Pesquise as matérias do JT:

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Após pagamentos dos médicos legistas, IML de Tucuruí retorna com necropsias


 Andrey Fernandes atual diretor do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves
Renan Aguiar será o novo diretor do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Em contato telefônico com o perito criminal Andrey Fernandes diretor do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, em Tucuruí, informando que o governo do estado do Pará, arcou com os pagamentos dos médicos legistas, que estavam atrasados em função da inoperância da Prefeitura de Tucuruí, que mesmo tendo assumido a responsabilidade dos pagamentos, não cumpriu com o convênio de cooperação.

Segundo o diretor Andrey, a partir desta sexta-feira (20), os serviços de necropsia retornaram a serem realizados normalmente no IML de Tucuruí, através dos médicos peritos credenciados junto ao CPC, Charles e Fábio, resolvendo o impasse que foi criado pela Prefeitura de Tucuruí, que atrasou os salários dos profissionais, culminando com a suspensão dos serviços pelos legistas, desde o último dia 9.

Segundo Andrey Fernandes, que esta a frente do IML, já há quase quatro anos, foi um avanço a instalação do IML em Tucuruí, equacionando todas as dificuldades pertinentes à solução de crimes através dos serviços prestados pelos peritos do CPC Renato Chaves, bem como através da remoção e a necropsia dos corpos das pessoas que necessitam da oficialização das causas da morte, em Tucuruí e região.

O diretor esclareceu ainda, que está saindo da chefia do IML de Tucuruí, mas contínua como perito do CPC, assumido sua vaga, Renan Aguiar, que nos próximos dias será nomeado efetivamente como diretor do CPC de Tucuruí.


Agradecemos a atenção da Assessoria de Comunicação do CPC Renato Chaves e o diretor Andrey Fernandes, que ombreados após tomaram conhecimento da matéria do jornalista Wellington Hugles, equacionaram a polêmica dos salários atrasados dos médicos legistas, e garantiram no menor tempo, o retorno das atividades de necropsia em Tucuruí.

Um comentário:

  1. "Se a imprensa não existisse, seria preciso não inventá-la", já dizia Balzac.

    ResponderExcluir