Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 23 de julho de 2014

TCM intima Sancler Ferreira e seu secretariado para explicar erros na prestação de contas da Prefeitura de Tucuruí no exercício de 2010



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A Controladoria do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) está intimando através de edital no Diário Oficial do Estado, todo o primeiro escalão do governo municipal de Tucuruí, que ordenaram despesas no exercício financeiro do ano de 2010, bem como o prefeito Sancler Antônio Wanderley Ferreira, responsável pela prestação de contas, para que no prazo de 30 dias, a cotar do dia 15 de julho, prestem esclarecimentos nos autos do Processo nº 0840012010-00 / TCM, que tramita naquela corte para ser julgado, inclusive, se não houver a devida prestação de contas comprovatória através de documentos licitatórios, contratos, notas e recibos, com as devidas transações bancárias, correrá o risco de ser julgado a revelia.

Tal ação de investigação das contas referentes ao exercício de 2010 foi iniciada através dos parlamentares da Câmara de Tucuruí, que atuaram no quadriênio de 2009 a 2012, sendo realizadas durante este período, inúmeras denuncias comprovando a falta de zelo e de transparência com os recursos públicos, que estavam sendo utilizados de forma irregular e pessoal, sem a prévia autorização do Poder Legislativo para os seus remanejamentos entres as rubricas, além da utilização de forma indevida de recursos públicos para pagamentos irregulares, sem licitações e sem as destinações previstas em lei, sendo realizados pelos gestores há época, da Companhia de Trânsito de Tucuruí (CTTUC), Secretaria de Assistência Social, Secretaria de Educação, Superintendência da Nossa Água, Secretaria de Saúde e Gabinete do Prefeito, em montantes milionários, que após a apuração, deverão ser devolvidos aos cofres públicos do município.

Está é apenas a ponta do “iceberg” do governo Sancler Ferreira, que esta aparecendo ainda no período do segundo ano do primeiro governo que compreendeu 2009 a 2012, que mesmo o prefeito Sancler Ferreira ter imaginando ser uma “criatura intocável”, passado a sua fase de “glória”, e mesmo com as visitas simultâneas e incessáveis aos dirigentes dos órgãos de fiscalização do tesouro público dos municípios, já começou a ruir o “castelo de sonhos” de Sancler, haja vista, a forma competente e transparente dos Conselheiros do TCM que atuam na fiscalização do fiel cumprimento dos recursos destinados as manutenções das prefeituras para investimentos em favor dos munícipes.


É certo que os vereadores denunciantes há época, a saber: Jones William, Tom Bonfim, Pastor Antônio, Dra. Edileuza Meireles e Antônio Carlos de Sousa, não tiveram êxito positivo com suas reeleições nas últimas eleições, em função a renovação da câmara, que foi irmanada pelos eleitores, mas agora mesmo tendo passado quatro anos, e dois que não estão mais atuando no parlamento de Tucuruí, agora estão aparecendo os frutos das suas atuações, que de qualquer forma não foram em vão, haja vista, a comprovação das denúncias dos parlamentares, que culminou com a abertura de procedimento investigatório, finalizando com os equívocos encontrados pela controladoria do TCM na prestação de contas da Prefeitura de Tucuruí no ano de 2010, realizada pelos ordenadores de despesas do secretariado de governo, com a anuência total do prefeito Sancler Ferreira.

Ainda estão na fila de análises as contas dos anos de 2009, 2011, 2012 e 2013, que seguramente serão todas revistas e providências serão tomadas para que os ordenadores de despesas juntamente com o prefeito Sancler Ferreira, sejam identificados e suas divergências numéricas sejam apuradas, e dependendo dos resultados, os valores diferenciados, sejam devolvidos aos cofres do município, ficando os gestores que cometeram estas irregularidades financeiras, inaptos e indispostos para novas investidas na vida pública através de disputas nas eleições através do voto direto e democrático.

Um dos grandes descalabros identificados nas prestações de contas de 2010, e que não batem com a realidade, foram os investimentos de R$ 32 milhões realizados por Sancler Ferreira na contratação de uma empresa para a realização do asfaltamento de todas as ruas da cidade, fato que nunca ocorreu efetivamente, pelo menos na cidade de Tucuruí.

Além de programas de Assistência Social, que na grande maioria custaram “rios de dinheiro” a municipalidade, mas também não saíram do papel.

Com a palavra, e com a tentativa de defesa dos secretários e do prefeito Sancler Ferreira, “a verdade tarda, mas não falha”.


Um comentário:

  1. No próximo dia 24/07 haverá audiência na justiça do trabalho no processo do Samuel Candido contra o Independente.

    Veja o numero do processo e consulte os arquivos:
    0000591-85.2014.5.08.0110

    Lá tem inclusive mensagem de celular do Sancler.

    ResponderExcluir