Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Prefeito Russo anunciou redução de salários e atrasos dos pagamentos








O prefeito João Gomes “Russo”
Seu filho o Secretário de Educação do município Eduardo Gomes “Russinho”


WELLINGTON HUGLES
De Goianésia do Pará
Foto: Wellington Hugles

Em reunião realizada na tarde desta terça-feira (13), coordenada pela Promotoria de Justiça de Goianésia do Pará do Ministério Público do Estado, no salão do Júri no Fórum da Comarca de Goianésia do Pará, intermediada pelo vereador José Ernesto (PHS), em função as diversas denúncias realizadas pelo vereador na Tribuna da Câmara de Vereadores de Goianésia do Pará, após uma série de ações de fiscalização, atributo do parlamentar em prol da coletividade do município, onde se deparou com inúmeras irregularidades, como, o descaso com o transporte escolar, a falta de monitores para acompanhar os alunos menores e a ausência de merenda escolar em diversas escolas do município, além de licitações duvidosas que culminaram com a falta de pagamentos dos fornecedores que realmente prestam serviços ao município, com isso, inviabilizando o atendimento e a prestação dos serviços prioritários à população.

A audiência contou com a presença de dezenas de lideranças populares, além do prefeito João Gomes “Russo” e do seu filho o Secretário de Educação do município Eduardo Gomes “Russinho”.

Denúncias – Durante todo o ano de 2014 o parlamentar José Ernesto, conhecido popularmente como “Zé Ernesto”, realizou inúmeras denuncias de irregularidades na gestão pública, e no mês de dezembro acionou o Ministério Público do Pará, através da Promotora de Justiça Francisca Suênia Fernandes de Sá, onde apresentou as denúncias feitas pela população, juntamente com o relatório do trabalho parlamentar de fiscalização, ficando agendada para as 14 h desta terça-feira (13), uma audiência com as diversas classes representativas da comunidade para tentarem fazer uma composição com a prefeitura e resolver a situação do descaso com a educação.

A Promotora de Justiça Francisca Suênia Fernandes de Sá coordenou a reunião que contou com a presença do prefeito João Gomes “Russo” e do seu filho o Secretário de Educação do município Eduardo Gomes “Russinho”. O vereador Zé Ernesto representante legal do Poder Legislativo falou das desigualdades sociais que atravessa a população, além das inúmeras irregularidades que estão ocorrendo no transporte escolar, “é inaceitável os alunos serem transportados de forma insegura, em carros “pau-de-arara”, sem nenhum acompanhamento de monitores e correndo risco de vida”.

Os inúmeros motoristas de transporte escolar da cidade estiveram presentes na reunião e falaram da insatisfação de trabalharem apenas recebendo o óleo diesel do ônibus, “são vários meses que não recebemos os pagamentos dos serviços prestados”, afirmou Antônio Luís Costa.

Em sua defesa, o prefeito João Gomes conhecido como “Russo” afirmou que a Prefeitura está “quebrada”, sem recursos para cumprir com os pagamentos dos fornecedores, “a situação na cidade está “russa”, não estamos recebendo os repasses federais, em função ao bloqueio ocorrido pelo INSS, pelo não cumprimento dos acordos de parcelamentos celebrados pela prefeitura em sua gestão e o Instituto Nacional de Seguridade Social”.

O prefeito “Russo” aproveitou a oportunidade para anunciar os cortes que vão ser instituídos, começando a partir de fevereiro com a redução no número de contratados, reduzindo ainda os salários dos funcionários, e em consequência deverá ocorrer o atraso no pagamento dos salários dos funcionários, assim como, vem ocorrendo com os fornecedores, tudo por culpa da gestão anterior a sua.

O secretário de Educação Eduardo Gomes “Russinho”, filho do prefeito, disse que, “não temos como pagar nossos fornecedores, e não adianta fazer “cara feia”, porque eles não têm medo disso”, criticou ainda Zé Ernesto, dizendo que vereador tinha era que trabalhar pelo povo, e não atrapalhar o prefeito, “e que tudo que está ocorrendo e por culpa do vereador Ernesto”.

O parlamentar “Zé Ernesto”, realmente afirmou que tudo que está ocorrendo e por sua culpa, porque ele está cumprindo com seu papel e trabalhando em prol do seu mandato popular, fiscalizando os descalabros do governo municipal, “minha função entre outras, e fiscalizar o dinheiro público, e não vou me curvar a uma gestão que se encontra sobre suspeição”.

Disse ainda, que a culpa pelo desgoverno e a situação esta “russa”, não e sua e nem do povo, e sim em função da incompetência do prefeito “Russo” e de seus asseclas, que estão se locupletando do erário público, um governo que não conseguem gerir um município com menos de 35 mil habitantes, mas com um orçamento de R$ 90 milhões, isso se chama incompetência administrativa, mas ainda está em tempo de renunciarem o mandato.

Acordo
Ao final da reunião a Promotora de Justiça Francisca Suênia Fernandes de Sá formalizou um acordo que o prefeito “Russo” terá até o próximo dia 23 para apresentar uma planilha de pagamentos dos valores pendentes aos proprietários de ônibus, e a empresa que está contratada dentro do processo licitatório será convocada para prestar esclarecimentos, e apresentar os valores devidos aos proprietários de ônibus escolares, que prestam serviços a municipalidade.

Os presentes na reunião falaram a equipe de reportagem que eles têm quase certeza, que o prefeito “Russo” não vai cumprir com o acordado perante o MP, mas avisam, que se não for resolvido o problema do transporte escolar conforme definido pela promotora, após o dia 23 farão piquetes na PA 150 para reivindicar uma solução imediata.

Segundo informações da equipe de governo de “Russo”, novo processo licitatório será realizado para a contração por 6 meses de nova empresa para a prestação de serviços de transporte escolar, e que uma empresa de Marabá será a “vencedora” do processo licitatório que ainda será realizado neste mês de janeiro.




Um comentário:

  1. tenho pena dessa populaçao ai o mesmo é da escola de prefeitos de tucurui, novo repartimento, e breu branco

    ResponderExcluir