Pesquise as matérias do JT:

sábado, 5 de abril de 2014

Paralisação: PMs de Tucuruí vão as ruas em defesa da isonomia salarial















WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Governo admite crise na segurança

Cerca de 200 PMs que estavam aquartelados desde o início da noite desta sexta-feira (4), participaram de uma longa reunião com o comandante do CPR IV Coronel Barata e o subcomandante do 13º BPM de Tucuruí Major Charles. Duarte quatro horas de reunião, Barata ouviu atentamente as demandas dos militares, sendo que diversos problemas foram denunciados pelos militares do quartel de Tucuruí.

Segundo Barata, todas as demandas serão analisadas, e providências serão tomadas dentro do que rege a legislação militar.

O Coronel Barata foi direto em afirmar que sendo servido público, esta para obedecer a determinação do seu comando em chefe, na pessoa do governador do estado e do comandante geral da PM, com isso, os militares que por ventura persistirem em continuar paralisados, mesmo estando escalados para os serviços diários, poderão sofrer sanções penais, que poderão chegar até suas detenções. ”Como militar, e irmão de farda, não gostaria de chegar a este ponto, haja vista, aqui conheço todos os que convivem e trabalham comigo há anos, e mesmo sabendo que suas causas são justas, mas somos policiais, e temos que cumprir com os ditames legais e nosso juramento de defender a população do nosso estado”.

Durante a reunião não foi discutido nada sobre o aumento salarial da classe, segundo Barata esta discussão foge a sua ossada, “esta determinação e no nível de comando geral e de governo, mas, torcemos para que tudo seja resolvido de forma democrática e rapidamente”.

Após a reunião que foi intermediada pelo vereador e advogado dos PMs Cleuton Marques, a comissão que está acompanhando os acontecimentos que vem ocorrendo desde a quinta-feira (3), na capital do estado, tiveram uma nova reunião com a categoria e resolveram permanecer dando sustentação a paralisação dos militares de Belém e dos outros municípios que abraçaram a causa, e decidiram retornar ao policiamento preventivo pelas  ruas da cidade através das viaturas, mas os PMs que estão de folga vão engrossar as manifestações pelas ruas  de Tucuruí diariamente, com a realização de carretaras e atos públicos, conscientizando a sociedade civil das perdas da classe e da forma desumana que o governo do Pará esta tratando os praças da PM. “Se não podemos paralisar no ato de estarmos de serviço, em função de podermos ser surpreendidos com punições e até mesmo prisões, resolvemos manter o número de PMs de plantão dentro da escala de trabalho realizando as rondas, e a outra parte que está de folga dentro dos seus direitos constitucionais vão as ruas para reivindicar nosso aumento salarial igualitariamente ao concedido pelo governador em 110% para os oficias da PM e do Corpo de Bombeiros, iniciando esta muralha de divisão entre os comandantes e o seus comandados, temos certeza que não estaremos cometendo nenhum crime por estarmos de forma democrática e pacifica realizando atos públicos e manifestações em vias públicas”.

Dentre as reivindicações pautadas a nível estadual pelos PMs, uma ficou latente em Tucuruí, a falta de intercâmbio entre o novo comandante do 13º BPM de Tucuruí, com os seus comandados, trazendo ainda mais um distanciamento da classe, com a resolução de pautas diárias que deveriam ser tratadas com maior atenção pelo comandante e resolvidas sem que para isso fosse necessário levar ao conhecimento do comandante do CPR IV o Coronel Barata.

Carreata - Por volta das 12 h, uma grande quantidade de carros e mortos saiu do quartel em Tucuruí e percorreram as principais vias da cidade em carreata, anunciando que os PMs de Tucuruí estão firmes no apoio a paralisação da classe, e que estarão diariamente realizando manifestações até que o governo decida encaminhar a Assembleia Legislativa do estado novo projeto de lei beneficiando toda a classe.

Não adianta o Secretário de Segurança anunciar 30% de aumento para ser cumulativa a gratificação de periculosidade, sendo 10% em abril e 20% em novembro e muito menos que seja igualado a ajuda para aquisição de fardamento aos cabos iguais a já repassada aos subtenentes, por que isso não resolverá nossa situação, isso e apenas um paliativo, e não vamos nos contentar se não for o reajuste de 110% para toda a tropa.

Ato Público - Por volta das 13 h houve um ato público na Praça do Rotary centro da cidade, onde muitos PMs usaram a palavra em defesa da pauta estadual da PM, ao final cantaram o hino nacional e do Pará, e marcaram para segunda-feira (7) nova manifestação nas ruas da cidade e na terça-feira (8), uma grande manifestação na frene do Legislativo de Tucuruí para pedir o apoio dos vereadores na luta pela isonomia salarial dos PMs.



Nenhum comentário:

Postar um comentário