Pesquise as matérias do JT:

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Caso Edina: Cabo da PM já se encontra encarcerado no “Anastácio das Neves”


O Cabo da Polícia Militar do Pará, Daniel, apesentou-se voluntariamente na noite desta terça-feira (9), perante a autoridade policial na Delegacia de Crimes Funcionais, em Belém

Maria Edina Almeida Moreira foi morta prematuramente aos 42 anos, deixando 5 filhos menores órfãos


WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

O Cabo da Polícia Militar do Pará, Daniel, apesentou-se voluntariamente na noite desta terça-feira (9), perante a autoridade policial na Delegacia de Crimes Funcionais, em Belém. Devido à expedição do mandado de prisão preventiva, expedido pela justiça de Tucuruí, o Cabo PM Daniel, foi preso e recolhido a Casa de Detenção “Anastácio das Neves”, localizada na vila de Americano, no município de Santa Isabel do Pará, nordeste do estado, onde deverá permanecer encarcerado aguardando o julgamento.

A apresentação do Cabo Daniel foi acompanhada por um advogado criminalista, disponibilizado pelo Sindicato dos Cabos e Soldados do Pará, o qual Daniel é associado.

A autoridade policial deverá tombar competente inquérito, onde serão ouvidas as testemunhas de acusação e de defesa, que poderão inqueridas em Tucuruí ou em Belém, após a conclusão pela Polícia Civil, será encaminhado para a Justiça de Tucuruí, que tomará as providências cabíveis ao processo, sendo garantida a ampla defesa ao réu ao contraditório.

O crime ocorreu no último sábado (6), quando supostamente o Cabo Daniel chegou a disparar diversos tiros, em via pública, na Rua 1º de Maio, na confluência dos bairros São Sebastião e Liberdade, que segundo os familiares da vítima, culminou com a morte da dona de casa Maria Edina Almeida Moreira, 42 anos, que se encontrava naquele momento, sentada na porta de sua casa, ainda, segundo os familiares que testemunharam a barbárie, a mulher não teve como esboçar defesa, deixando cinco filhos órfãos e a família e amigos enlutados.

Após sua morte, uma onde de manifestações ocorreu no bairro, inclusive durante o cortejo ocorrido nesta terça-feira (9), em Tucuruí, os manifestantes estiveram na porta do Quartel do 13ª BPM, exigindo das autoridades militares a prisão do suposto assassino.

O enterro de Maria Edina foi realizado sobre muita consternação e revolta popular, pela perda brutal e prematura.




Nenhum comentário:

Postar um comentário