Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

Luta pela Moradia: Onda de ocupações chega ao bairro da Nova Matinha




WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Google Maps

Desde as primeiras horas da manhã destra terça-feira (12), centenas de famílias decidiram ocupar diversas áreas da municipalidade, que estão abandonas há anos pela gestão municipal, segundo os ocupantes, o único objetivo do prefeito Sancler Ferreira é angariar recursos para obras que nunca saem do papel, mas os recursos dos cofres dos governos do Estado e Federal são repassados ao município, e nada é realizado em prol da população, como exemplo, o fantasmagórico Complexo Cultural de Tucuruí, que contaria com o primeiro Sambódromo do sudeste do estado, sendo repassados valores que ultrapassam a cifra dos R$ 20 milhões, e nada foi erguido ou estruturado, apenas escavações, e apenas um pedaço de muro foi iniciado, mas os valores dos convênios foram repassados na totalidade, até o fechamento desta edição não tivemos nenhuma explicação cabível pelo gestor de Tucuruí Sancler Ferreira, desmentindo ou concordando com o recebimento dos R$ 20 milhões, mas segundo o ditado popular “quem cala consente”.


Depois de anos de enganação, as famílias sentiram-se no direito de lutar neste ano eleitoral de 2016 por um teto, segundo denúncias, centenas de milhares de famílias tucuruienses foram ludibriadas pelo prefeito Sancler Ferreira, em duas oportunidades, primeiro no período eleitoral de 2008, quando Sancler prometeu moradia popular com a doação de casas, sendo realizado um cadastramento irregular, para angariar votos, que culminou com denúncia no Tribunal Eleitoral, de compra de votos, mas Sancler conseguiu se livrar. 


Na segunda oportunidade os mesmos modos operantes foram concretizados, uma lista de cadastro foi feita pelas suas irmãs de nomes “Antonete” e “Tancy”, que prometiam uma casa para quem votasse na reeleição de Sancler, foi uma vitória esmagadora, mas passado três anos, Sancler nunca concretizou seu projeto de entregar moradias as famílias de Tucuruí, devido a isso, populares decidiram realizar a ocupação de diversas áreas de terras no bairro da Nova Matinha, que seriam utilizadas para o projeto faraônico da duplicação da Avenida 7 de Setembro, que nem existe no local, e a construção de uma área de recreação, que nunca foi erguido sequer a placa de início de obra.


Cerca de 2 mil lotes estão disponíveis as famílias carentes e sem-teto, aguardando que peguem a foice e o martelo, e entrem nessa luta em defesa da sua casa própria.


Hermínia Sales, 87 anos, e uma das ocupantes de uma área de terra na Nova Matinha, e esclareceu o porquê de sua intenção em garantir um terreno na localidade, “eu recebi a visita dos familiares do prefeito em 2012, dizendo para eu e meus filhos votar nele, que seria dada uma casa no “Cristo Vive”, mas, depois da ocupação do residencial, procurei a mulher que veio em casa, a irmã do prefeito, e ela me disse: “palavras ficam ao vento”. Revoltada, mesmo com minha idade, entrei nesta luta, para conseguir um terreno ao meu filho, que está casado, e aguarda ser pai, e vou lutar com todas as forças para ficar aqui”, disparou à idosa.


Muitos lotes já foram divididos e limpos, não existe liderança no local, a ocupação e da camada popular que nunca teve o apoio da prefeitura, até o terreno que seria disponibilizado para o prédio da nova Câmara de Vereadores foi ocupado, o povo afirma que vai lutar para ter a garantia de seus lotes conquistados, "por que, a promessa foi do prefeito, como ele não cumpriu nos vamos conquistar na marra".


A equipe de reportagem procurou a Prefeitura de Tucuruí para os esclarecimentos pertinentes, mas fomos informados que o prefeito Sancler Ferreira esta de férias fora do estado, e que a prefeitura está de recesso administrativo retornando suas atividades no dia 26 de fevereiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário