Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Tucuruí: Manifestações marcaram velório e sepultamento da dona de casa morta pelo cabo da PM










  

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Muitas manifestações populares marcaram o velório e o sepultamento da dona de casa Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, assassinada na porta da sua casa na Rua 1º de Maio, nº 154, bairro São Sebastião, em Tucuruí, sudeste do estado, na noite do último sábado (6), que segundo seus familiares, foi cometido pelo Cabo Daniel, lotado no 13º Batalhão da Polícia Militar do Pará, quando realizou diversos disparos de arma de fogo em via pública, em frente ao seu comércio, “Panificadora Lorrana”, localizado na divisa entre os bairros São Sebastião e Luz e Liberdade.

Segundo o registro realizado por Valdirene Alves Moreira, irmã da vítima, perante a autoridade policial na Seccional de Polícia Civil de Tucuruí, onde denunciou que o cabo PM Daniel, teria realizado diversos disparos de arma de fogo, contra sua irmã a dona de casa Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, quando estava sentada em frente a sua casa, juntamente com seu companheiro Danilo, sendo baleada com um tiro fatal na cabeça, mesmo socorrida ao HRT, Maria Edina morreu no momento em que deu entrada no Pronto Socorro.

A população revoltada pela ação do Cabo da PM Daniel, aglomerou-se em frente à panificadora, que também é sua residência, na confluência dos bairros São Sebastião e Luz e Liberdade, com a intenção de fazerem justiça com as próprias mãos, rapidamente diversas viaturas da PM e uma grande quantidade de policiais chegou ao local, com a intenção de realizar a detenção do suspeito do homicídio, e garantir que não houvesse depredação de patrimônio particular ou mesmo um possível linchamento, mas infelizmente, o Cabo Daniel após ter cometido os disparos contra a dona de casa, evadiu-se do local do crime.

Mandado – A justiça da Comarca de Tucuruí decretou na manhã desta terça-feira (9), à prisão preventiva do suspeito do assassinato de Maria Edina, o Cabo PM Daniel, que se encontra foragido da polícia e agora da justiça.
O crime – Segundo o depoimento dos familiares da vítima, o Cabo PM Daniel teria passado todo o dia do sábado (6), consumindo bebidas alcoólicas em sua residência, e por volta das 22 h, ouviu-se disparos de arma de fogo, vindo de dentro da panificadora, foi quando o militar com a arma em punho saiu de dentro do comércio gritando textualmente, “hoje vou matar alguém”, foi quando disparou diversos tiros a esmo na rua, segundo o relato de sua irmã Valdirene Alves Moreira, o cabo ao avistar a dona de casa Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, desprotegida e sentada em frente a sua residência, juntamente com seu companheiro Danilo, passou a disparar tiros em direção da dona de casa, acertando fatalmente um tiro em seu rosto, chegando ainda a apontar a arma e ameaçar de morte Danilo, após o fato consumado o cabo Daniel evadindo-se do local do crime.

Manifestações – Desde o último sábado, a população não aceitava que a morte da dona de casa ficasse impune, exigindo providências enérgicas e urgentes das autoridades da PM, através do Comando Geral da PM, 13º BPM e do CPR IV, para a captura do Cabo PM Daniel, para que possa responda pelo ato de ter tirado, sem motivos aparentes, a vida de sua vizinha de apenas 42 anos, que estava desprotegida na porta de sua casa, deixando seus filhos órfãos e seus familiares e amigos enlutados.

Barricada - Na noite desta segunda-feira (8), centenas de populares fecharam a rua em frente ao comércio do Cabo Daniel, ateando fogo a pneus e madeira, exigindo punição ao militar pelo ato criminoso, a situação ficou tensa e a PM esteve no local observando de longe a manifestação que encerrou pacificamente por volta das 22 h.

Cortejo – Por volta das 11 h da manhã desta terça-feira (9), dezenas de veículos e motos, além de caminhões lotados de pessoas, acompanharam o cortejo do féretro da dona de casa Maria Edina.

A população, familiais e amigos estavam comovidos pela forma cruel que Maria Edina, perdeu sua vida, os manifestantes foram para frente ao Quartel do 13º BPM, exigindo soluções imediatas, para que este assassinato não fique impune.

Segundo o comandante do IV Policiamento Regional, Coronel Barata, tudo esta sendo feito para tentar encontrar o suspeito do assassinato da dona de casa, inclusive, a justiça de Tucuruí já decretou a prisão preventiva do suspeito Cabo Daniel, “esperamos que nas próximas horas o militar se apresente voluntariamente perante um dos comandos da PM no estado, haja vista, estarmos fechando o cerco em sua captura”.

O sepultamento foi realizado no Cemitério Público Jardim da Saudade, em Tucuruí, foram momentos de muita comoção e tristeza, centenas de pessoas gritavam palavras de ordem pedindo justiça.

Apresentação – Segundo o advogado do Cabo PM Daniel, o militar deverá se apresentado em uma das unidades da PM, sendo aguardada apenas a orientação de seu advogado criminalista, que deverá dar início a sua defesa.

Até o fechamento desta edição, o Cabo PM Daniel encontra-se foragido e o comando da PM juntamente com a Polícia Civil de posse do mandado de prisão preventiva, pede à população que, por ventura, tenham informações que possam chegar ao paradeiro do policial militar acusado, que denunciem através dos telefones: 190 ou 181.


Nenhum comentário:

Postar um comentário