Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Sancler Ferreira é obrigado a demitir contratados e nomear 522 concursados



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Na manhã desta quarta-feira (23), a Câmara de Vereadores de Tucuruí reuniu-se em sessão extraordinária para apreciarem os Projetos de Lei de autoria do prefeito Sancler Ferreira, Nº 013/2015 que visa a criação e o enquadramento de 292 novas vagas na estrutura administrativa municipal em diversos cargos e o Nº 014/ 2015 que visa a criação de 230 novos cargos na área do magistério da Prefeitura de Tucuruí, os dois projetos totalizam a criação de 522 novas vagas na área da administração municipal, para atender o cumprimento do Termo de Ajuste de Conduta (TAC), assinado pelo gestor municipal Sancler Ferreira e os Promotores de Justiça do Ministério Público do Estado, que obrigou nesta data que Sancler realize a demissão de uma parte dos quase 2 mil contratados que estão onerando os cofres da prefeitura desde o ano de 2009, para a convocação dos concursados que deverão ser imediatamente efetivados.

No TAC, o prefeito estava obrigado a convocar os concursados do certame ocorrido em 2014, que, diga-se de passagem, está sobre suspeita, em função a lisura da empresa Faculdade Integrada Carajás (FIC), que realizou concursos em outras cidades, mais foi denunciada pelo MP pelo beneficiamento de “protegidos” dos dirigentes das prefeituras e Câmaras municipais.

Cabide de emprego "familitário" - Em Tucuruí, segundo levantamento realizado por sindicalistas, foram aprovados só de parentes ligados ao prefeito Sancler Ferreira, mais de 20, em primeiro lugar em diversas especialidades.

Com a decisão de acatar o acordo com o MP, o prefeito Sancler Ferreira, encaminhou os Projetos de Lei aos legisladores, criando 522 novos cargos, dentro do quadro funcional da PMT, com isso, sendo necessária a reestruturação administrativa, para o reenquadramento deste número de convocados, além da alteração orçamentaria, para a remuneração destes novos funcionários.

Uma luta importante das entidades de classe, que primaram pela moralidade e a transparência dos serviços públicos municipais.

É fato, que a prefeitura já teve dentro do seu quadro de funcionários cerca de 3 mil contratados, um descalabro, haja vista, o número de funcionários efetivos serem de apenas 2.900 servidores.

Com isso, Sancler conseguiu criar uma nova estrutura administrativa, um governo paralelo, só com pessoas contratadas, tendo em suas mãos o poder de admitir e demitir no momento de sua vontade.


Votação - Os vereadores aprovaram por unanimidade os projetos que vêm de encontra a necessidade dos concursados de suas efetivações, acabando com o poder do gestor de ameaçar aqueles que não “comunguem” com suas ideias.

Um comentário:

  1. Sim...mas cadê o documento do Ministério Público , o Termo de Ajustamento de Conduta)? Onde tem disponível . Vc não publicou? Essas informações são verídicas?

    ResponderExcluir