Pesquise as matérias do JT:

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Servidores municipais de Tucuruí declaram greve geral nesta segunda-feira (4)


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Os servidores públicos municipais de Tucuruí, através de sua entidade de classe o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Tucuruí (Sinsmut), decidiram em função da proposta graciosa da gestão municipal de Tucuruí, deflagrarem paralisação geral a partir desta segunda-feira (4), em função as inúmeras tentativas de negociação junto à administração municipal, inclusive, intermediada pelo Ministério Público do Estado (MPE), não terem surtido efeitos, dentro da proposta do Sinsmut, não sendo aceita pelo prefeito Sancler Ferreira (PPS), que insiste em fazer o reajuste dentro de suas modalidades, apenas garantindo o aumento abaixo da inflação, o que legalmente e irregular e inaceitável, haja vista, o reajuste ser abaixo do instituído pela lei, sendo uma ação inconstitucional.

A proposta do prefeito Sancler Ferreira é dar um reajuste de apenas 6.23%, enquanto a inflação observada nos últimos 12 meses, observando o mês da data-base dos servidores da prefeitura de Tucuruí, neste mês de maio, foi de 8,42%, registrado pelo INPC.         

Os dirigentes do Sinsmut convocaram uma Assembleia Geral dos associados, para homologar a greve geral, e fazer o comunicado à Prefeitura Municipal, Câmara Municipal, Ministério Público Estadual e Federal.

Na contramão, o prefeito Sancler Ferreira, conseguiu no “apagar das luzes” desta quinta-feira (30), véspera do feriado do Dia do Trabalhador (1), uma liminar de interdição do prédio da Sede Administrativa da Prefeitura de Tucuruí, onde a justiça determinou a proibição e/ou manifestação de sindicalistas ou servidores, que venha a invasão da sede da prefeitura, para evitar que sejam prejudicados os trabalhos da municipalidade.          

A greve geral que será iniciada nesta segunda-feira (4), será por tempo indeterminado, o Sinsmut conta com o respaldo dos servidores municipais e dos movimentos sociais de Tucuruí, que estão cansados com os desmando e as enrolações do executivo municipal.

É claro, que os escândalos de malversação dos recursos públicos através das decisões liminares, tanto da Justiça Federal, como Estadual, além da manutenção pela Prefeitura de Tucuruí da contratação ilegal de mais de 2 mil funcionários municipais temporários, inchando a folha de pagamento da PMT, com isso, inviabilizando os reajustes legais dos salários dos funcionários efetivos da prefeitura.      
     
Segundo os dirigentes do Sinsmut, “os funcionários efetivos da Prefeitura de Tucuruí, não podem, e não vão pagar pela situação de desgoverno, e pela incompetência da administração municipal”.

A greve é o último recurso, mas acreditam que não haja alternativa. “É inaceitável que os “apadrinhados” lotados na autarquia, Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Tucuruí (Ipaset), tenham um aumento de 80% e o "restante" dos funcionários da municipalidade, tenha um reajuste de apenas 6,23% com uma inflação avaliada pelo INPC de 8,42%”.

A equipe de reportagem foi até a sede da Prefeitura de Tucuruí, mas infelizmente foi informada que apenas o gestor Sancler Ferreira poderia se pronunciar sobre o assunto e que estaria cumprindo agenda em viagem para Belém e Brasília.
                  


Nenhum comentário:

Postar um comentário