Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 21 de julho de 2015

Sancler Ferreira: “Tucuruí é a cidade modelo no atendimento a saúde de seu povo”, segundo relato enviado ao MEC para garantir a instalação do Curso de Medicina





Acima o relatório completo encaminhado pela Prefeitura de Tucuruí ao MEC, respaldando a instalação do Curso de Medicina em Tucuruí



Aberração, mentiras e informações inverídicas, só leitos Tucuruí e detentor de 231 vagas e estão sendo disponibilizadas mais 70, que "mentira cabeluda, ou seja, de cabelo curto"!!!!!! 



WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Fonte: MEC

Quando a verdade é pura, a mentira nunca prevalece, mas em Tucuruí, o prefeito Sancler Ferreira já virou “useiro e vezeiro” destas estratégias, que de forma direta trazem complicações e comprometimentos irreversíveis a tão sofrida população da cidade de Tucuruí.

Dentro do relatório discriminativo enviado ao Ministério da Educação e Cultura, com a intenção de garantir a instalação do Curso de Medicina em nossa cidade, observem abaixo a quantidade de serviços que a gestão municipal “deveria estar realizando” à população, inclusive, só na saúde básica competência do município, Sancler Ferreira e seu assecla Charles Tocantins, afirmam termos um Hospital Municipal com 79 leitos, e a construção de outro Hospital Municipal com capacidade de mais 70 leitos, “mentira tem perna e cabelo curto”, se o MEC vir a fazer outra vistoria antes da liberação da autorização para a instalação da Faculdade de Medicina, será comprovado que não temos Hospital Municipal há mais de 3 anos, fechado para reforma, e que no último mês de junho, a Câmara de Vereadores a pedido do alcaide tucuruiense, o prefeito que mais viaja, do que faz gestão na cidade, aprovaram a privatização das obras de construção do Hospital Municipal, em valores astronômicos, que não foram informados no projeto de lei, diga-se de passagem, custarão aos cofres da PMT mais de R$ 12 milhões, que serão pagos a uma “empresa particular” com valores mensais de mais de R$ 180 mil mensais, durante 20 anos, uma aposentadoria e tanto.

Mais a frente, o alcaide Sancler Ferreira afirma no documento, que está reformando a ala da maternidade do Hospital Municipal de Tucuruí, como uma pessoa em “sã consciência”, afirma, e assina um documento gracioso que não transparece a verdade vivida pela população, haja vista, a Maternidade Municipal está há mais de cinco anos dentro de uma ala do Hospital Regional de Tucuruí, impedindo que a UNACON entre em funcionamento, por estar ocupando uma ala que está destinada para a retaguarda de leitos dos pacientes com problemas cancerígenos, que desde 2012 já poderiam estar realizando o tratamento oncológico em Tucuruí, não podendo receber este benefício por culpar exclusiva e por incompetência da gestão municipal.

É fato, que o MEC autorizou uma segunda oportunidade do município de Tucuruí vir a receber o Curso de Medicina, graças a uma grande força tarefa da bancada federal de senadores, deputados federais e estaduais, bem como, a intervenção do vice-presidente da república Michel Temer, que oportunizou ao município paraense se reabilitar junto ao MEC, para poder receber as primeiras 50 vagas do Curso de Medicina, mas, se algo for encontrado em desacordo aos requisitos necessários estabelecidos pelo MEC, perderemos definitivamente o curso, e sabemos que mentir e criar informações fictícias poderá acarretar um transtorno irreversível ao desenvolvimento econômico e educacional de nossa tão sucateada e sofrida Tucuruí, porque “mentira tem perna e cabelo curto”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário