Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Tucuruí: Fim de governo calamitoso









WELLINGTON HUGLES

De Tucuruí

Foto: Wellington Hugles


Após as eleições municipais ocorridas no último dia 2, a cidade de Tucuruí atravessa um ritmo de retrocesso, o prefeito Sancler Ferreira, após 8 anos a frente do governo, está conseguindo levar o município à beira de um colapso total, o sistema de fornecimento de água potável, que nunca foi um dos melhores, parou de vez, a coleta de lixo e resíduos sólidos esta suspensa, os fornecedores das diversas secretarias de governo da administração municipal, suspenderam o fornecimento de matérias por falta de pagamento e com medo de que o calote possa ser ainda maior, o serviço de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) que é garantido através de repasse do Governo Federal esta parado por falta de pagamentos as empresas que fornecem passagens de ônibus intermunicipais, os postos de saúde de toda a cidade estão sem atendimentos dos profissionais da área de saúde, além da falta generalizada de medicamentos, os exames laboratoriais e especializados estão todos suspensos, os médicos odontólogos cruzaram os braços por falta de material para o trabalho, os veículos da municipalidade estão parados por falta de manutenção e pasmem por falta de combustível para rodarem no atendimento dos serviços da gestão municipal. 


Dia do Dentista marcado por manifestações  pelo descaso do poder municipal na viabilidade de materiais para o atendimento da população de Tucuruí pela classe dos odontólogos
Os funcionários e prestadores de serviços da Trans Bom Jesus, ocuparam o prédio da  Secretaria de Educação na manhã desta quarta-feira (26), cobrando os pagamentos atrasados, com medo de serem lesados pelo governo que está chegando ao fim.


O gestor Sancler Ferreira resolveu, depois de dois anos da decisão judicial, realizar a toque-de-caixa a nomeação dos concursados, chamando os 800 aprovados para assumirem de repente suas funções na Prefeitura, e decidiu em arrepiou à lei desligar os mais de 2.500 servidores contratados que prestavam serviços a Prefeitura após a eleição, causando um caos na funcionalidade dos órgãos da municipalidade.


O interessante é que tudo isso estava funcionando segundo o gestor municipal Sancler Ferreira a contento até o último dia 1º de Outubro, e num passe de mágica, após o resultado das eleições municipais, todos os serviços prestados pela Prefeitura de Tucuruí começaram a não funcionar mais.  


Ficando latente aos munícipes, que a vontade popular de alternância do poder na cidade de Tucuruí desagradou ao prefeito Sancler Ferreira (PPS), que para punir a população pela sua derrota nas urnas, resolveu fechar as portas da prefeitura para balanço.


MP – O Ministério Público do Pará através da Promotora de Justiça de Tucuruí Dra. Adriana Passos, após diversas denúncias dos contratados que foram demitidos junto ao órgão ministerial. O MP recomendou que o prefeito mantenha o distrato apenas dos servidores temporários nas funções em que houve candidato aprovado nomeado, substituindo-os; e que indenize os servidores distratados pagando os dias e meses trabalhados, além do décimo terceiro salário. O cronograma de pagamento deve ser encaminhado ao MP no prazo de 10 dias.


"O gestor municipal 'decidiu' cumprir a decisão judicial apenas quando lhe foi conveniente e ainda contrariando a parte dispositiva da decisão que determinou a substituição gradativa dos candidatos que obtiveram nota de aprovação no concurso 01/2014, distratando todos os temporários de uma vez só, motivo pelo qual o MP ingressará com todas as medidas legais para coibir a medida", frisou Adriana Passos.
 
A recomendação tem como objetivo que o prefeito Sancler Ferreira, faça cumprir a lei que garante aos servidores contratados que estavam prestando serviços à municipalidade as suas estabilidades, haja vista, a proibição do desligamento destes, no período de 90 dias antes e 90 dias após o pleito eleitoral. 


Segundo afirmou a promotora Adriana Passos, “o prefeito decidiu cumprir determinação judicial na nomeação dos concursados, em um total de 800 que deveriam ter sido convocados desde a decisão prolatada em 2014, mas realizou o desligamento da totalidade dos servidores temporários (contratados) quase 2.500, isso fere os dispositivos legais, e o Ministério Público do Estado através da Promotoria de Justiça de Tucuruí, juntamente com o Ministério Público Eleitoral, vão requerer a justiça medidas emergenciais, para que o gestor municipal realize o retorno dos servidores temporários, os que não estavam ocupando os cargos dos 800 concursados, que foram convocados e nomeados pela municipalidade, ou seja, um total de quase 1.700 servidores contratados deve retornar as suas funções e terão suas estabilidades garantidas até o final desta gestão”, conclui a promotora.


Transição de Governo – Em todas as cidades onde o regime democrático está instituído e a Carta Magna e o pilar das leis, os governos que estão saindo da gestão da administração municipal, estão realizando a transição de governo, que nada mais é do que passar para o novo prefeito e sua equipe que irão assumir a partir do dia 1º de Janeiro de 2017, o quadro administrativo e financeiro que atravessa a Prefeitura.


Mais em Tucuruí o gestor Sancler Ferreira está colocando o pé na parede, não acatando um dispositivo legal que é nomear a equipe de transição para o próximo governo, com isso, dando mostra concreta que muita coisa está escondida de baixo do tapete da gestão municipal, e uma delas e o rombo na folha de pagamento dos funcionários, além do calote nos fornecedores e nos descontos dos funcionários para os empréstimos consignados, e o que é pior, ninguém consegue visualizar o caos que se encontram as finanças do IPASET, órgão previdenciário que arrecadou milhões de reais, e que segundo informações ainda não confirmadas novamente encontra-se no vermelho.



 Atentado ocorrido dentro do prédio sede do IPASET, onde um indivíduo disparou a esmo tiros de arma de fogo sem informar os motivos

Parece que Sancler não vai deixar a prefeitura sem energia e com um gerador na porta, mais vai deixar a gestão municipal totalmente comprometida e inviável, sangrando os cofres públicos até os últimos dias, com isso, impossibilitando pelos próximos 4 anos do novo prefeito governar, recebendo a prefeitura atolada em dívidas e inadimplente, impossibilitando que o próximo prefeito possa mostrar trabalho em prol da população.


Vereadores – A Câmara de Tucuruí novamente não realizou sessão ordinária nesta última terça-feira (25), para apreciar o orçamento do ano vindouro de 2017, estando inertes a todas as denúncias de descaso e desgoverno que atravessa a cidade. Mais uma vez, dando amostra de que o povo teve consciência na renovação de quase sua totalidade dos parlamentares com acento naquela casa de leis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário