Pesquise as matérias do JT:

domingo, 5 de janeiro de 2014

Domingo de rebelião no Centro de Recuperação Regional de Tucuruí



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Fotos: Wellington Hugles
Desde as primeiras horas da manhã deste domingo (5), centenas de detentos do Centro de Recuperação Regional de Tucuruí (CRRT), se rebelaram e tomaram como refém um dos agentes penitenciários, após exaustiva negociação o agente foi liberado e a rebelião foi encerrada, dois presos do regime semiaberto fugiram.

A última rebelião registrada nas dependências do Centro de Recuperação Regional de Tucuruí (CRRT) foi no mês de maio do ano passado.

Hoje o CRRT conta com uma população carcerária que ultrapassa 320 detentos, sua capacidade total seria de apenas 120 internos, com isso, a rebelião pela superlotação, falta de uma atenção básica a saúde, haja vista, a única enfermaria existente no centro foi desmobilizada pelo atual diretor Tem. Cel. Melo, e seus equipamentos foram sucateados, a alimentação passa por precariedades, os vasos sanitários na sua grande maioria estão todos entupidos em função da falta de manutenção.

Os próprios funcionários reclamam da falta de condições para uma prestação de serviço que atenda a segurança e garanta o bem estar dos prestadores de serviços e dos detentos.

Os Policiais Militares que prestam serviços na parte externa do prédio do CRRT confirmam que todo o sistema de esgoto do prédio esta em péssimas condições, “diuturnamente temos que trabalhar com o odor insuportável que exala dos esgotos a céu aberto ao redor de todo o prédio e das caixas de esgoto que ficam perto das guaritas”, e uma situação sub-humana que somos obrigados a viver no dia-a-dia nos postos de serviços do Centro, desabafou um militar que não quis se identificar com receio de represália.

Segundo os funcionários da Susipe, há meses o atual diretor Ten. Cel. Melo, sucateou o local onde os funcionários descansavam, tirando inclusive o ar condicionado, inviabilizando que após os plantões os agentes pudessem descansar, e o que é pior para poderem se alimentar, os funcionários têm que fazer coletas para adquirir os alimentos e ainda tem que preparar.


Visitas - Familiares dos detentos reclamam do diretor Te. Cel. Melo, que em muitos momentos realiza pressão psicológica e assedio moral, contra os familiares dos detentos, no momento antes das visitas, que por motivos fúteis são suspensas por ordem do diretor.

Rebelião - A situação estava incontrolada no Centro de Recuperação de Tucuruí, nas primeiras horas do domingo (5), mas por volta das 10 h, com a chegada do GTO comandado pelo Sargento Valdir, foi aberta uma linha de conversação com os detentos e os ânimos foram acirrados, sendo liberado o agente que estava de posse dos detentos, durante a negociação que contou com o Subcomandante da 15ª Zona de Policiamento (Zpol), Capitão Ramos, ao saber da ausência do diretor do Centro, Ten. Cel. Melo, que ainda está de recesso de fim de ano, segundo informações do vice-diretor, com isso, o Capitão Ramos solicitou a autorização do vice-diretor do CRRT Kleber Leonardo Oliveira Sampaio, para que atendendo a demanda dos detentos, fosse mantida a visita dos familiares aos internos neste domingo, sendo monitorado através do Grupamento Tático da PM, o vice-diretor aceito a proposta e liberou a visita.

Toda a ação da Polícia Militar foi acompanhada pelo Comandante da CPR IV Coronel Barata, que estava com outra guarnição na parte externa do Centro de Recuperação de Tucuruí, para evitar maiores incidentes e outras fugas de detentos, além de controlar e orientar da melhor forma as famílias dos internos que estavam desesperadas do lado de fora aguardando o horário da visita.


O agente prisional feito refém foi atendimento pelo serviço do SAMU, e passa bem, até o fechamento desta edição tudo esta normalizada dentro do CRRT, e as visitas estão acontecendo dentro da maior tranquilidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário