Pesquise as matérias do JT:

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Carnaval em Tucuruí: Estudante de 16 anos é assassinado a facadas após micareta



Estudante de apenas 16 anos, Mauricio Pereira Rosa foi morto após a Micareta em Tucuruí





IML de Tucuruí há uma semana sem realizar necropsia por falta de pagamento dos salários dos médicos pelo prefeito Sancler ferreira


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Uma grande fatalidade foi registrada na madrugada deste domingo (15), próximo ao cruzamento da Rua Lauro Sodré com a Praça do Rotary no centro comercial de Tucuruí, sudeste do estado.
Após o término da 2ª noite da micareta do Carnaval de Tucuruí, que se estenderá ate a quarta-feira de cinzas, festejo este, organizado pela Liga de Blocos de Tucuruí - Liblotuc e Prefeitura Municipal. O estudante de apenas 16 anos, Mauricio Pereira Rosa, teve sua vida ceifada prematuramente de forma cruel e traiçoeira, recebendo um golpe fatal de arma branca (faca) sendo cravada na costa, que atingiu a omoplata esquerda, perfurando uma de suas artérias.

O estudante caiu ao chão esvaindo-se em sangue, o serviço 192 foi acionado, mas infelizmente as chamadas não estavam sendo completadas, haja vista, problemas que há dias encontra-se no telefone do Serviço de Atendimento de Emergência, oferecido pela Prefeitura de Tucuruí através do SAMU-192, que inclusive é regional, que deveria atender a população dos sete municípios da região, mas não consegue atender os problemas emergências da própria cidade.

É fato que nenhuma ação emergencial foi garantida para a manutenção da vida do adolescente, que em função a gravidade do ferimento, foi a óbito ainda no local.

Uma grande quantidade de familiares e amigos se reuniu ao entorno do corpo do estudante, buscando explicações dos motivos que levaram ao seu esfaqueamento que ocasionou a sua morte.

Segundo informações, o jovem estava acompanhando com seus primos, participando dos festejos carnavalescos, desde a noite anterior de sábado, como a micareta dos blocos saiu de sua concentração na Avenida 7 de Setembro, por volta das 2:30 h, o trio elétrico que puxava os brincantes chegou por volta das 4:30 da madrugada deste domingo nas escadarias da Rua Santo Antônio ponto de desmobilização da micareta, foi quando os adolescentes subiram a pés a Rua Lauro Sodré rumo ao centro da cidade, com a intenção de lancharem o conhecido “Rato”.

Foi neste momento, que se ouviu gritos, quando seus amigos e primos se depararam com o estudante Mauricio Rosa no chão, ensanguentado.
O desespero tomou conta de todos, que não se atentaram em observar quem cometeu o assassinato, tentando dar assistência e socorro ao adolescente.

O esfaqueamento ocorreu por volta das 5 h, logo após foi acionado a Polícia Militar que isolou o local do crime e aguardou a chegada da equipe do Instituto de Criminalística Renato Chaves e de remoção do IML de Tucuruí.

Os peritos fizeram todo o levantamento do local do crime, e a equipe do IML removeu o corpo do estudante para necropsia em sua sede na Vila Permanente.

Por volta das 8 h, os familiares foram até o IML de Tucuruí, tratar da liberação do corpo do estudante, mas foram informados que desde o último dia 9, o médico perito, não estava fazendo necropsia, por estar com seus pagamentos atrasados há 5 meses. Em função ao descaso e a incompetência administrativa da Prefeitura de Tucuruí, que está responsável dentro do convênio de cooperação assinado com o governo do estado, de arcar com os pagamentos dos médicos.

Com isso, inviabilizando este trabalho de grande utilidade pública para os que necessitam da liberação dos corpos de seus familiares, não só de Tucuruí, mas de toda a região, em função ao IML da cidade estar funcionando como uma regional para necropsia de cadáveres.

Segundo os familiares, preliminarmente eles foram orientados a levarem o corpo de Mauricio Rosa, sem ser periciado, pois até a câmara frigorifica do IML estaria com problemas para a conservação de cadáveres, com isso, seria mais adequado providenciar os trabalhos da funerária, com vistas ao velório e o sepultamento.

Foi quando os familiares sabendo dos seus direitos ameaçaram denunciar o fato a imprensa, foi quando rapidamente foi disponibilizado um carro tumba do IML, para fazer o translado do corpo do estudante, que foi acompanhado de seu pai para o município de Marabá, para que fosse providenciada a necropsia, mas, sem um horário previsto para retorno, e o início dos funerais do estudante.




2 comentários:

  1. muita corvadia o q fiseram com meu amigo......................s






    ResponderExcluir
  2. Morreu de graça meu amigo. Foi vítima da malandragem da madrugada. Ele e os amigos estavam vindo embora quando os três meliantes vieram pra caçar conversa e eles se saindo dizendo que não eram de briga e mesmo assim foram pra cima dele. Vai em paz amigo . LUTO

    ResponderExcluir