Pesquise as matérias do JT:

sexta-feira, 4 de abril de 2014

13º BPM: PMs de Tucuruí aderiram à paralisação da categoria







WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Os Policiais Militares do 13º Batalhão de Polícia Militar de Tucuruí decidiram no início da noite desta sexta-feira (4), aderirem à paralisação da categoria, que luta pela isonomia salarial que beneficiou através do Projeto de Lei Nº 034/2014 de autoria do executivo estadual e aprovado pelos deputados estaduais governistas, apenas reajustando o salário dos oficiais da PM e dos Bombeiros Militares, deixando de lado os praças que são a maioria da corporação, criando um divisão entre a categoria, que sofreu esta ”punhalada pelas costas”, impossibilitando um salário digno para a manutenção dos familiares dos policiais militares do Pará.

Por volta das 19 h, cerca de 100 Policias Militares que estavam trocando de turno, juntamente com os que estavam entrando em serviço, resolveram aquartelar-se no 13º BPM, e pararam totalmente os serviços de policiamento da PM da cidade de Tucuruí, suspendendo a saída de todas as viaturas que realizam a ronda através do 190.

Com a manifestação de paralisação pelos PMs de Tucuruí, passam para seis os municípios que suspenderam o atendimento dos serviços de policiamento, a saber: Belém, Marituba, Salinópolis, Paragominas e Marabá, que lutam pela isonomia de reajuste salarial entre praças e oficiais. A confirmação é da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do Pará (ACSPMBM).

Os policiais militares de Tucuruí promovem protestos e paralisações, contra a aprovação do aumento escalonado de 110% somente para os oficiais, o que excluiu a categoria dos praças, que consideram um ato discriminatório do governador Simão Jatene.

Segundo os militares a paralisação será por tempo indeterminado, orientando a população que duramente este período os serviços de policiamento serão suspensos, por este motivo a população tem que redobrar os seus cuidados pelas ruas da cidade e ficarem atentos às ações dos assaltantes e arrombadores.

A classe promete radicalizar, se o Governo do Estado não acenar com uma solução urgente com referência ao reajuste salarial. Podendo inclusive, fechar a BR 422 na altura do Km 1 na entrada da cidade de Tucuruí.

Segundo os PMs, não adianta o comandante geral da PM garantir apenas um reajuste em uma gratificação ou mesmo dobrar a ajuda de custo para a aquisição de fardamento, queremos nossos direitos constitucionais com os nossos reajustes igualitários aos oficiais.

A reportagem procurou o comando do 13º BPM, que informou ser inverdade a realização da paralisação.

2 comentários:

  1. Esse é o retrato do "Desgoverno do Jateve", é humilhante a situação que os praças da Polícia Militar passa na mãos desses comandantes, que se escondem atrás do Regulamento arbitrário que temos.

    ResponderExcluir
  2. Vdd concordo. O governo ganha um absurdo pra fica sentado atrás de uma mesa curtindo com o dinheiro público enquanto quem realmente trabalha em defesa do povo fica exposto a tamanha humilhação. ..Acorda Brasil

    ResponderExcluir