Pesquise as matérias do JT:

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Graciele Galvão um exemplo de força, coragem e dedicação, rompendo as fronteiras das mentiras e perseguições


Graciele Galvão um exemplo de força, coragem e dedicação, rompendo as fronteiras das mentiras e perseguições

Observando atentamente uma das inúmeras postagens que circularam pelas redes sociais e pelo aplicativo wattsap nas Últimas horas atentei-me a uma em especial, que tratava da decisão do Colegiado Administrativo do conceituado Banco do Estado do Pará, que decidiu conceder a cessão da funcionária concursada GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO, esposa do prefeito de Tucuruí Jones William Galvão. 


Na postagem se afirmava que os mecanismos que foram buscados pela municipalidade na garantia dos pagamentos laborais de GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO eram de certa forma duvidosa, mas passaremos a consolidar o que assegura legalidade à luz do direito.


1 – GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO e funcionária efetiva do Banco do Estado do Pará e estava na função de Gerente da Agencia do Banpará de Tucuruí, neste sentido um cargo comissionado de confiança.


2 – Com a eleição de seu esposo Jones William ao cargo máximo da cidade de Tucuruí de prefeito, nada mais do que correto assumir sua posição de 1ª Dama do Município e consequentemente ajudar seu marido na árdua tarefa de administrar a cidade, sendo nomeada para a função comissionada de Secretária Municipal de Criança e Ação Social.


3 – Observando o que rege a Lei Federal Nº 8.112, de 11 de Dezembro de 1990 e em conformidade ao Decreto Nº 4.050, de 12 de Dezembro de 2001. Tudo em consonância ao REGIME JURÍDICO ÚNICO DOS SERVIDORES PÚBLICOS CIVIS DA ADMINISTRAÇÃO DIRETA, DAS AUTARQUIAS E DAS FUNDAÇÕES PÚBLICAS DO ESTADO DO PARÁ criado através da Lei Estadual N° 5.810, de 24 de Janeiro de 1994. A gestão de Tucuruí respeitando os ditames legais requereu ao Colegiado Administrativo do Banco do Estado do Pará a cessão da funcionária GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO para que pudesse assumir a função comissionada de Secretária Municipal de Criança e Ação Social.


4 – Após a decisão tomada pelo Colegiado Administrativo do Banco do Estado do Pará, concedendo o direito adquirido à funcionária GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO de sua cessão a Prefeitura de Tucuruí.


5 – Na decisão o Colegiado Administrativo do Banco do Estado do Pará, cedeu a servidora GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO, mas com o ônus do pagamento de seus vencimentos para a Prefeitura de Tucuruí na função de Secretária Municipal de Criança e Ação Social.


6 – É fato, que os ex-vereadores de Tucuruí aprovaram no mês de Novembro de 2016 o reajuste dos salários dos Vereadores, Secretários de Governo e do Prefeito e Vice, sendo que os vencimentos dos Secretários Municipais passaram de R$ 5.700,00 para R$ 8.000,00 mensais, sendo este os valores a serem pagos a Secretária Municipal de Criança e Ação Social.


7 – Por este motivo, como GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO esta sendo cedida pelo Banpará com ônus ao município, para a legalidade deste ato, o gestor Jones William enviou no último dia 04/04/17, Projeto de Lei para a apreciação e se possível aprovação dos Vereadores, abrindo Crédito Adicional Especial no Orçamento de 2017, que, diga-se de passagem, foi apresentado pelo gestor anterior e aprovado pelos ex-vereadores, para a inclusão destes pagamentos salariais que serão realizados a  GRACIELE SILVA DE SOUSA GALVÃO, que vem trabalhando diariamente em prol do município no atendimento a população na Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social.


Infelizmente, algumas pessoas que por decisão da maioria dos eleitores da cidade de Tucuruí optaram pelo governo de Jones William e Artur Brito, não consegue aceitar a derrota nas urnas, usam estes subterfúgios de ‘quanto pior é o melhor’, criam estes “factoides alucinógenos”, para tentar enlamear o nome das pessoas de bem e de conduta ilibada de nossa cidade.


Eu como jornalista sei que está e apenas a ‘ponta do iceberg’ de inverdades e críticas vazias e destrutivas que irão ocorre nestes meses, para tentar desestabilizar um governo que vem sofrendo as maiores privações pelos desmandos ocorridos nos últimos 8 anos de ‘desgoverno’ e que tem no dia-a-dia contribuído para que as ações que foram planejadas em campanha não sejam concretizadas de forma imediata, mas, e cedo para dizer que um governo está se despedaçando em problemas que levarão ao caos da cidade, pelo contrário, do caos total já viemos e estamos passando, agora estamos estacionando em águas tranquilas e o trabalho gradativamente está sendo demonstrado, mas com cautela e muita atenção, para que nossa cidade não volte a mídia nacional com os escândalos de corrupção e improbidade administrativa, fatos corriqueiros nos últimos anos, e que nunca foram propalados por estes que hoje estão se auto conceituado formadores de opinião.


Não estou fazendo este pequeno texto em defesa de “A” ou “B”, mas por entender que jornalismo não e conceito de inverdade ou mentiras, que falar a verdade e a primícia do ato jornalístico.


Lembro bem que nos últimos anos, muito fui criticado quando mostrava as mazelas e o desgoverno, e nos últimos meses de 2016, todos concordaram comigo e afirmavam que o prefeito anterior e seu governo era um antro de corrupção.


Então vamos apurar os fatos antes de enlamear o nome de pessoas de caráter e boa índole.


Os antigos sempre falam: “quem tem rabo de palha, não passa perto do fogo” ou “quem nunca errou atire a primeira pedra”.


Nenhum comentário:

Postar um comentário