que este ano com o aumento de 10 para 13 vagas, abre uma maior possibilidade aos candidatos chegarem ao legislativo.
O vereador Jones em seu pronunciamento colocou bem claro que o seu governo será para resgatar todas as perdas e retrocessos que ocorreram nestes últimos três e alguns meses de desgoverno do atual “reinado”. Seremos firmes e trabalharemos pelo povo de minha querida Tucuruí.





Com referência ao companheiro de chapa o vice-prefeito, Jones esclareceu que ainda esta havendo algumas articulações com vistas a escolher uma pessoa quer seja homem ou mulher, que venha a contribuir na caminhada vitoriosa deste grupo rumo a vitória e nossa posse no executivo municipal de Tucuruí.

Câmara Federal realiza audiência pública sobre a Celpa em Tucuruí



Autoridades comandaram o debate na audiência pública da Celpa
A Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados Federais, desembarcou em Tucuruí, e realizou durante toda a tarde desta quinta-feira (28) no auditório da Associação Comercial e Industrial de Tucuruí uma audiência pública sobre a atuação, o desempenho e o funcionamento da Centrais Elétricas do Pará (Celpa) empresa do Grupo Rede Energia.
A audiência teve como objetivo mostrar a real situação econômica da empresa e a sua atuação na prestação de serviços a população de Tucuruí e do Pará. Diversas entidades sociais de Tucuruí, Breu Branco, Goianésia do Pará e Novo Repartimento estiveram presentes e tomaram conhecimento dos procedimentos adotados pela justiça no processo de recuperação e dos serviços que são prestados à população paraense.
No mês de março deste ano, a Celpa, que é controlada pelo grupo Rede Energia, entrou com pedido de recuperação judicial (concordata) na comarca de Belém.
A holding Rede Energia é responsável pela concessão de fornecimento de energia elétrica para 143 municípios e 1,6 milhão de consumidores, abrangendo 15% do território nacional e 5% da população do país, possuindo em seus quadros 2.100 funcionários e uma dívida que gira em torno dos R$ 2 bilhões.
O Pedido de recuperação judicial é o termo usado para o que era conhecido como “concordata”, prevista na Nova Lei de Falências (Lei nº 11.101/2005) em substituição à antiga (Decreto-lei nº 7.661). A recuperação judicial é um instrumento que visa à reestruturação de empresas economicamente viáveis.
Na audiência pública estiveram presentes o diretor-geral da Aneel, Nelson José Hübner, o titular da Promotoria de Tutela das Fundações e Entidades de Interesse Social, Falências e Recuperação Judicial e Extrajudicial do Pará, Sávio Araújo, não participou do evento o procurador do Ministério Público Federal do Pará, Bruno Valente e até o fechamento desta edição nenhum comunicado esclarecendo sua ausência foi divulgado.
O deputado Cláudio Puty (PT-PA) autor do pedido da audiência pública esclareceu, “mesmo tendo dívidas na casa dos bilhões, a companhia fez repasses para sua controladora, o Grupo Rede, um dos motivos que faz necessário analisar, entre outros pontos, os possíveis prejuízos na prestação dos serviços de fornecimento de energia elétrica oferecidos pela concessionária”. Temos que colocar com clareza para toda a sociedade a situação atual da fornecedora de energia, pois os serviços oferecidos podem decair e a população sofrer os transtornos decorrentes do pedido de recuperação judicial.
A Rede Celpa é considerada uma das distribuidoras de energia com pior desempenho do país, penalizando frequentemente a população. Há anos é divulgado o processo de sucateamento da empresa, sem que os órgãos reguladores tomassem providências que a própria legislação estabelece. 
A Rede Celpa foi privatizada por R$ 450 milhões, em 7 de julho de 1998, pelo então governador Almir Gabriel. De lá para cá, uma gestão ruinosa da iniciativa privada, vinha transferindo o lucro da atividade no Pará para cobrir rombos de outras empresas do mesmo grupo empresarial acabou por colocar o paraense diante de um gravíssimo e iminente risco de apagão no setor elétrico.
Lideranças do Pará defendem que a distribuição de energia deve voltar ao controle estatal, de preferência para as mãos da União, através da Eletrobrás, a qual detém 34% das ações.
Para Puty, a reestatização é necessária e indispensável. Mas a questão ainda esbarra em quanto o contribuinte vai ter de arcar com a reconstrução da Celpa como empresa pública.
O apagão da Celpa - As dificuldades financeiras do Grupo Rede, que controla nove distribuidoras de energia elétrica no País e tem cinco milhões de clientes, não são novidade. Desde o fim do ano passado o controlador Jorge Queiroz Jr., tenta vender sua participação de 54% no conglomerado. Mas os problemas atingiram um novo patamar com a recuperação judicial de uma de suas subsidiárias mais problemáticas, a Celpa, do Pará.
O processo dará fôlego à companhia paraense, que tem R$ 259 milhões em caixa e R$ 531 milhões em financiamentos vencendo no curto prazo.  
Uma das razões das dificuldades em sanar as dívidas seria o novo ciclo de revisão tarifária da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que penaliza companhias com piores índices operacionais. Consultada, a Aneel informou que as empresas foram ouvidas durante as audiências públicas da revisão tarifária.
 Nada é tão ruim que não possa piorar - A federalização da Rede Celpa, através da Eletrobrás, vem sendo solicitada pelo Sindicato dos Urbanitários do Pará desde o anúncio da recuperação judicial.
A Rede Celpa, privatizada há 14 anos, recentemente solicitou à justiça do Pará uma recuperação judicial, devido a dívidas que giram em torno de R$ 2 bilhões, devido a má gestão e transferência de valores para outras empresas do grupo Rede. Obviamente, a empresa cita dezenas de outros motivos.
Hoje, há duas possibilidades para a resolução do problema, uma, que é pouco viável, seria uma solução de mercado e a outra pede a reestatização da empresa, com o controle da Eletrobrás.
Essa é a mais aceita porque a Eletrobrás já controla a distribuidores de energia em seis estados brasileiros – Amazonas (antigas Manaus Energia e CEAM), Acre (antiga Eletroacre), Alagoas (antiga Ceal), Piaui(antiga Cepisa), Rondônia (antiga Ceron) e Roraima, além de ser a segunda maior acionária do Celpa, e também a maior credora individual da Rede Celpa. As lideranças são unânimes em apontar que a Eletrobras precisa se posicionar de maneira mais incisiva por possuir interesses diretos na solução do problema. No fim, quem vai pagar as contas é o consumidor contribuinte.
A Rede Celpa é considerada uma das distribuidoras de energia com pior desempenho do país, penalizando frequentemente a população com constantes apagões.
Durante a audiência dezenas de representantes de entidades sócias usaram a palavra e mostraram o descontentamento com a Rede Celpa, na prestação dos serviços a população de Tucuruí e região, diariamente temos que conviver com os apagões que causam prejuízos irreversíveis as usuários, que tem seus eletrodomésticos queimados sempre que há problemas com  a suspensão do fornecimento de energia.  (WH/Com Informações de Agorapress)



  
 Auditório lotado para discutir a problemática do fornecimento de energia de Tucuruí e região

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Tucuruí destaque nas páginas do Jornal Diário do Pará: Escândalo em Tucuruí





Mais um escândalo em Tucuruí: Vereadores pedem abertura de CPI que envolvem a Construtora Etuzea e prefeito Sancler Ferreira



Fotos: Wellington Hugles
Vereador líder do PT Tom Bonfim apresentou o Requerimento da CPI da Etuzea após a publicação da matéria do Diário de Carajás
  Plenária lotada acompanhando a denúncia da CPI da Construção
Vereadores da base do prefeito Sancler, acompanham a matéria do Jornal Diário do Pará onde foi substanciada a CPI da Etuzea  
 Vereador Jones William assinou a CPI que investiga o envolvimento do pré-candidato a prefeito "Russo" de Goianésia em esquema de fraude
 Vereador Pastor Antônio também assinou a CPI da Etuzea, que vai apurar irregularidades nas licitações da PMT
 Vereador Tom Bonfim assinou o pedido da CPI das fraudes em licitação comandada pelo  prefeito Sancler Ferreira
 Vereadora Edileuza Meireles recebeu o pedido de CPI na mesa dos trabalhos da Câmara das mãos do Vereador Pastor Antônio Braga
CPI da empresa Etuzea substanciada apos matéria publicada no Jornal Diário do Carajás
Vereadores pedem abertura de CPI que envolvem a Construtora Etuzea e prefeito Sancler Ferreira 

Na sessão de encerramento do 1º semestre Legislativo de 2012, diversos assuntos foram discutidos e aprovados pelos dez legisladores do município de Tucuruí, dentre os assuntos de maior relevância foi a apresentação dos vereadores, a saber: Jones William, Tom Bonfim e Pastor Antônio, do pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, para investigar uma série de denúncias que vinha sendo apuradas pelos parlamentares do Partido dos Trabalhadores que repercutiu na região através de matéria jornalística publicada no Diário de Carajás, esclarecendo uma “cadeia” de armações dentro da prefeitura, para que a empresa Etuzea Construtora LTDA fosse beneficiada em diversas licitações da prefeitura municipal de Tucuruí, contratos estes, que ultrapassam mais de R$ 5 milhões e que beneficiam diretamente o procurador e administrador da Etuzea, João Gomes da Silva “Russo”, que figura como pré-candidato a prefeito no município de Goianésia do Pará.
O vereador líder do PT na Câmara, Tom Bonfim, usou a tribuna do legislativo para realizar a denúncia e a apresentação do Requerimento de CPI nº 001/2012 datado de 26 de junho de 2012, onde pede a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito – CPI, para investigar os processos licitatórios e contratos celebrados entre a Prefeitura Municipal de Tucuruí e a empresa Etuzea Construtora LTDA, onde foi constata prováveis irregularidades nas licitações e nos contratos, envolvendo recursos oriundos do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação através do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação – FUNDEB ambos do governo federal e dos cofres públicos do município de Tucuruí, que apontam ilícitos de agentes públicos, além de evidentes violações dos Princípios Constitucionais da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.
Contratos estes que ultrapassam a soma de R$ 5 milhões, seguindo o vereador Tom, “todos nós sabemos, e, é fato claro e notório que uma empresa que possui o capital social de apenas R$ 100 mil, como poderia participar de licitações que ultrapassam R$ 1 milhão”. É uma vergonha a forma ilícita e imoral como o prefeito Sancler Ferreira vem direcionando aos seus “aliados políticos” os recursos públicos do munícipio de Tucuruí, e tenta de todas as formas maquiarem empresas “laranjas”, como o caso da Etuzea que é de propriedade da família de João Gomes da Silva “Russo”, mas seu nome não consta na sociedade, sendo que ele possui uma procuração que lhe garante toda a administração e participação de licitações, contratos e recebimentos de verbas. Inclusive figura neste “esquema de fraude” o cunhado do prefeito Sancler Ferreira, Wagner Felisberto da Costa, que financiou a caução da empresa Etuzea para poder ganhar mais uma licitação da Escola Professora Zolima Tenório dos Santos, no valor de R$ 1.498.322,75, e que atualmente é o cunhado do prefeito Sancler, quem esta comandando a execução das obras da escola, inclusive e ele que pessoalmente realiza as compras de materiais e paga os salários dos funcionários da empresa Etuzea.
Ao final o vereador Tom Bonfim pediu aos seus pares, que aprovem na sessão de reinício do segundo semestre do período legislativo, a constituição de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), composta de três membros e dois suplentes, observando a proporcionalidade partidária, para, no prazo de 90 (noventa) dias e em relação aos seguintes fatos determinados, investigar: todos os processos licitatórios que envolvam a contratação da empresa Etuzea Construtora LTDA no período de 2009 a 2012 e que seja identificado o real proprietário da empresa Etuzea Construtora LTDA, comandada pelo pré-candidato a prefeito de Goianésia do Pará, João Gomes da Silva “Russo” ou o cunhado do prefeito Sancler Ferreira, Wagner Felisberto da Costa.
O vereador Jones William usou a tribuna para dar total apoio à abertura da CPI que esta sendo protocolada nesta casa de leis, com vista a moralizar a falta de princípios éticos e de moral, o qual vem sendo instituído pelo prefeito Sancler Ferreira, que é o “mentor” intelectual destas “artimanhas” que estão canalizando os recursos de Tucuruí, sucateando a Saúde e a Educação de nossa população, para dar apoio político-financeiro em candidaturas nos municípios vizinhos a Tucuruí, para que Sancler possa estender seus “tentáculos” e “surrupiar” ainda mais, os recursos públicos dos municípios carentes de nossa região.
Por estes motivos, e que se explica o envolvimento diretor do prefeito Sancler Ferreira e seu cunhado Wagner Felisberto da Costa, com o pré-candidato a prefeito em Goianésia do Pará, João Gomes da Silva “Russo”, nestas “fraudes” em diversas licitações para a prestação de serviços em reformas e construções de prédios públicos em Tucuruí. “Esperemos que o povo de Tucuruí e de Goianésia do Pará, fique atentos a estas “sanguessugas” do dinheiro público, que, quando estão fora do poder fazem estas “picaretagens” imaginem se viessem a assumir o cargo de prefeito”.
A mesa diretora da Câmara de Tucuruí recebeu através da 1ª secretária vereadora Edileuza Meireles o requerimento da CPI da empresa Etuzea Contrutora LTDA, e encaminhou para ser colocado em pauta na primeira sessão ordinária do reinício dos trabalhos do legislativo, previsto para o dia 6 de agosto de 2012.  (Wellington Hugles)

Torneio de Pesca Esportiva de Tucuruí - Tortuc vem ai em Julho


segunda-feira, 25 de junho de 2012

Na cidade sem segurança, mais um atentado a bala em via pública



Acabou de ocorre na Av. Verdiano Cardoso, logo abaixo do Viaduto, uma tiroteio envolvendo um policial militar, ainda sem identificação, a vítima deu entrada em estado grave do PS do Hospital Regional de Tucuruí, em função da recém-inaugurada UPA não estar em condições de realizar o atendimento de urgência. Maiores Informações após nossa apuração.


O Policial Militar do Grupamento Tático William, 23 anos, foi atingido, mas sem nenhuma gravidade, sendo liberado as 10 h  desta terça-feira (26), no PS do Hospital Regional de Tucuruí, os meliantes até o momento ainda não foram encontrados.

Padilha inaugurou UPA 24h em Tucuruí

Fotos Wellington Hugles, Gleidson Amorim e Cezar Silva
Padilha inaugurou UPA 24h em Tucuruí
 Alexandre Padilha garantiu que o governo federal repassará os recursos para manutenção da UPA
 A solenidade de inauguração da UPA teve a presença de autoridades dos governos federal, estadual e municipal, responsáveis pela obra 
 O ministro Alexandre Padilha vistoriou as dependências da UPA
 O ministro Alexandre Padilha destacou a importância da UPA para agilizar o atendimento à população


Na manhã do domingo (24), o avião da Força Aérea Brasileira pousou no município de Tucuruí as 10 h, trazendo o ministro da Saúde, Alexandre Padilha e o secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco, para cumprir a última visita na agenda do ministro no estado do Pará, no aeroporto as autoridades foram recebidas pelo prefeito de Tucuruí, pela prefeita de Novo Repartimento e por uma comitiva de correligionários do Partido dos Trabalhadores comandada pelos vereadores Jones William e Tom Bonfim dos municípios do entorno do lago da Hidrelétrica.

A comitiva dirigiu-se para o bairro Santa Mônica, dando início a entrega oficial da mais nova Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24h do Pará, que recebeu investimento do governo federal na ordem de R$ 2 milhões.

A UPA de Tucuruí tem capacidade para atender até 300 pessoas diariamente. Na solenidade de descerramento da placa de inauguração, o secretário de estado Hélio Franco, anunciou que deverá dar início, a partir do agosto, a ampliação do Hospital Regional de Tucuruí, onde será instalado um centro de hemodiálise.

O ministro Alexandre Padilha, visitou todas as instalações da nova unidade de saúde que teve as obras iniciadas no mês de agosto de 2009, e passado quase três anos, de obras comandada pela prefeitura de Tucuruí, só agora em março que foi concluída a obra.

Padilha, disse que o atendimento na UPA seguirá as classificações de risco, conforme padrões estabelecidos em vários países. “A triagem na unidade classificará o atendimento de acordo com a gravidade do paciente. Esse serviço agilizará ainda mais o encaminhamento ao atendimento do paciente. O nosso desafio é reduzir o tempo de espera do paciente e, com a construção da UPA, a reduzir a superlotação nos hospitais”, acrescentou.

O secretário Hélio Franco ressaltou que o atendimento na UPA será importante para toda a região, e acrescentou que este investimento faz parte do Plano Estadual de Urgência e Emergência. “O Pará foi o primeiro a apresentar este plano ao Governo Federal, e está implementando uma série de ações para melhorar este atendimento para toda a população”.

Urgência e Emergência - A UPA de Tucuruí deverá entrar em funcionamento conforme anuncio do prefeito de Tucuruí, as 13 h desta segunda-feira (25), sendo oferecida a população quatro médicos de plantão, sendo dois clínicos e dois pediatras, e 26 enfermeiros, que se reveza em turnos de 12 horas.

Segundo o coordenador da UPA, médico Marcelo Silva, a unidade está preparada para atender diariamente a população de Tucuruí e de municípios próximos, com serviços de baixa e média complexidade, de urgência e emergência e pronto atendimento.

“A UPA vai atender os pacientes de urgência e emergência, que poderão permanecer na unidade por até 24h em observação. Caso seja necessária a internação, nós encaminharemos o paciente para o Hospital Regional da cidade, que está preparado para atendimentos de média e alta complexidade. Além disso, haverá o pronto atendimento com consultas médicas. Se o paciente precisar, poderá ser medicado aqui mesmo”, informou o coordenador.

A unidade tem espaços e equipamentos para exames laboratoriais, além de aparelhos para eletrocardiograma, raio-x e ultrassom, e três leitos para alta complexidade, com todos os equipamentos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). De acordo com Marcelo Silva, a UTI atenderá aos pacientes em estado grave, até que eles sejam transferidos para o hospital de referência.

Recursos - Alexandre Padilha assegurou que a UPA será mantida com recursos do Ministério da Saúde, que repassará anualmente R$ 2,1 milhões para contratação de profissionais, compra de materiais e manutenção dos equipamentos sendo repassado algo em torno de R$ 175 mil mês. “Se o atendimento na unidade for considerado bom pela população, o Governo Federal pretende ampliar para R$ 3,6 milhões esse recurso, como forma de incentivo”, assegurou o ministro.

O vereador Jones William, após a cerimonia de inauguração, parabenizou o ministro Alexandre Padilha, pela entrega da UPA 24 h para Tucuruí, “sabemos ministro, que estra obra foi iniciada no governo do ex-presidente Lula, e concretizada no governo da presidenta Dilma Roussef, devendo ser colocada o serviço a disposição dos quase 100 mil habitantes de Tucuruí, que durante estes três últimos anos vivenciam a estagnação da saúde municipal, sem as mínimas condições de atendimento médico de urgência e emergência, haja vista, que o Hospital Municipal entrou em colapso e fechou as portas desde 2009 e a população estava morrendo a míngua, inclusive a prefeitura transferiu em janeiro de 2010 a maternidade municipal, para dentro de uma ala do Hospital Regional de Tucuruí, transferindo a responsabilidade da saúde básica da prefeitura de Tucuruí para o governo do estado. Com a entrada em funcionamento da UPA, estamos vivenciando o mesmo repasse de responsabilidade, se observarmos, o governo federal repassou os recursos para a prefeitura realizar a construção da obra, que de forma morosa estendeu-se por quase três anos, e, apenas agora foi concluída pela prefeitura, agora conforme o anuncio do ministro Padilha, afirmando que a UPA de Tucuruí foi construída e será mantida com os recursos do governo federal na ordem de R$ 2,1 milhões mês, podendo ser ampliado para R$ 3,6 milhões, esperamos que a administração municipal faça pelo menos a sua parte de garantir o direcionamento destes recursos para efetivamente o atendimento a Saúde de nossa população”.
Jones William, também foi convidado pelo Ministro Padilha para estar em Brasilia  neste período de recesso legislativo da Câmara de Vereadores para levar os projetos de sua autoria, solicitando para o município de Tucuruí a ampliação do sistema das Unidades de Pronto Atendimento - UPA 24 h, com a construção de mais uma UPA para o bairro do Getat e outra para o bairro Luz e Liberdade.        (Wellington Hugles)

Ministro Padilha da Saúde, visita o Hospital Metropolitano

Alexandre Padilha ministro da Saúde
O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, visitou as instalações do Hospital Metropolitano de Urgência e Emergência (HMUE), em Ananindeua, na noite deste sábado (23). O principal objetivo da visita foi verificar o andamento das ações do S.O.S Emergências, programa do Ministério que vem sendo aplicado no hospital e visa qualificar a gestão e o atendimento dos maiores prontos-socorros do Sistema Único de Saúde (SUS). O ministro também visitou a Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA) de Ananindeua, inaugurada há um mês.
Após conhecer o pronto socorro, UTIs e Centro de Tratamento de Queimados (CTQ), o ministro reuniu com o Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH) do Metropolitano e conheceu as ações a serem aplicadas nos próximos meses.
O ministro anunciou investimentos no valor de R$ 3,6 milhões, em parcelas mensais de R$ 300 mil, para custear a ampliação e qualificação da assistência na emergência, e mais R$ 3 milhões para aquisição de equipamentos e obras na área física. Padilha falou sobre a abertura de leitos de retaguarda. “Em agosto teremos à disposição do Hospital Metropolitano mais 100 leitos de retaguarda, em Ananindeua. Desta forma garantiremos novas vagas para o atendimento da urgência e emergência neste hospital”, afirmou.
A visita foi acompanhada pelo diretor do instituição, Pedro Anaisse; o secretário Especial de Proteção e Desenvolvimento Social em exercício, Arthur Lobo; o secretário de Estado de Saúde Pública, Hélio Franco; o prefeito de Ananindeua, Helder Barbalho; a secretária municipal de Saúde de Ananindeua, Ivete Vaz, e pela secretária de Saúde de Belém, Sylvia Santos, além de técnicos e assessores.
Sobre a reunião técnica com o ministro Padilha, o diretor geral do Hospital Metropolitano, Pedro Anaisse, destacou que o ministro irá priorizar novos recursos para a melhoria da oferta de serviço na instituição. “O ministro se comprometeu a priorizar recursos para outros projetos além dos que já estão garantidos pelo S.O.S Emergências, como o projeto de ampliação de 30 leitos de UTI adulto 03 leitos de UTI pediátrica, e a instalação da Câmara Hiperbárica, para atender a demanda do Hospital Metropolitano e da rede estadual”, disse.
O ministro participou de uma reunião com o Núcleo de Acesso e Qualidade Hospitalar (NAQH), que tem a função de apoiar e orientar as medidas destinadas à melhoria da gestão e da qualidade assistencial. O NAQH é formado por coordenadores dos diversos setores do hospital, representantes da gestão local e estadual e um técnico apoiador do Ministério da Saúde. O trabalho do Núcleo é acompanhado pelo Comitê Nacional de Acompanhamento do S.O.S. Emergências.

domingo, 24 de junho de 2012

Belo Monte: Indígenas entregam documento para Norte Energia


Indígenas entregam documento para Norte Energia
Um documento contendo as reivindicações foi elaborado pelas lideranças indígenas que continuam ocupando um dos canteiros da Usina de Belo Monte, em Altamira.
O documento foi entregue aos responsáveis pela Norte Energia em Altamira, às 15 horas deste domingo (24). A ocupação já ultrapassa o 4º dia.
Dentre as reivindicações estão o cumprimento de condicionantes para a obra, como a demarcação de terras indígenas, a construção de estradas até as aldeias e a distribuição de suprimentos para as aldeias afetadas. Essas condicionantes deveriam ser cumpridas pela Norte Energia, que administra a Usina.
"Na tarde deste domingo, as mulheres da etnia Xikrin vão se juntar aos homens na ocupação", conta a indígena Rafaela Xikrin, que também informou que os indígenas planejam ocupar toda a área do canteiro de obra e só liberar após a Norte Energia atender as reivindicações.
Segundo a assessoria de comunicação da Norte, a situação no local está tranquila e que a empresa recebeu o documento e devera analisar as reinvindicações. Ainda segundo a assessoria, no dia 28 de junho haverá uma reunião da presidência da Norte Energia com os índios para discutir soluções sobre a liberação do canteiro de obra.

quinta-feira, 21 de junho de 2012

Obras de Belo Monte totalmente paralisadas


Obras de Belo Monte totalmente paralisadas
Desde as 11 h da manhã, os Índios munduuku invadiram os canais de dique e sitio Pimental, os índios em grande quantidade invadiram os canteiros de obras pela mata e fizeram o cerco no local, os trabalhadores ficaram sem almoço e tiveram que sair do local de balsa com receio da revolta dos indígenas.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Novamente administração municipal de Tucuruí nas páginas do Diário do Pará no Caderno Diário de Carajás: Abandono da Educação na escola Dulcimar Brito



Escola Dulcimar Brito com obras paralisadas e mais de 1.500 alunos penalizados

Fotos: Wellington Hugles
 
Escola Dulcimar Brito, obras paralisadas há meses, e mais de 1.500 alunos frequentando as aulas em regime alternado
 Com pisos inacabados e lousa improvisada escola funciona com precariedade
Quadra de esportes abandona
 Escola Municipal Dulcimar Brito, umas das maiores escolas de Tucuruí sem aulas e mais de 1.500 alunos prejudicados desde março
 Alunos têm que conviver com uma forte poeira diuturnamente
 Esta e a realidade atual dos bebedouros da escola Dulcimar Brito 
 O abandono da escola Dulcimar Brito e visto a olho nu
 Quadra de esportes abandona
 Rede elétrica inexistente, deixando alunos sem condições de frequentar as aulas
Sala de aula sem sistema elétrico, pisos e poucas cadeiras, uma realidade lamentável em um município com tantos recursos
 
Cisterna da escola não garante uma qualidade de água aos alunos
A Escola Municipal de Ensino Fundamental Dulcimar Mesquita Brito Botelho, localizada no tradicional bairro do Mangal na área urbana de Tucuruí, passa por inúmeras dificuldades estruturais, e, quem esta sendo prejudicada são os mais de 1.500 estudantes, devido ao início em outubro de 2011, das obras de reforma do prédio, e que, até os dias atuais não foram concluídas, inclusive a empresa contratada abandonou a obra por falta de pagamento pela prefeitura de Tucuruí.
Parecia que os moradores do bairro do Mangal, bem como os alunos e funcionários da Escola Dulcimar Brito, deixariam para o passado o sofrimento que conviviam ao longo dos anos, com as inúmeras dificuldades nas dependências do prédio da escola, e com o início das obras de reforma do prédio, muitas melhorias no setor educacional poderiam vir a ocorrer, mas ficou apenas a lembrança de um sonho, que, a mais de 90 dias, estão causando pesadelos aos alunos e profissionais que trabalham e estudam na Escola Dulcimar Brito.
Tudo devido à falta de critérios adotados pela prefeitura de Tucuruí no momento da realização das licitações e no contrato de empresas que realizam a prestação de serviços ao município.
O prefeito Sancler Ferreira, para não repassar recursos aos professores da rede municipal de ensino, conforme o que determina a lei federal com o repasse das verbas excedentes para a complementação dos salários dos professores através do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), passou a realizar em 2011, dezenas de licitações para reformas de escolas municipais com os recursos federais do FUNDEB, que no município de Tucuruí assegurava um rateamento aos profissionais da educação de mais de R$ 6 milhões, com isso, deixou de observar os requisitos necessários para a contratação de empresas que foram contratadas para realizar reformas nas escolas em toda a cidade.
No caso específico da contratação de empresa especializada em engenharia civil, para a execução de obra de reforma do prédio onde funciona a Escola Municipal de Ensino Fundamental Dulcimar Mesquita Brito Botelho, à vencedora do processo licitatório foi a empresa L. S. Fundações e Construções LTDA, com o valor global da obra de R$ 527.816,39, o contrato foi assinado em novembro de 2011, sendo que as obras de reforma duraram apenas quatro meses, tempo em que a empresa realizou a retirada do telhado e todo o piso das salas de aula, e, em fevereiro foi recolocado o telhado e o forro da área de recreação que inclusive foi reutilizado após ser lavado e colocado novamente. Devido aos atrasos de pagamentos pela prefeitura e a grande quantidade de serviços que ainda estariam aguardando para serem realizados. A empresa contratada L. S. Fundações e Construções LTDA, desistiu da realização da obra, e quem saiu prejudicado foram os 1.500 alunos, que estão convivendo com salas empoeiradas, sem piso e na grande maioria sem forro, inclusive com o sistema elétrico e hidráulico todo comprometido, os banheiros e demais áreas de serviço estão todas inacabadas e os alunos estão assistindo aulas alternadamente devido a falta de salas de aula adequadas e de cadeiras escolares.
No último dia 9 de maio, o prefeito Sancler Ferreira publicou a rescisão do Contrato nº 013/2011-PJ, cujo objeto foi à contratação de empresa para execução de obra de reforma do prédio onde funciona a Escola Municipal de Ensino Fundamental Dulcimar Mesquita Brito Botelho, em virtude da inexecução parcial do objeto do contrato.
O interessante e que a empresa L. S. Fundações e Construções LTDA, teve seu contrato revogado da reforma da Escola Dulcimar Brito, mas continua a receber os recursos dos cofres municipais através de outra obra que presta ao município na construção da quadra coberta da escola municipal de ensino fundamental Odinéia Leite Caminha, recursos do governo federal assegurados através de convênio com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE/PAC II no valor de R$ 447.592,55.
A população do bairro; estudantes e servidores da escola Dulcimar Brito, não entendem o porquê que a prefeitura de Tucuruí, através do prefeito Sancler Ferreira, rescindiu o contrato da reforma da escola pela inexecução da obra, mas a empresa L. S. Fundações e Construções LTDA, continua a prestar serviços para o município em outra escola, isso demonstra que a administração municipal, não esta fiscalizando suas prestadoras de serviços, haja vista, que o que rege a Lei nº 8.666/93, a empresa que teve contrato reincidido por falta de cumprimento na prestação de serviço, não poderá assinar nenhum outro contrato com a municipalidade e se o tiver devera ser todos reincididos.
Tal situação demonstra que a atual administração municipal, vem tomando decisões que não estão favorecendo a população em diversas licitações “arrumadas”. O morador do bairro Mangal, Felipe Cunha, esclareceu dizendo “para cada situação contratual a prefeitura toma decisões com dois pesos e duas medidas, de conformidade com a conveniência”.
A equipe de redação manteve contato com a secretaria de Obras e secretaria de Educação, bem como com o dirigente da empresa L. S. Fundações e Construções LTDA, não obtendo nenhuma resposta com referência ao assunto. (Wellington Hugles)

segunda-feira, 18 de junho de 2012

POLÍCIA FEDERAL CERCA O FÓRUM DE TUCUMÃ



A Polícia Federal cercou, hoje (18) pela manhã, o Fórum da cidade de Tucumã, Sul do Pará. Até esse momento não há informações do que trata a operação, que instância a requereu e qual a esfera que a autorizou. A notícia é que o Fórum está sitiado: não se entra, tampouco se sai do prédio.

Eita!!!!! Que as coisas estão chegando perto!!!!!!!!

Manifestantes depredaram escritórios em Altamira




Manifestantes depredaram escritórios em Altamira
“Isso é muito pouco perto do sofrimento que eles tão fazendo muita gente passar. O prejuízo deles é quase nenhum comparado ao das pessoas que eles tão prejudicando.”. A frase é de uma das lideranças dos cerca de vinte índios munduruku que vieram de Jacareacanga para Altamira, participar da Xingu + 23.
No início da tarde do último sábado (16), acompanhados de cerca de cem manifestantes, os índios fizeram um protesto que teve como resultado computadores, telefones, aparelhos de ar-condicionado e documentos destruídos em cerca de 15 salas de escritórios de uma das áreas de construção do gigantesco canteiro da Usina Hidrelétrica de Belo Monte.
Andando pela Transamazônica empoeirada, os manifestantes entraram por um dos portões da obra que leva a uma espécie de refeitório. Em seguida, após uma breve parada na vila, uma nova marcha, de aproximadamente 300 metros, até o portão que leva a escritórios e salas de técnicos, onde objetos e placas foram quebrados. “A gente já tá cansado de tanto desrespeito com o nosso povo. Essa hidrelétrica é criminosa e desleal. Nós não vamos nos vender por dinheiro”, declarou José Nildo Paigô, chefe da tribo dos munduruku do rio Cururu, na missão São Francisco.
Lá, cerca de 500 indígenas estão preocupados e não querem que a situação das pessoas da vila Assurinin, uma das que serão inundadas com a construção de Belo Monte, se repita. “Eles sabem que vai dar problema e não resolvem antes. Só sai promessa. Eu não quero proibir o serviço deles. Só queria que regularizassem e resolvessem os problemas”, fala Francisco José Ferreira, 59 anos, morador da vila com cerca 150 famílias que estão sendo desapropriadas. “As famílias não estão sendo indenizadas e o que está sendo prometido não está sendo cumprido. Não vou aceitar isso só porque estão empurrando pela garganta”, afirma o padre Alínio Bervian, da prelazia do Xingu.
O encontro Xingu + 23 começou na última terça-feira (13) e terminou ontem. Na sexta-feira (15), os manifestantes ocuparam por um dia uma das “ensecadeiras”, espécie de barragem provisória, da hidrelétrica. Depois de duas décadas do 1º Encontro dos Povos do Xingu, que impediu o primeiro projeto de barramento do rio Xingu, novos protestos tentam conter a construção acelerada de Belo Monte.
Não houve resistência ou qualquer reação por parte da segurança privada do consórcio Norte Energia, que não impediu a manifestação. “Acredito que parar Belo Monte é necessário. Sabe-se que é um projeto violento, que vem sendo ‘enfiado goela abaixo’ pelo Governo Federal. Participar do Xingu + 23 só reforça nossa indignação e nossa força para, juntos com a comunidade e os povos indígenas, barrarmos esta hidrelétrica”, declara Évila dos Anjos, 24 anos, do coletivo Vamos à Luta.
INVESTIGAÇÃO - O consórcio Norte Energia, disse que as imagens e fotos feitas no local foram encaminhadas à Polícia Federal e também à Casa Civil da Presidência da República, por se tratar de uma obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).
No sábado mesmo, foi registrado um boletim de ocorrência na Polícia Civil de Altamira. Segundo a assessoria, até agora, com as primeiras imagens não se consegue identificar quem foram às pessoas que destruíram os equipamentos.