Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Curso de Medicina será oferecido em Instituições Particulares de 39 municípios brasileiros


MEC liberou a informação na quarta-feira (04). Expectativa é que sejam ofertadas 2 mil vagas


O Ministério da Educação (MEC) divulgou no último dia 04 de setembro, que 39 municípios brasileiros, localizados em 11 estados, ganharão cursos de Medicina. 

A previsão é que sejam oferecidas 2 mil vagas em instituições particulares, que já estejam instaladas e funcionando ate o mês de dezembro nos municípios escolhidos. 

As cidades selecionadas para receber os novos cursos são: Alagoinhas, Eunápolis, Guanambi, Itabuna, Jacobina e Juazeiro (BA), Cachoeiro de Itapemirim (ES), Contagem, Passos, Poços de Caldas e Sete Lagoas (MG), Tucuruí (PA), Jaboatão dos Guararapes (PE), Campo Mourão, Guarapuava, Pato Branco e Umuarama (PR), Angra dos Reis e Três Rios (RJ), Vilhena (RO), Erechim, Ijuí, Novo Hamburgo e São Leopoldo (RS), Jaraguá do Sul (SC) e Araçatuba, Araras, Bauru, Cubatão, Guarujá, Guarulhos, Jaú, Limeira, Mauá, Osasco, Piracicaba, Rio Claro, São Bernardo do Campo e São José dos Campos (SP).

Seleção - Em outubro do ano passado, 205 cidades demonstraram interesse em sediar cursos de Medicina. Dentro desse universo, 154 enviaram ao MEC os documentos para análise e, em seguida, foram pré-selecionados 49 municípios em dezembro. No final, 39 municípios preencheram os requisitos exigidos por especialistas da Secretaria de Regulação e Supervisão da Educação Superior (Seres).

Foram analisados a relevância e necessidade social de oferta do curso, bem como a estrutura de equipamentos públicos e programas de saúde existentes. Outros pré-requisitos eram que as cidades tivessem 70 mil habitantes ou mais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), não fossem capital de estado e ainda não ofertassem o curso de Medicina no seu território.

As cidades selecionadas contam com hospitais com mais de 100 leitos exclusivos para o curso, ao menos cinco leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) para cada aluno, mínimo de três programas de residência médica e hospital de ensino ou unidade hospitalar com potencial para hospital de ensino.

Chamada pública, contendo propostas pelas instituições particulares para implantação do curso de Medicina, nos municípios selecionados, deve ser publicada ainda neste mês.

Os resultados finais estão previstos para serem liberados em dezembro.

Durante o processo de seleção dos municípios, apenas três receberam autorização para implantação de curso de medicina: Aparecida de Goiânia (GO), Muriaé (MG) e Picos (PI), sendo que este último integrou a expansão da rede federal de instituições de educação superior.


Dados do MEC apontam que, até julho de 2014, no Brasil existem 21.674 vagas autorizadas para Medicina. 

Desse total, 11.269 estão no interior e 10.405 em capitais. 

Até 2017, devem ser oferecidas mais 11.447 vagas para o curso.

Tucuruí poderá ficar de fora desta conquista

O município de Tucuruí, tem grandes condições de ser agraciada com a liberação do curso de medicina, mas terá que cumprir as exigências do MEC, e ter uma Faculdade de Ensino Superior instalada até o final do mês de setembro, para que possa entrar em funcionamento já no próximo mês de dezembro.

Infelizmente, muitas são as especulações proliferadas pela cidade, de pessoas que se dizem os grandes articuladores da liberação deste curso para o estado e a região, mas é fato esclarecer que o Curso de Medicina que serão implantados em Faculdades Particulares, faz parte de um programa do Governo Federal, através do MEC, para atende aos municípios com potencialidade, e que necessitam de maior atenção à saúde dos seus moradores.

Segundo o depoimento do gestor da cidade de Tucuruí, ele se intitula o grande articulador deste Curso Particular, mas pecou, em informar em rádio local, que ainda no primeiro semestre de 2015, será formada uma turma de 80 alunos para o Curso de Medicina, sendo fato, que não temos nenhuma instituição de ensino apta e com condições de instalar um curso deste porte na cidade, inclusive o prefeito foi mais longe, chegando a afirmar que mesmo sem ter solicitado ainda a autorização da Câmara de Vereadores, já havia determinado doação de uma área de terra a uma empresa particular, que poderá, dependendo das expectativas do mercado, se instalar em Tucuruí para receber a autorização do MEC do curso de medicina, mas não sendo pessimista, e estando todos com a maior boa vontade, e os pensamentos positivos, é humanamente impossível, uma faculdade ser construída neste espaço de tempo, exigência prioritária do MEC, sendo apenas um sonho de um “pseudodesenvolvimento” para tentar criar uma expectativa a uma população tão sofrida e descrente na área de geração de empego e renda. 

Podendo ser direcionado apenas como discurso em vésperas de eleições, para tentar canalizar apoio aos pretensos candidatos apoiados pelos que se dizem os responsáveis por esta conquista, que verdadeiramente e um avanço da administração do governo federal e uma meta cumprida pelo MEC.

Outro fator que causou desconforto junto à população de Tucuruí e região, foi à afirmativa do prefeito, em dizer que o curso será de fácil acesso, levando-se em consideração que na capital uma faculdade particular que oferta o curso de Medicina, os valores mensais oscilam em R$ 4 a 5 mil, observando isso, quanto será o valor da mensalidade deste curso em Tucuruí.

O prefeito alegou ainda, que o curso será gratuito, pago através do FIES, mas não esclareceu que o FIES e um programa do governo federal, de auxilio ao estudante carente, que financia e custeia o curso ao aluno, em diversos percentuais, mas que após a formatura, o profissional tem a obrigação de devolver os valores investidos pelo governo federal em um prazo de tempo.

E muito triste observarmos, que sem projetos e ações, alguns politiqueiros de plantão, ainda usam destes expedientes, tentando ludibriar e enganar seus munícipes, chegando até a informar em cadeia de rádio local, que estavam na manhã da segunda-feira (8), em reunião de trabalho no aeroporto da cidade de Marabá, reunindo com autoridades para a implantação da Faculdade Particular de Medicina de Tucuruí, mas que tudo foi esclarecido e caiu por terra, após a divulgação pela grande imprensa do estado, haja vista, o prefeito foi flagrado, naquele local e no devido horário, em um evento político partidário de apoio a candidatura a um presidenciável em companhia ao candidato a reeleição ao governo do Pará.

Que feio, omitir a verdade e tentar explicar o inexplicável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário