Pesquise as matérias do JT:

terça-feira, 28 de março de 2017

Câmara de Tucuruí: Vereadores decidem hoje destino do Vice-prefeito



Câmara de Tucuruí: Vereadores decidem hoje destino do Vice-prefeito

WELLINGTON HUGLES
De Tucuruí
Foto: Wellington Hugles

Na sessão ordinária desta terça-feira (28), os 13 parlamentares tucuruienses, vão analisar em segunda votação matéria que altera novamente a Lei Orgânica do Município, revogando o dispositivo legal aprovado no ano de 2014 pela maioria dos parlamentares, que há época coibiu a vice-prefeita Henilda Dias Miranda de assumir o cargo de prefeita interina na ausência do prefeito. 



Naquela época com a alteração a Lei Orgânica, o ex-prefeito Sancler Ferreira recebeu de presente dos vereadores o ‘passaporte’ de se ausentar da cidade em até 15 dias, sem que sua cadeira fosse ocupada de fato e de direito pela vice-prefeita ou mesmo pelo presidente da Câmara de Vereadores.


2017 - Com a votação e aprovação pela maioria absoluta dos vereadores, em primeiro turno, sessão realizada no último dia 21 de Março, a alteração na Lei Orgânica, que visa recompor o direito líquido e legítimo do vice-prefeito constitucionalmente eleito em votação direta e secreta de assumir o cargo interinamente na ausência do titular, o prefeito Jones William (PMDB).


A revogação da Lei esta causando muitos temores nos bastidores da política local, haja vista, ter sido uma das promessas eleitorais, a de revogar esta lei, e o vice-prefeito voltar a ter o direito de assumir o cargo de prefeito interino da cidade. 


É verdade, que mesmo a Lei tendo sida solicitada cópia em janeiro passado pelo executivo para encaminhar Projeto de Lei do Executivo para as devidas alterações, ainda aquela época foi abandonada a ideia da alteração da lei. Sendo proposta pelo legislativo a devida alteração e o retorno deste direito, que deverá ser apreciado e aprovado em definitivo em segunda votação nesta terça (28).


Mais segundo alguns analistas políticos, muitas águas ainda podem rolar até o início da sessão ordinária desta terça (28), com isso, alguns interesses podem prevalecer e a lei continuar do modo que esta, deixando o prefeito de forma cômoda sem a necessidade da transmissão do governo ao seu vice, ficando “tudo como d’antes na terra de Abrantes”.


Já as correntes otimistas garantem que já aprovaram em primeiro turno na ultima sessão e que será apenas para cumprir tabela a aprovação da revogação da lei, conhecida como a “lei do totalitarismo”. Garantindo que o vice-prefeito Artur Brito (PV) atual Secretário de Obras de Tucuruí possa gozar o direito de assumir a função de prefeito na ausência do titular do cargo o prefeito Jones William.


É fato que, uma matéria desta envergadura tem que ser bastante discutida, mas em função de Jones e Artur serem dois jovens com um futuro promissor, e que a unidade dos dois e marcante na gestão, com certeza Jones William deverá chancelar seu apoio à aprovação desta matéria.


Mas, ainda existem especulações daqueles que foram derrotados nas últimas eleições, que dão conta de um ‘racha’ generalizado na base de apoio partidário do governo peemedebista, principalmente dos militantes da legenda, que até o momento não foram reconhecidos ou privilegiados pelos gestores e secretários, que na grande maioria são remanescentes de outras legendas partidárias ou representam os partidos de apoio eleitoral.


Mais com certeza, pela grande experiência que teve como vereador, Jones William deverá contornar estas diferenças, e unir novamente o seu grupo vitorioso que conseguiu através do apoio popular alternar o governo que tanto afundou a cidade, com as expectativas e promessas de dias melhores.


Balanço administrativo - No próximo dia 10 de abril o governo Jones William completa 100 dias e o Jornal de Tucuruí fará uma matéria especial com o balanço administrativo e de obras já ofertadas à população, assim como fará um comparativo do atual governo com as administrações anteriores, para verificar se houve avanço nesta nova gestão, e também o que realmente os secretários e dirigentes municipais já realizaram em prol da coletividade nestes 100 primeiro dias de governo, que historicamente demostram o que será os próximos quatro de gestão.


Então vamos aguardar o posicionamento dos vereadores para a aprovação ou não do direito do vice-prefeito assumir o cargo interino na ausência do titular. E observar se nos manteremos na regressão ou teremos avanços no segundo maior poder da cidade o Legislativo.

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário