Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Em Tucuruí: Prefeito no luxo, povo no lixo


Até a rua onde mora o prefeito esta entulhada de lixo
 Próximo a casa da Secretária de Finanças a lixarada esta se apossando da rua



























"A cidade de Tucuruí está entregue literalmente aos ratos", afirmou Sebastião Ramos morador do bairro do Getat

WELLINGTON HUGLES
DE Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A população de Tucuruí já não aguenta mais o estado de abandono que atravessa a cidade de Tucuruí em função a falta de gestão municipal e incompetência administrativa, são mais de 60 dias que a prefeitura não realiza a limpeza dos entulhos dos bairros, assim como a coleta diária do lixo domiciliar e feita apenas nos bairros do centro, ficando os bairros periféricos a mercê da própria sorte, amargando o convívio com as montanhas de lixo que estão causando o aumento das doenças transmitidas pelos animais peçonhentos e o mosquito transmissor da dengue aedes egípcio, ocasionando a lotação da única Unidade de Saúde de Tucuruí em funcionamento a UPA, haja vista, os postos de saúde dos bairros na grande maioria estarem há mais de três anos fechados para reformas, e o hospital municipal assim como a maternidade municipal que funcionava no prédio do antigo Sesp, foram fechados pelo prefeito Sancler Ferreira em 2010.

Coleta de Lixo e Entulho - A Prefeitura de Tucuruí assinou no dia 15 de julho de 2011, o contrato milionário nunca celebrado em toda a história dos 65 anos de emancipação política e administrativa no primeiro governo do prefeito Sancler Ferreira, e que foi aditivado e prorrogado até os dias atuais já no segundo mandato do prefeito Sancler.

O contrato celebrado entre a Prefeitura Municipal de Tucuruí e a Clean Gestão Ambiental Serviços Gerais LTDA, para a prestação de serviços de conservação e manutenção de vias e logradouros públicos urbanos do município, foi de R$ 19.892.055,06, sendo pagos por dia o valor de R$ 36.837,20, o contrato foi encerrado no dia 31 de dezembro de 2012, renovado por mais 18 meses, com a validade até 30 de junho de 2014 com os mesmos valores para pagamentos diários.

Licitação – Foi estarrecedor em 2011 o processo licitatório para a contratação desta empresa de coleta de lixo, pelo valor de 20 % do total do Orçamento Anual do Município de Tucuruí aprovado pela Câmara Municipal de Tucuruí no exercício de 2011, há época causou controvérsias, haja vista, que o procedimento licitatório foi realizado em pleno período de recesso administrativo da municipalidade que foi decretado pelo prefeito Sancler Ferreira em 1º de Julho encerrando-se no dia 16 de agosto de 2011. 

Ficando a prefeitura fechada e sem acesso a população restringindo tanto o povo como os vereadores de acompanhar a veracidade e a transparência desta licitação que contratou uma empresa pelo valor de mais e R$ 19 milhões.

Outro fator que deixou a licitação em suspeição foram que os procedimentos adotados eram na modalidade presencial, e por lei teria que ser aberta para os legisladores, a entidades de classe e sociais e ao povo em geral.

Foram atitudes discriminatórias e de restrição que deixou, os vereadores e a população com dúvidas quanto à lisura do processo.

Trabalhadores – Seria fácil se a empresa contratada comprovasse durante a vigência do contrato, que os custos com o pagamento da folha de funcionários foi realizada por ela, mas que não pode ser feita, haja vista, que a prefeitura de Tucuruí através do prefeito Sancler Ferreira, absorveu todos os prestadores de serviços da Clean Gestão Ambiental, na folha suplementar de prestação de serviços da Prefeitura de Tucuruí, com isso, aumentando ainda mais o comprometimento mensal da municipalidade com o pagamento do funcionalismo e deixando a empresa Clean Gestão, sem o ônus do recolhimento de impostos, tanto para o INSS quanto para o FGTS, comungando com o crime de sonegação e deixando de efetuar os pagamentos de indenizações, haja vista, os prestadores de serviços da coleta de lixo, capina e varrição das ruas, todos terem assinado contratos temporários com a PMT, e com isso, não terem depois de findo o contrato o direito de indenização por parte do poder público municipal.

Um esquema de mestre para locupletar a empresa prestadora de serviços montado através do prefeito Sancler Ferreira.

Máquinas – É fato verídico que a grande maioria dos maquinários que prestam serviços para a prefeitura, através da empresa Clean Gestão Ambiental, na sua maioria das patrulhas mecanizadas, caçambas e caminhões pipas são de propriedade da prefeitura municipal de Tucuruí, que receberam apenas os adesivos da Clean Gestão, contratadas para trabalharem todos os dias na limpeza, manutenção e coleta de entulhos, ou seja, o prefeito repassou as máquinas e veículos a empresa Clean, que colocou os adesivos, e começou em 2011 até os dias atuais, a prestar os serviços de acordo com o Contrato Nº 001/2011, inclusive, utilizando os funcionários pagos pela Prefeitura de Tucuruí.  

A empresa Clean Gestão Ambiental tem a função de cobrar da Prefeitura através de faturas mensais a prestação total dos serviços particulares, que totalizou o valor diário de R$ 36.837,20, mensalmente embolsando a bolada de R$ 1.105.116,00 de um contrato anual de mais de R$ 19 milhões.

E importante esclarecermos, que destes mais de R$ 19 milhões pagos a empresa Clean Gestão Ambiental, estão fora deste “bolo” os pagamentos realizados pela Prefeitura aos funcionários da empresa via folha de pagamento da Secretaria de Administração, as máquinas que recebem a manutenção, combustível e os motoristas pagos através da Secretaria de Serviços Urbanos.

Outro fato que tem que ser esclarecido, é que a Prefeitura de Tucuruí, não realiza nenhum serviço aos mais de 15 mil moradores da Vila Permanente, que recebem os serviços de coleta de lixo e de entulhos, através da empresa Eletronorte, inclusive e necessário esclarecer que nenhum recurso da administração Sancler Ferreira foi disponibilizado durante estes quase 6 anos para beneficiar os munícipes moradores da Vila Permanente.

Esperamos que o gestor municipal se sensibilize em um dos hotéis de luxo em Brasília, onde está em viagem ou passeio, desde esta terça-feira (22), e se conscientize que a população esta sofrendo com o acúmulo de lixo em toda a cidade, e comece a tomar uma atitude de prefeito “se ainda tiver poder para isso”, e cobre os serviços que são pagos no valor de R$ 36.837,20 diariamente para a empresa Clean Gestão Ambiental, valores estes exorbitantes. 

A população exige um basta na convivência diária com a lixarada em todas as ruas da cidade, os munícipes, esperam que o prefeito Sancler Ferreira não esteja conivente com a malversação dos recursos públicos em beneficio a empresa Clean Gestão em detrimento a  população.

Os moradores dos bairros da cidade, não tem mais para quem recorrer, haja vista, a formação dos grandes depósitos de lixo a céu aberto em todas as ruas, enquanto isso, o prefeito passa o tempo viajando pelo país acompanhando o governador Simão Jatene.

A equipe de jornalismo tentou contato com a assessoria da prefeitura e o chefe de gabinete do prefeito Sancler Ferreira, mas até o fechamento desta edição não recebeu nenhum retorno, a empresa Clean Gestão Ambiental foi acionada, mas não quis se pronunciar sobre o assunto.

Enquanto isso, os bairros Nova Tucuruí, Palmares I e II, Parque dos Buritis, Nova Matinha, São Francisco, São Sebastião, Matinha, Colinas, Mangal, Jardim Paraiso, Getat, Cerro Azul, Beira Rio, Santa Mônica, Paravoá, Cohab, Tozetti, Santa Isabel e Terra Prometida, estão com suas ruas completamente tomadas pelo lixo e entulhos.


O morador do Getat Sebastião Ramos, 57 anos, morador da Rua São Paulo, foi incisivo em afirmar que o município esta literalmente “entregue aos ratos”, enquanto “o prefeito esta no luxo em Brasília o povo esta no lixo em Tucuruí”. 

3 comentários:

  1. Está entregue aos ratos....literalmente em todos os sentidos

    ResponderExcluir
  2. que reportagem linda, mostra a verdadeira face de um prefeito corrupto que se importa somente com os seus interesses .

    ResponderExcluir
  3. povo sem estudo, vocês votaram nele, agora aguenta.

    ResponderExcluir