Pesquise as matérias do JT:

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Força tarefa elucida a execução de adolescente em Breu Branco



 Anderson Santos da Graça, 13 anos, executado em outubro em |Breu Branco
Jardenilson de Souza Araújo, 32 anos, vulgo “Didi”, preso e responderá pela autoria da morte do adolescente em Breu Branco


WELLINGTON HUGLES

De Breu Branco

Foto: Divulgação


Após 60 dias de muita investigação através de uma força tarefa, composta pela equipe da Polícia Civil e NIP (Núcleo de Inteligência da Polícia Civil), Polícia Militar e equipe de Inteligência Velada do CPR IV, através da coordenação do Delegado de Breu Branco Romnell Souza, que recebeu o sinal verde da Justiça Breuense e o parecer favorável do Ministério Público, conseguiu desvendar o misterioso assassinato ocorrido no dia 18 de outubro, em Breu Branco, sudeste do estado, que ceifou a vida prematuramente do adolescente Anderson Santos da Graça, 13 anos.

Dentro das investigações figurou como autor do assassinato o elemento de apelido “Didi”, que chocou a opinião pública, ficando marcando no coração da população pelos rigores de perversidade e torturas cometidos à vítima.  


Foram momentos de pânico e sofrimento que a família Graça sofreu nos últimos 60 dias, mas que foi elucidado com a determinação judicial através de mandado de prisão do nacional Jardenilson de Souza Araújo, 32 anos, vulgo “Didi”, que mesmo tendo o apelido sugestivo de um grande humorista, nada mais é, do que a escória da sociedade, que fatalmente usou de muito sangue-frio e atrocidades para executar de forma desumana o adolescente de apenas 13 anos, retirando Anderson Graça do seio de seus familiares.


Relembre o caso – No ultimo dia 18 de outubro, populares encontraram as margens de um matagal no bairro Liberdade na estrada de acesso ao lixão da cidade, após a entrada do bairro do Batata o corpo de Anderson Santos da Graça, que foi executado com regimes de crueldade e desovado no lixão, foi constatado um tiro de espingarda calibre 12, e encontrada marcas de corda envolta de seu pescoço, suas mãos foram queimadas e muitas marcas de tortura estavam em todo o seu corpo. No laudo pericial do IML de Tucuruí a causa morte foi asfixia.


Prisão – O nacional Jardenilson de Souza Araújo, vulgo “Didi”, foi levado à presença do Delegado Romnell Souza, e em seu depoimento, negou qualquer envolvimento no crime, mas dentro das investigações, após a autorização da quebra do sigilo telefônico pela justiça, foram constatadas inúmeras conversas entre “Didi” e a vítima, dias antes, na véspera e no dia do assassinato. Comprovando sua participação direta, na preparação, autoria e execução do crime que ceifou a vida do adolescente que contou com a participação de outros comparsas. 


Sua transferência para o Centro de Recuperação Regional de Tucuruí está sendo aguardada para as próximas horas.


Os familiares agradecem as autoridades, que incansavelmente não mediram esforços para elucidar o bárbaro crime, mas temem ainda por suas vidas, inclusive tendo que se ausentarem da cidade, mas pedem, que os outros envolvidos também sejam presos, segundo os familiares  três dos assassinos ainda estão em liberdade, dentre eles um homossexual, que foi quem atraiu o menor para sua execução.



Nenhum comentário:

Postar um comentário