Pesquise as matérias do JT:

segunda-feira, 5 de maio de 2014

PA 150: Acidente com ônibus da Transbrasiliana com uma vítima fatal em Goianésia do Pará








WELLINGTON HUGLES
De Goianésia do Pará
Foto: Wellington Hugles

Por volta das 2h da madrugada desta segunda-feira (5), o ônibus de transporte coletivo intermunicipal da empresa Transbrasiliana, que fazia linha de Belém com destino a Parauapebas, sofreu um grave acidente ao cair de uma ponte na rodovia PA 150, distante 17 km do município de Goianésia do Pará, em função a queda de quase 8 metros de altura, muitos passageiros sofreram fraturas e ferimentos.

Segundo informações prestadas pelo motorista do ônibus, quando chegou ao Comando do Destacamento da Polícia Militar de Goianésia do Pará, por volta das 3 h, ele afirmou que uma mulher ainda jovem ainda não identificada, teria morrido em função ao forte impacto da queda do veículo no córrego do rio que corta a PA 150.

Ainda segundo o motorista, as péssimas condições da pista e as obras intermináveis de recuperação da estrada, e principalmente da ponte pelo governo do estado, que não possui nenhuma sinalização alertando ao perigo em função as obras de construção, foi o motivo da queda do ônibus, sendo registrado ainda no local o óbito da passageira.

A Polícia Rodoviária Estadual juntamente com a guarnição da PM de Goianésia do Pará, estiveram no local prestando os primeiros socorros as vitimas, sendo encaminhados para os hospitais da região.

As equipes de Perícia Científica e de remoção do IML de Tucuruí foram acionadas agora pela manhã, pelo delegado de Goianésia do Pará, e estão seguindo para Goianésia do Pará, para realizarem o levantamento no local do acidente e a remoção do corpo da passageira.

O trânsito ficou complicado no local, em função a grande movimentação de veículos durante a madrugada, em função a longa espera que ocorre na travessia da balsa do município de Moju, em função a queda da ponte corrida após colisão de uma balsa em março passado, devido à demora, os veículos que se amontoam formando um imenso engarrafamento, são obrigados a transitar pelas estradas que estão em péssimas condições durante a noite, redobrando o perigo, em função a inoperância do governo do estado, que passado mais de 30 dias da interdição da ponte em Moju, não deu nenhuma solução para uma transposição do rio Moju com maior segurança e maior agilidade.

Ficando os condutores a mercê da sorte, sendo obrigados a viajarem no período da noite pelas estradas do Pará, ainda com os perigos das pontes que foram destruídas para serem reconstruídas ao longo das estradas, e pela demora da conclusão são causadores de muitos acidentes já registrados, ocasionado fatalidades como esta ocorrida em Goianésia do Pará.


4 comentários:

  1. A tia do meu matido teve fratura esposta e nem sw quer tinha medico no hospital e mas nao quisero nem libera a ambulancia pra transferir ela pra belem. Mas providencias serao tomada e espero nao acontecer nada. Pois os culpados serao responsabilizado

    ResponderExcluir
  2. o que mais importa é reportar a informação, porém uma ajuda de um bom professor de português nas edições dos textos não seria pedir demais, esse termo "em função" se repetiu quatro vezes no penúltimo paragrafo e definitivamente isso cansa o leitor.
    Melhorem os texto pelo amor de Deus.

    ResponderExcluir
  3. As péssimas condições das estradas no Pará são um atentado a vida de cidadãos. O Estado deve ser responsabilizado por essa morte, bem como, a morte de tantos cidadãos devido a morosidade e omissão na efetivação dos serviços públicos.

    ResponderExcluir
  4. Esse motorista esta passado informações incorreta era 12:20 a hora do acidente, A estrada esta em obra sim, mas Esta bem sinalizada isso foi imprudência do mesmo, esse inrresponssavel queria passar pela ponte primeiro que a carreta,chegando próximo da ponte a carreta já ocupava o espaço e jogou o ônibus para o abismo porque não tinha mas espaço para passar e estava com excesso de velocidade e aparentava estar com sono, isso foi a causa do acidente
    Si o mesmo percebe qui o veiculo não esta em condições de transitar não poderia seguir viagem, e sim informar a empresa responsável a situação, como seguiu em frente ele assumiu a responsabilidade colocando a vida de terceiros em risco, e justamente o que aconteceu 43 feridos e uma vitima fatal!
    ass: Sobrevivente

    ResponderExcluir