Pesquise as matérias do JT:

domingo, 15 de fevereiro de 2015

IML de Tucuruí: Necropsias suspensas há uma semana por falta de pagamentos dos médicos





WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Flagrante demonstra o desrespeito e o desgoverno estadual e municipal, que há uma semana estão com os serviços de necropsia de cadáveres suspensos, por falta de pagamentos dos médicos peritos, impossibilitando o atendimento da população que procura os serviços nesta hora de dor e perda, em Tucuruí e toda a região sudeste do Pará.

O IML de Tucuruí que seria para garantir um atendimento adequado aos familiares, quando da perda de um ente querido, tornou-se mais um dos problemas gerado pela gestão Jatene e Sancler, que sem terem o mínimo respeito com as famílias enlutadas, não vem pagando os salários dos profissionais que realizam os procedimentos de necropsia, com isso, os corpos se acumulam na unidade.

Muitas famílias são orientadas a levarem o corpo sem a devida necropsia, mas quando as famílias emocionadamente tristes e cientes de seus direitos ameaçam denunciar a imprensa, rapidamente são colocados juntamente com o cadáver do familiar em uma das viaturas do IML, e levados para os municípios de Marabá ou Belém, para que possa ser feita a necropsia.

Um retrocesso em função ao desgoverno que toma conta do município através da gestão Sancler Ferreira e no estado pelo governo Simão Jatene, voltando ao que ocorria no passado, quando os corpos passavam dias a fim, em viagens para realizarem necropsia em outras localidades, inclusive, o medo da população e que os cadáveres sejam novamente estocados como no passado, enrolados em uma lona e depositados no fundo do terreno do IML em Tucuruí, demostrando o verdadeiro descaso aos mortos.

Providências tem que serem tomadas com urgência, haja vista, os grandes valores que foram destinados pela Prefeitura de Tucuruí, para a reforma do prédio destinado ao IML, que fica localizado na Vila Permanente, em Tucuruí, mas que não está funcionando para o atendimento adequado, daqueles que necessitam do trabalho de necropsia em toda a região sul e sudeste, que neste período carnavalesco tem um grande aumento ao número normal que oscila entre 10 a 15 cadáveres registrados nos finais de semana.

Segundo informações, desde a última segunda-feira (9), os médicos que faziam a necropsia nos cadáveres no IML de Tucuruí, decidiram cruzar os braços, em função ao atraso que já ultrapassam 5 meses dos seus salários, que deveriam ser pagos através do prefeito Sancler Ferreira, que se comprometeu perante o governador Jatene a contrapartida do município, com os pagamentos dos salários dos médicos peritos.

Mas novamente se comprova que o prefeito não cumpre o que fala, e nem os compromissos que assume.

O que está revoltando a população, e que, para pagar os salários dos profissionais que realmente prestam um serviço de grande utilidade pública a população de Tucuruí e de toda a região, Sancler não tem recursos, mas para financiar os blocos de micareta que comprovadamente são de seus amigos e correligionários políticos, que vão pular o carnaval em 6 dias de fanfarra na cidade, garantiu através de convênio da prefeitura  de Tucuruí, o repasse de R$ 500 mil para a festa dos blocos particulares, que inclusive, estão vendo abadás ao valor de R$ 80,00, é fato, que para bancar está farra com o dinheiro público, os recursos da prefeitura aparecem rapidamente e Sancler Ferreira não tem, pena de gastar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário