Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Tratamento Oncológico e de Hemodiálise: Unacon de Tucuruí inviabilizada em função ao descaso do governo Simão Jatene




WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto e filmagem: Wellington Hugles

A construção da Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia – UNACON, no Hospital Regional de Tucuruí teve seu ordenamento publicado no Diário Oficial de 10/08/2011, sendo as obras iniciadas no final do governo de Ana Julia Carepa, que deixou recursos previstos no orçamento do estado e do Ministério da Saúde do governo federal, para a conclusão das obras, além de todos os equipamentos para a implantação da unidade, inclusive, com o reator nuclear já adquirido.






A empresa ganhadora da licitação foi a Quadra Engenharia Ltda, com sede em Belém, o valor total da obra foi de R$ 3.878.836,01.

A entrada em funcionamento da Unacon estava prevista para o mês de agosto de 2012, onde atenderia a demanda da região Sul e Sudeste do Pará, inclusive, no projeto original o Hospital Regional de Tucuruí, seria revitalizado e adequado para o funcionamento dos novos serviços de alta complexidade como retaguarda da unidade oncológica.

A vigência do contrato da obra, inicialmente foi de 365 dias, tendo início em 10/08/2011 e encerrada em 09/08/2012, mas prorrogada até o mês de abril de 2013, quando foram concluídas as obras civis.

A Unacon no Hospital Regional de Tucuruí deveria ser dotada de equipamentos de quimioterapia, radioterapia e hematologia para o tratamento adulto e pediátrico 100% pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A construção passou pela aprovação de seu projeto arquitetônico através do INCA, Vigilância Sanitária e Comissão Nacional de Energia Nuclear.

Com a possibilidade da entrada em funcionamento da unidade, pacientes de Tucuruí e de vários municípios vizinhos, como Breu Branco, Novo Repartimento, Goianésia do Pará, Jacundá e Tailândia, poderiam ser atendidos e tratados no Hospital Regional, desde o diagnóstico, até a radioterapia, que é a parte final do tratamento, mas em função a falta de atenção e o descaso, por parte do governo Simão Jatene, mesmo com as obras concluídas desde o último mês de maio de 2013, ou seja, já passado 18 meses, a Sespa não criou nenhuma oportunidade da entrada em funcionamento, mesmo com a instalação do reator nuclear, já testado e em pronto funcionamento para o tratamento em radioterapia, inclusive o governo do estado, esta pagando mensalmente o valor de R$ 42 mil, para o técnico nuclear, desde o mês de março, mesmo assim, a Unacon de Tucuruí encontra-se fechada, desgastando-se pelo tempo, podendo colocar em risco até a inutilização dos equipamentos charríssimos, deixados pelo governo Ana Julia, em 2008, em função ao grande período sem funcionamento.

Via Crucias - Os pacientes que precisam deste tratamento, são obrigados a passar por uma via crucias, mesmo tendo uma unidade novinha e completamente instalada em Tucuruí, continuado a obrigatoriedade de se deslocarem ao Hospital Ofir Loiola, em Belém, para a possibilidade da manutenção de suas vidas.

Hemodiálise – Mesmo com as promessas de Simão Jatene em março de 2012, da instalação de 10 cadeiras para o tratamento de Hemodiálise, em uma das alas do Hospital Regional de Tucuruí.

O projeto foi engavetado, mesmo com a celebração de parceria com a Eletrobras Eletronorte, que em contrapartida se propôs a realizar a reforma e adequação de uma das alas do Hospital de Tucuruí, para a instalação deste serviço de vital importância aos pacientes da região, sendo inviabilizada, em função a liberação das alas do HRT para que a Prefeitura de Tucuruí instalasse a sua Maternidade Municipal dentro do Hospital do Governo do Estado de Média e Alta Complexidade, acabando com a expectativa dos pacientes, de serem beneficiados com os seus tratamento próximo a suas casas e familiares, sendo obrigados a continuidade de se deslocarem semanalmente para Belém ou Marabá, para realizarem o tratamento de hemodiálise, causando um grande desconforto e sofrimento aos enfermos.

A Unacon faz parte do projeto Expande, do Instituto Nacional do Câncer (Inca), que tem a parceria da Universidade Federal do Pará (UFPA), Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) e Secretarias Municipais de Saúde.

A sua finalidade era torná-la mais uma referência para o atendimento de pacientes com câncer no Estado, reduzindo a demanda para o Hospital Ofir Loyola (HOL), em Belém.

A população de Tucuruí e região tentaram por diversas vezes sensibilizar o governador do estado Simão Jatene, para colocar em funcionamento a Unacon, haja vista, sua estrutura estar totalmente finalizada, mas por diversas vezes foram informados pela sua assessoria, que dentro da agenda mínima de governo, a região Sul e Sudeste, não estava contemplada com investimentos neste setor, com isso, o sonho da população da região Sul e Sudeste do estado, tornou-se um pesadelo, restando apenas um grande “elefante branco” sem nenhuma utilidade, edificado em frente ao Hospital Regional de Tucuruí, custeado pelos cofres públicos do governo federal e do estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário