Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Tucuruí: Morre no HRT o soldado Oliveira, motorista da viatura que colidiu na PA 150

Morre no HRT o soldado PM Gederson Araújo Oliveira

A primeira vítima fatal foi a policial feminino Sargento Merien Rodrigues Alves, que morreu presa as ferragens no momento da colisão
 O Motorista do Caminhão Rafael de Araujo Sousa, morreu soterrado pelo carvão que transportava
Soldados Danilo e Renan transferidos à Belém no último domingo (31)

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles e Arquivo pessoal

O Soldado PM Gederson Araújo Oliveira, motorista da viatura Amarok, que acidentalmente colidiu na noite da sexta-feira (29), com um caminhão carvoeiro na rodovia PA 150, próximo ao trevo de acesso a cidade de Goianésia do Pará, sudeste do Pará, o choque culminou com a morte instantânea da policial feminino Sargento Merien Rodrigues Alves, de 40 anos, e do motorista do caminhão Rafael de Araújo Sousa, 25 anos.

Os outros ocupantes da viatura, os soldados: Renan, Danilo e Oliveira, foram levados às pressas para o Pronto Socorro do Hospital Regional de Tucuruí.

Em função a gravidade clínica dos pacientes, uma força tarefa foi coordenada pelo Comando da PM do Pará, sendo transferidos no final da manhã do domingo (31), através de Helicóptero do Governo do Pará e um avião UTI Aérea, os pacientes Renan e Danilo, levados para hospitais da capital.

Devido ao quadro de saúde do soldado Oliveira, que necessitava de cuidados, os médicos não aconselharam a transferência do paciente, em função ao coma e a possível alteração neurológica, pelo traumatismo craniano.

Foram cinco dias de muita aflição e correntes de orações, mas infelizmente, por volta das 15 h desta quarta-feira (3), a equipe médica do HRT, anunciou o falecimento do soldado PM Gederson Araújo Oliveira, em função ao colapso generalizado dos órgãos afetado pelo impacto sofrido no momento do acidente, que causou traumatismo craniano, ficando o paciente em coma, estendendo-se posteriormente a morte cerebral.

Muitos apelos foram feitos ao secretário de saúde do Pará Hélio Franco e ao governador Simão Jatene, para viabilizarem a transferência imediata do paciente, para outra unidade de saúde com maior estrutura e possibilidade do atendimento, e a manutenção da vida do militar, mas segundo os familiares, nenhuma solução foi tomada, não sendo liberada a transferência via UTI Aérea.

Durante este período no hospital, Oliveira, estava sendo mantido entubado, e ligado aos aparelhos na UTI.

No final da tarde desta quarta-feira, a equipe do IML de Tucuruí realizou a remoção do corpo do militar, onde foi feita a necropsia, e o corpo liberado aos familiares para o translado à Belém, onde será realizado o velório, não sendo informada a data e o local onde será sepultado o féretro.



Nenhum comentário:

Postar um comentário