Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 11 de novembro de 2014

Mais uma vez a sessão da Câmara de Vereadores de Tucuruí foi inviabilizada pela “ala de sustentação política do alcaide”


Mais uma vez a sessão da Câmara de Vereadores de Tucuruí foi inviabilizada pela “ala de sustentação política do alcaide”


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

A sessão ordinária que ocorreria na manhã desta terça-feira (11), foi prejudicada em função a ausência de 8 (oito), dos 13  vereadores com assento na Câmara, todos da base de sustentação e apoio político do alcaide tucuruiense.

Estiveram presentes apenas os vereadores, a saber: Florival Nunes (Presidente), Bena Navegantes (Vice-presidente), Cleuton Marques (Vice-presidente eleito para o biênio 2015/2016), que nesta sessão abordaria as carências e dificuldades que atravessam os moradores da Vila do KM 11 e as ações pospostas pelo vereador, para tentar minimizar o sofrimento daquela população.

Deley Santos também esteve presente, ele que foi o autor de inúmeras denuncias na tribuna da Câmara, e prometia esta afiado, e nesta sessão daria os nomes dos proprietários de empresas que estão sangrando mensalmente o erário da PMT, inclusive, faria a leitura de um depoimento da Secretaria de Finanças da PMT que e funcionária concursada da Câmara de Vereadores.


O vereador Dodô assumiu a secretaria da sessão, e falou a equipe de reportagem que faria em seu pronunciamento um balanço do “caos” que está atravessando a maternidade municipal de Tucuruí, imposta há 4 anos dentro de uma ala dentro do HRT e também da insegurança que é trafegar pelas ruas da cidade, pela ausência do controle e orientação dos serviços prestados pela CTTUC na cidade, que serve apenas como cabide de emprego, e é uma máquina de recolhimento de multas e pagamentos de guinchos.

Um comentário: