Pesquise as matérias do JT:

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Câmara de Tucuruí: Vereadores vão analisar Projeto de Lei de autoria de Sancler Ferreira que visa à cobrança de diárias de motocicletas e veículos no pátio de retenção da CTTUC




Câmara de Tucuruí: Vereadores vão analisar Projeto de Lei de autoria de Sancler Ferreira que visa à cobrança de diárias de motocicletas e veículos no pátio de retenção da CTTUC

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí

Mais um Projeto de Lei “bombástico” de autoria do prefeito Sancler Ferreira deverá ser analisado e votado na manhã desta terça-feira (23) pelos parlamentares tucuruienses, desta vez, Sancler quer aumentar a arrecadação do município, com a cobrança de taxa de permanência diária de motocicletas e veículos apreendidos pela Companhia de Trânsito de Tucuruí – CTTUC, em seu pátio de retenção.

Segundo o Projeto de Lei de Sancler Ferreira, a quantidade de veículos que se encontram no pátio causa transtornos e o aumento do custo dos serviços, com isso, e necessário que o poder legislativo crie uma taxa de permanência diária destes veículos a serem recolhidos pelos usuários no ato de sua retirada.

Trocando em miúdo, Sancler Ferreira quer onerar ainda mais o bolso do contribuinte, com isso, tentando aumentar a arrecadação da Prefeitura de Tucuruí, que está muito bem com muito dinheiro em caixa, sendo a 5ª maior arrecadação do estado, com quase R$ 20 milhões ao mês, e um orçamento que ultrapassa os R$ 320 milhões no ano de 2016.
Conseguindo aniquilar de uma vez por todas as pretensões dos 13 vereadores de concorrerem à suas reeleições aquela casa de leis, sendo um projeto impopular que só vem trazer transtornos aos munícipes.

O fato é que Sancler Ferreira instalou a CTTUC no prédio onde serviu de seu comitê eleitoral, pagando um pomposo aluguel, e tenta de todas as maneiras fazer caixa para custear estes valores, mas com esta cobrança, estará colocando a população de encontro aos vereadores e ao novo diretor da CTTUC Charles Simões.
Denúncias – O vereador Deley Santos denunciou na sessão do último dia 16, que existe uma ‘máfia na CTTUC’, onde os agentes cobram até R$ 500,00 no ato da liberação de motos irregulares.

Deley foi mais adiante, e disse que há também um esquema de beneficiamento da empresa de guinchos “Auto Kar” que e de familiares do atual secretário de obas Marcio Hiroshi, que arrecadam semanalmente um montante absurdo de taxas de guincho, sendo cobrado por cada moto valores de R$165,00, “cada caminhão em um final de semana recolhe cerca de 50 motos, para onde vão estes valores?”.

Os vereadores em quase sua totalidade também foram contundentes em apoiarem a denúncia, haja vista, a população atravessa uma recessão de emprego e a cidade atravessa uma crise econômica, mas a CTTUC através dos recolhimentos destes guinchos, esta fazendo uma máquina de dinheiro.
E o que é pior, mesmo as motos estando irregulares, após o pagamento das taxas na Auto Kar, o proprietário pode retirar o veículo, sem nenhum embaraço.


Na verdade voltando ao Projeto de Lei de Sancler Ferreira, da cobrança de taxa de permanência (diária) dos veículos no pátio de retenção da CTTUC, este projeto, é em todo o seu conteúdo inconstitucional, haja vista, não ser a Companhia autorizada a regularizar os veículos, e sim o Detran/Pará, sendo o único órgão a ter poder de retenção dos veículos irregulares, com isso, cabe aos vereadores tomarem uma posição que assegure a transparência e o direito aos que os vereadores representam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário