Pesquise as matérias do JT:

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Descaso: Estação de tratamento de água que custou R$ 12 milhões abandona por culpa do prefeito Sancler Ferreira














Descaso: Estação de tratamento de água que custou R$ 12 milhões abandona por culpa da Prefeitura de Tucuruí

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A empresa Eletrobras Eletronorte oficializou a Câmara de Vereadores de Tucuruí após a falta de resposta da Prefeitura, ao cumprimento do Convênio celebrado entre a estatal e a Prefeitura de Tucuruí, onde o prefeito Sancler Ferreira, comprometeu-se desde 2010 a realizar obras e serviços para garantir a distribuição de água potável que atenderá uma população de 200 mil habitantes.

Passado os dez meses da cerimônia de entrega oficial realizada em Tucuruí, pela diretoria da Eletrobras Eletronorte da Estação de Tratamento de Água de Tucuruí (ETA) à Prefeitura de Tucuruí, nada fez para complementar os serviços que finalizariam a distribuição de água potável para atender os mais de 110 mil habitantes, que serão beneficiados com a obra construída pelo governo federal através da Eletrobras Eletronorte, com recursos assegurados no Plano de Inserção Regional dos Municípios à Montante da UHE Tucuruí – PIRTUC, sendo investidos mais de R$ 12 milhões na obra, que está a quase dois anos, se deteriorando e sendo engolida pelo matagal, por imprudência e falta de compromisso da gestão municipal de Tucuruí.

Segundo o relatório da empresa Eletrobras Eletronorte assinado pelo Superintendente de Meio Ambiente, Antônio Raimundo Santos Ribeiro Coimbra, a Prefeitura de Tucuruí deixou de cumprir desde a assinatura do convênio a contra partida da obra, sendo que o prefeito Sancler Ferreira assumiu desde 2010, o compromisso de implantar a rede adutora de mais de 4 km, com tubulações de aço, interligando a estação localizada na Vila Permanente até à rede-tronco de abastecimento de água da cidade, localizada na Avenida Veridiano Cardoso ao lado da Estação Rodovia de Tucuruí, e até os dias atuais os serviços não foram complementados, impossibilitando o bombeamento da água da estação aos reservatórios elevados e subterrâneos na rede-tronco.

No documento, também foi informado pela estatal, que desde sua inauguração realizada no dia 12 de agosto de 2013, nenhuma obra de complementação do Plano de Ação Conjunta por parte da Prefeitura de Tucuruí foram realizadas, passado estes 10 meses, ainda estão faltando os serviços de impermeabilização dos dois reservatórios semi-enterrados com capacidade de 750 mil metros cúbicos cada um, na Vila Permanente, que serão utilizados para o armazenamento da água tratada na estação e distribuição por meio de gravidade até a Estação de Distribuição de Água na Avenida Veridiano Cardoso ao lado da rodoviária.

A empresa Eletrobras Eletronorte requer ainda no documento, que o prefeito Sancler Ferreira informe em caráter de urgência o cronograma para a complementação dos serviços que são de obrigação da prefeitura, para que a estação possa entrar em funcionamento, alertando que a demora com a entrada em funcionamento poderá acarretar transtornos operacionais irreversíveis na parte estrutural do equipamento.

Cobrança de Água - O fato é que, no orçamento do município de 2012, 2013 e 2014, foi alocada uma arrecadação municipal, através da cobrança da taxa de fornecimento de água potável pela prefeitura aos consumidores, mas em função a não conclusão dos serviços, quem saiu perdendo foi à população que poderia estar recebendo água tratada em abundância 24 horas por dia, tudo por incompetência e fata de interesse da prefeitura de Tucuruí.

Falta de Água – A população de Tucuruí amarga com a falta do precioso líquido em suas torneiras, segundo Odete Lima, 50 anos, “antigamente a água vinha as torneiras uma vez por semana, hoje nos últimos 5 meses nunca chegou uma gota de água aqui no bairro Beira Rio, só a da chuva”, por outro lado, “as torneiras servem de ventiladores, porque de lá só saí vento”.

Das 18 mil residências que possuem ligações de água, apenas 6 mil são atendidas de forma escalonada pela prefeitura, através da autarquia “Nossa Água”, um dia a água segue para um setor, e no outro é desviada para outra localidade, é a ciranda da distribuição de água na cidade, e diga-se de passagem de péssima qualidade, informou um funcionário da autarquia “Nossa Água”.

O morador do bairro mais populoso de Tucuruí, o Getat, Roberto Vilhena, 64 anos, morador do bairro há 20 anos, declarou ser uma vergonha uma prefeitura que tem uma arrecadação por mês de mais de R$ 15 milhões, “e a população ainda têm que tomar água do rio e dos igarapés”, segundo o idoso, “votei neste sujeito, mas nunca pensei que fossemos ficar neste estado de abandono que vive a população da cidade”.

Para a moradora Fátima Silva, do bairro Alto Alegre, “e muita incompetência, passado 2 anos da obra da estação concluída, o prefeito Sancler Ferreira não ter finalizado sua parte dos serviços para atender com qualidade e abundância os tucuruienses com água tratada nas torneiras, apenas por ser ano eleitoral, e não quer assumir que no fundo a estação de tratamento de água potável foi construída pela presidente Dilma Rousseff”, segundo Fátima, “a população vem sofrendo há anos com a falta de água, e por incompetência e descaso, o prefeito Sancler continua emperrando o funcionamento da estação e distribuição de água para o nosso povo”.

A reportagem tentou contato com o diretor da autarquia “Nossa Água”, mais foi informada que ele estava para a zona rural, sem previsão para o seu retorno, a equipe também acionou a assessoria de imprensa do prefeito Sancler Ferreira, sendo informada que o gestor estava em viagem para a capital em audiências com o governo do estado.

Resumo - A Estação de Tratamento de Água de Tucuruí (ETA) teve seu convênio aditivado em março de 2010. A obra foi orçada no valor de mais de R$ 12 milhões, recursos do governo federal através do PIRTUC.

As instalações da ETA, já estavam finalizadas desde novembro de 2012, e aguardava a complementação dos serviços por parte da prefeitura, que já “empurrava com a barriga”, a mais de 12 meses a complementação das obras de sua contrapartida, para a interligação da captação e bombeamento de água do Rio Tocantins até a Estação, para o seu tratamento e armazenamento nos dois reservatórios com capacidade cada um de 750 mil m³ de água, e após a finalização da interligação da canalização da Vila Permanente até a cidade, a água potável seguirá por meio de gravidade até a Estação de Distribuição de Água, que teve suas obras finalizadas em 2004, com capacidade de 750 mil litros de água nos reservatórios apoiados e mais 350 mil litros na caixa d’água superior, com a finalização do processo de captação, tratamento e distribuição, que agora, está apenas no aguardo da finalização das obras por parte da prefeitura de Tucuruí, a população passará a receber em suas torneiras água tratada, com qualidade e abundância, para atender mais de 200 mil habitantes, 24 horas por dia.

Ocorre que, após a entrega oficial em agosto de 2013, já se passaram mais de 10 meses e prefeito Sancler Ferreira nada fez para a complementação das obras que são necessárias para a entrada em funcionamento da estação de tratamento da água.


Nenhum comentário:

Postar um comentário