Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Denuncia: Prefeitura de Tucuruí está cometendo crime eleitoral com a doação de passagens rodoviárias do TFD para eleitores


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A prefeitura de Tucuruí na atual gestão do prefeito Sancler Ferreira (PPS), através das Secretarias Municipais de Saúde e Assistência Social, esta desenvolvendo uma “megaoperação”, custeada com recursos públicos, para beneficiar diretamente eleitores, que após triagem, comprometem-se a votarem nos candidatos do grupo político comandado pelo prefeito Sancler Ferreira, em beneficiamento ao candidato a governo Simão Jatene e aos candidatos aos cargos de senador, deputado federal e estadual.

Uma farsa denunciada por um dos beneficiários, que por motivos de segurança, e para resguardar sua integridade física, não quis ter seu nome revelado, até porque, nas requisições não constam os nomes dos beneficiários, mas afirmou, após receber a requisição assinada na Secretaria de Saúde, que não esta realizando nenhum tratamento de Saúde em Belém, e sim foi encaminhado por um agente político (cabo eleitoral), que estão trabalhando no convencimento dos eleitores nos diversos bairros da cidade, pedindo votos para o candidato a governador Simão Jatene e aos demais candidatos da coligação apoiada pelo prefeito Sancler Ferreira.

Um absurdo, caracterizado diretamente com a compra de voto, através da doação de passagens, tanto de ida como de volta ao eleitor.

Um esquema que foi montado para direcionar aos eleitores a doação de passagens, com a troca de uma passagem financiada pelo programa do governo federal do Tratamento Fora de Domicilio (TFD) pelo voto, passagens estas que seriam obrigatoriamente destinadas para os enfermos e seus acompanhantes, que necessitam de tratamento fora da cidade de Tucuruí.

É fato, que outras passagens para diversas localidades podem também estarem sendo ofertadas, inclusive aéreas.

Com isso, demostrado o total desrespeito com a legislação eleitoral, cometendo descaradamente crime eleitoral, no beneficiamento do eleitor com a doação de passagem rodoviária, conforme requisição acima, que custa o valor unitário de R$ 62,00.

Combustível – No início da campanha eleitoral, o Ministério Público Eleitoral (MPE) foi acionado e atuou rapidamente, coibindo a doação desenfreada de milhares de litros de combustível, que estavam sendo entregue gratuitamente no Posto Cascão, em Tucuruí, como forma de convencimento dos eleitores, para que centenas de milhares de pessoas participassem de uma carreata de apoio ao candidato a governador Simão Jatene.
O que levantou suspeita naquele momento foi que o posto Cascão e o fornecedor oficial de combustível para os veículos da prefeitura municipal.

Denuncias afirmam que centenas de requisições de combustíveis já foram entregues para milhares de pessoas durante o período eleitoral, para o beneficiamento com o abastecimento de seus veículos durante a campanha, inclusive, mais um grande esquema esta sendo montado, para abastecer milhares de veículos para o transporte de passageiros na véspera e no dia da eleição, outro fato que deve ser observado pelo MPE, é a contratação de ônibus de fretamentos, com a doação de combustível custeado pela prefeitura, para buscar e levar eleitores em outros municípios da região.

Tudo pago pelos cofres púbicos da Prefeitura de Tucuruí, que podem ser facilmente constatado, observando as planilhas de abastecimento dos últimos meses, comparando-as com o período eleitoral, e o dia da eleição, será esclarecedor o aumento do quantitativo do combustível requisitado.

O Ministério Público Eleitoral tem atuado de forma exemplar durante este período eleitoral, mas deve tomar providências urgentes no sentido de suspender a expedição desenfreada das requisições de passagens, com a desculpa que são para pacientes do TFD, e buscar levantar o comparativo dos números de passagens expedidas nos últimos meses, com o total de passagens expedidas neste período pré-eleitoral, comparando-as com o relatório de aquisição de bilhetes, junto à empresa concessionária de linha de ônibus intermunicipal.


Ações imediatas tem que ser tomadas no sentido de coibir e suspender a entrega destas requisições de passagens e combustíveis, além da contratação desenfreada de veículos de fretamentos, com a única intenção do transporta os eleitores nas vésperas e no dia da eleição, caracterizando o beneficiamento do eleitor, com a comprovada compra de voto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário