Pesquise as matérias do JT:

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Sancler “Viajante” Ferreira nomeia o Secretário Adjunto de Saúde de Tucuruí Evandro Neres na direção do Hospital Regional de Tucuruí

Evandro Farias Neres assume a direção do HRT a mando de Sancler "Viajante" Ferreira, prometendo mudanças radicais e pulso forte contra manifestações dos servidores organizados
 Após 90 dias  o médico Lourival Menezes Filho por não comungar com "esquemas" é desligado da função de diretor do Hospital Regional de Tucuruí

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O prefeito de Tucuruí Sancler Ferreira (PPS), que esta ficando conhecido como “Alcaide Viajante”, pela sua grande quantidade de sua ausências do município pelas inúmeras viagens, custeadas através de passagens aéreas e diárias pagas pelos munícipes de Tucuruí, o alcaide mais uma vez, esta em turnê eleitoreira nos municípios do Sul e Sudeste do Pará, para tentar reverter o quadro caótico de descontentamento dos prefeitos da região, com o atual governo de Simão Jatene.

Por outro lado, o “Viajante” determinou antes de sua saída em turnê eleitoreira, que o Secretário Estadual de Saúde de seu partido o PPS, o médico Hélio Franco, que exonerasse o da função de diretor do Hospital Regional de Tucuruí, o médico Lourival Menezes Filho, nomeado no último dia 31 de janeiro, que após 90 dias de administração, deixou de comungar com as metas eleitoreiras do “Alcaide Viajante”, sendo Lourival Filho contrário ao mega esquema que se formou dentro do HRT, comandados pelo grupo político de Sancler “Viajante” Ferreira.

Sancler “Viajante” Ferreira, deixou garantida a nomeação de Evandro Farias Neres, que responde como Secretário Adjunto de Saúde de Tucuruí, mas a partir desta segunda-feira (12), assumirá a direção do HRT com a publicação de sua nomeação no Diário Oficial do Estado do Pará, com isso, fechando o grupo que já está gerenciando os volumosos recursos financeiros que chegam à casa dos R$ 3 milhões mensais, além de poder contratar quase 200 funcionários como prestadores de serviços, com verbas destinadas pelo governo através do Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem), recursos disponibilizados para a manutenção e aquisição de medicamentos e serviços para a manutenção do HRT, mas que está sendo desviados os valores, e utilizados para os pagamentos dos salários dos funcionários que prestam serviços no HRT há anos, mas que foram desligados sem nenhuma justificativa, apenas para abrir vagas aos “apadrinhados” políticos do grupo do “Alcaide Viajante”.

Dentro do “presente de grego”, que vai receberEvandro Farias Neres, esta o imbróglio da transferência da Maternidade Municipal de Tucuruí para o seu antigo prédio no Sesp, ao lado da UPA, no bairro Santa Mônica, que deveria entra em obras há quatro anos, e até hoje só ficou nas promessas do “Alcaide Viajante”.

Os servidores do HRT não acreditam que o ex-secretário Adjunto da Secretaria de Saúde de Tucuruí, estará preocupado com a transferência da maternidade de volta a municipalidade, inclusive, os servidores já anunciaram para esta-sexta-feira (9), uma assembleia geral para analisarem a mudança do diretor, sem comunicação prévia dos representantes da classe, haja vista, esta sendo discutida uma pauta de negociação com o atual diretor Lourival Filho.

Esta estratégia do “Alcaide Viajante”, de realizar a mudança na direção do HRT, vem para que não sejam realizados avanços nas conquistas dos servidores, e “empurrar com a barriga” a transferência da Maternidade, bem como, acabar com o atendimento ambulatorial do município, que sufoca o HRT diariamente, levando a unidade de média e alta complexidade para o sucateamento, com a intenção previa de transformá-la em Organização Social – O.S., que traz lucros apenas para o governador Simão Jatene e seus asseclas.

Segundo os funcionários, dependendo da decisão da assembleia, não se descarta a possibilidade de ser deflagrada uma paralisação da categoria, pelas mudanças momentâneas da gestão do HRT, inviabilizando o atendimento das demandas dos servidores, bem como, impossibilitando uma transparência na prestação e contas dos recursos geridos pelos diretores, que em menos de um ano, já foram substituídos da direção do HRT em oito oportunidades, dependendo da vontade de Sancler “Viajante” Ferreira.


3 comentários:

  1. Mais uma vez a saude pública de tucurui vai ao esgoto. Enquanto tiver ditadores por trás dessa máquina de dinheiro, sempre ficará nessa fossa que está.

    ResponderExcluir
  2. a justiça tem que punir esses caras ai pois a TETA desse hospital é gorda

    ResponderExcluir
  3. quer um vaguinha "projetinho de jornalista" quem sabe assim tu trabalhe, pois a unica coisa que queres é que os politicos te deem portaria de "aspone". chupa mais essa.

    ResponderExcluir