Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Quadrilha que “metia o bicho” em Tucuruí foi desbaratada pela PM


Quadrilha que “metia o bicho” em Tucuruí foi desbaratada pela PM
O nacional vulgo “Ramon” morador na Rua do Suvaco, no bairro da Matinha, que também foi detido por suspeita de receptação de produtos roubados

Também detidas sobre suspeita de receptação 
Erica e Maria do Socorro 
Também detida Juliete suspeita de receptação

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Na tarde desta terça-feira (3), a equipe do Serviço de Inteligência do CPR IV da Polícia Militar (velado) sob o comando do Major Marcus Vinicius, com o apoio das guarnições da PM da 15ª Zona de Policiamento - Zpol e do Grupamento Tático, conseguiram desbaratar uma quadrilha que estava “tocando o terror” nas noites de Tucuruí.

Após uma ação de investigação cautelosa, através da equipe do velado, foram identificados os membros da quadrilha que assaltavam e arrombavam residências em toda a cidade, além dos receptadores dos produtos roubados.

Desde os primeiros arrombamentos ocorridos há alguns meses nas residências da Vila Permanente, o IV Comando de Policiamento Regional, que atendendo aos apelos das famílias moradoras da vila, onde fica sediado o CPR IV, autorizou ao serviço de inteligência da PM, que iniciassem a identificação dos meliantes, foi um trabalho árduo e que culminou nesta terça-feira com a prisão diversas pessoas suspeitas de envolvimentos nos arrombamentos.

Os meliantes escolhiam residências de empresários e pessoas de grandes posses para “meterem o bicho”, tudo era feito em sincronia, primeiro eles infiltravam pessoas nas proximidades das residências, onde ficavam “passando os panos”, observando a movimentação diária dos moradores da residência e seus costumes, e num vacilo, acionavam os arrombadores, que juntos “faziam a limpa” na residência.

Diversos foram os arrombamentos realizados na Vila Permanente em Tucuruí, que posteriormente, em função a ação intensa do policiamento, os meliantes mudaram de setor e passou a realizar arrombamentos no Parque dos Buritis, local de residências de pessoas da classe média e alta.

Duas casas foram recentemente arrombadas, e de lá subtraída uma moto, notebook, aparelhos eletrônicos e uma grande quantidade de joias, que ultrapassaram a cifra de R$ 30 mil reais.

À surdina, a PM (velados), estavam na espreita dos meliantes, acompanhando seus passos e aguardando para “dar o bote”, e para a surpresa dos meliantes, e felicidade dos proprietários lesados pelos assaltantes e arrombadores, em uma ação rápida e eficaz, a PM intensificou em toda a cidade os militares, que levou a prisão dos envolvidos nestes crimes e a apreensão de três menores.

Na oportunidade  foi detido o nacional vulgo “Ramon”, morador na Rua do Suvaco, no bairro da Matinha, suspeito de ter comprado um notebook.

Os arrombamentos em residências no Parque dos Buritis, estavam ficando rotineiros, e com a prisão dos acusados, chegou-se as mulheres Erica (blusa vermelha), Maria do Socorro (blusa verde) e Juliete (blusa vermelha de alça), todas acusadas pela suspeita de receptação de produtos roubados, com elas foram encontradas diversas joias, produtos do arrombamento a uma residência no Parque dos Buritis, inclusive reconhecida as joias pela sua proprietária.
  
Detenções irregulares de menores - Os três menores foram apresentados à autoridade policial, por suspeitas de envolvimento nos arrombamentos as residências, mas com a chegada dos familiares, os menores foram liberados, haja vista não haver nenhuma comprovação do envolvimento dos adolescentes, que segundo os familiares foram apreendidos de “forma irregular”, a mãe de um dos adolescentes comprovou que seu filho trabalha em jardinagem nas residências, inclusive também é estudante assíduo, e que tem uma conduta ilibada, com este fato, tiveram suas vidas expostas como pessoas envolvidas com meliantes nesta quadrilha, mas sem nenhuma comprovação, estando os menores passando indiferenças e retaliações dos amigos, pelo o que as familiares afirmaram, ter sido "um erro da Polícia Militar".

É complicado, nossos filhos adolescentes terem sido levados para a Seccional, e expostos como membros de “quadrilha”, mas sem participarem destes atos criminosos, na escola e nas redes sociais eles estão sendo ridicularizados e hostilizados, esperamos que seja feita uma avaliação mais prudente antes de exporem nossos filhos ao escárnio popular, desabafou revoltada a mãe de um dos adolescentes que ameaça buscar justiça, e punir os que fizeram esta exposição, segundo ela, criminosa de seus filhos.


Ainda na noite desta terça-feira (3), quase todos os detidos foram liberados, com exceção de dois meliantes maiores de idade, que foram comprovadamente identificados como autores dos arrombamentos pelas vítimas.

Um comentário:

  1. O serviço de inteligência da PM poderia investigar os receptadores de objetos roubados por pessoas portadoras de dependência química que repassam os produtos dos roubos por preços irrisórios para alimentar o vício. No Bairro Santa MÔnica tem alguns desses receptadores, é só investigar que vão achar pelo mesos uns três que se escondem atrás de máscaras de trabalhadores, donos do próprio negócio, como bares, oficinas.

    ResponderExcluir